sábado, 31 de julho de 2010

Barreiras Imaginárias

"Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio" (Salmos 91:2).

Em um aquário costeiro, uma barracuda tentava insistentemente atacar uma cavala, mas, era impedida por um vidro de separação. Depois de bater, repetidamente, seu nariz contra a divisória, acabou desistindo de nova tentativa. Mais tarde, a divisória foi retirada, mas, a barracuda nadaria só até o ponto onde havia a barreira, parando imediatamente. Ela pensava que ainda estava lá!

Muitas pessoas são como aquele peixe selvagem. Elas seguem em frente até encontrar uma barreira imaginária, colocada ali por uma atitude ou limitação impostas a si mesmas, e param.

Que tipo de barreiras temos colocado à nossa frente, limitando nossos sonhos e propósitos?

Que atitudes, nossas ou de outras pessoas, têm impedido a busca de nossas bênçãos celestiais?

Por que temos permitido que divisórias imaginárias se ergam em nosso caminho, fazendo com que o "somos mais do que vencedores" não seja real em nossas vidas?

Precisamos exercitar a nossa fé. Ela circula obstáculos, atravessa montanhas, guia-nos por vales áridos, faz ruir toda e qualquer barreira imaginária.

Quando as circunstâncias dizem "não", a nossa fé grita "sim".

Quando as frustrações espalham nuvens escuras, a confiança no Senhor abre uma fresta e deixa penetrar os reluzentes raios do sol.

Muitas vezes deparamos com grandes barreiras levantadas à nossa frente.

Ingratidão, ciúme, inveja, indiferença, ódio, ou qualquer outra coisa que tenha por objetivo impedir que sejamos abençoados por Deus.

O que devemos fazer? Seguir até ali e parar? Retornar? Desistir?

Claro que não!


Precisamos ter fé, confiar plenamente em nosso Senhor, segurar em Suas mãos e seguir adiante.


Ele estará conosco, nos ensinará a derrubar as barreiras, estará ainda ao nosso lado quando alcançarmos a vitória almejada.


Graça e Paz

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Não há mal que dure para sempre

É PASSAGEIRO

A vitalidade é demonstrada não apenas na habilidade de persistir, mas na habilidade de começar tudo de novo. F. Scott Fitzgerald

Nenhuma tempestade pode durar para sempre! Nunca irá chover 365 dias consecutivos.

A chuva pode estragar sua cerimônia de casamento, ou seu telhado; pode atrasar a sua viagem; pode até mesmo inundar a sua casa, provocando nela tremendos estragos.

Entretanto, não importa quão forte ela seja: um dia a água irá baixar, e tudo voltará a ficar seco.

Da mesma forma os problemas não vieram para ficar.

Eles passarão!

Assim como em meio a uma tempestade que traz consigo seus raios e trovões alucinantes, seu coração pode se sentir extremamente temeroso, ansioso e debilitado em meio às tormentas da vida.

Talvez você sinta que aquele problema jamais será resolvido; que aquela questão nunca será resolvida.

Alguma coisa ou alguém pode lhe haver causado uma dor enorme ao coração, à mente, e a todo o seu ser.

Talvez você tenha sido arrastado pelas inundações do medo, da angústia, do ressentimento, do sentimento de abandono e solidão, do desejo de vingança e de justiça, com prejuízos emocionais consideráveis.

Mas não se preocupe!

Com Deus ao seu lado, nenhuma tempestade, por mais forte e intensa que possa ser, irá durar para sempre

Nélio da Silva

Graça e Paz

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Eu tentarei outra vez!


O tempo passou. As lutas foram muitas. Quem não enfrentou momentos de insegurança, dúvida, e baixa auto-estima?

A ansiedade, conhecida de todos nós, nos trouxe temores e frustrações. Tivemos períodos de desânimo e sentimentos de depressão. Lembranças tristes nos assombraram. Sonhos não realizados nos magoaram. Mesmo cercados por tanta gente sentimos solidão. Precisando de amor, teimamos em fazer coisas não amáveis. Relacionamentos desfeitos nos feriram. Fomos incompreendidos.

A preocupação bateu a porta de nossos corações e foi acolhida como um hóspede indesejável, fazendo-nos uma visita interminável.

Além disto, experimentamos situações difíceis no trabalho. Nosso progresso foi lento. Tivemos conflitos interiores. Convivemos com nossa parcela de gente insuportável. Os noticiários nos deixaram alarmados. O futuro é incerto. A violência nos assustou, trancando-nos dentro de nossas próprias casas. Irritados e dominados por sentimentos de fraqueza e impotência, ficamos com os nervos a flor da pele. Suspirando fundo, “Será que ainda existe esperança?”

Há momentos nos quais a gente não vê saída. Momentos difíceis, que nos levam a pensar no pior; momentos de questionamentos, que enchem de dúvida a nossa existência; momentos de medo, que nos fazem ver o quanto somos frágeis e dependentes; e momentos de solidão, que nos fazem parecer à única pessoa no mundo, mesmo rodeados de amigos e parentes.

Felizmente, são apenas momentos que se transformam em vírgulas do texto de nossa vida, pequenas pausas para recomeçarmos, que embelezam e harmonizam a composição, cujo ponto final está nas mãos do nosso Criador, e que por certo será um encontro com Ele

Cristo torna realidade nossos sonhos frustrados. Ele caminha lado a lado com os cansados e sobrecarregados, convidando-os a apoiarem-se nos seus braços e receber alívio. É ele quem diz:

Se pela terra os anjos caminharem ao meu lado e perguntarem: “Senhor Deus, em qual destas casas tu habitas?” Eu passaria pelas mansões, castelos, templos, e catedrais. Então, sem nenhuma dúvida ou vergonha, Eu pararia em frente a ti e apontando-te com orgulho eu diria: Tu és a minha casa e o lugar onde eu habito!

Quando te sentires confuso, perplexo, e atribulado; quando não souberes o que fazer, aonde ir e a quem recorrer. Eu te sustentarei, renovarei tuas forças, falarei contigo, e saberás que a minha graça te basta, minha presença te será o bastante. Eu aquietarei teu coração atribulado e transformarei o caos em paz duradoura; cuidarei de ti, serei teu guia, e tu serás meu filho. Eu serei teu Deus; eu, eu mesmo, te conduzirei seguro ao fim da tua jornada e ao olhares para trás não terás nada do que te envergonhares; entenderás afinal que valeu a pena.

É hora de recomeçar! Sonhos podem se tornar realidade. Nós os carregamos onde ninguém pode destruí-los. Os conflitos nos fortalecem e produzem confiança para conquistar desafios maiores. Esta positiva atitude pode parecer quase nada diante das tribulações e perigos a nossa frente, mas fará uma enorme diferença e manterá acesa a chama da fé que certamente lhe conduzirá a vitória. William James afirmou:

Uma das maiores descobertas do ser humano é que ele pode alterar sua vida quando ele altera suas próprias atitudes.

Crendo nesta verdade, enfrentarei este novo tempo com coragem e determinação. Farei do meu coração a morada da esperança. Quando vitorioso darei graças e glórias a Deus.

Quando falhar, tentarei outra vez. Olharei as causas da minha derrota de frente e sem medo; analisarei os meus erros para não cometê-los uma segunda vez; percorrerei a mesma dificultosa estrada, se preciso for mil vezes, até conseguir chegar ao fim da minha jornada. Então, quando o meu dia acabar, retornarei para casa; abraçarei e beijarei minha esposa demoradamente; lhe declararei alegremente o meu amor; entrarei no quarto dos meus filhos e os acariciarei com ternura; numa prece os entregarei a Deus; então, deitarei minha cabeça no travesseiro e dormirei em paz.

A maioria das vezes a coragem não se revela através de um rugido poderoso.

Muitas vezes, a coragem se manifesta numa voz suave, quase inaudível, nos sussurrando no fim de um dia estafante: “Amanhã, eu tentarei outra vez!”

Dr. Silmar Coelho

Graça e Paz

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Viva Melhor e mais Feliz!

Todas as pessoas experimentam conflitos relacionais. Alguns conflitos não podem ser modificados. Mas jamais poderemos transformar os conflitos em algo positivo até que os enfrentemos.


Fugir dos conflitos não é a solução. O poeta português Luis de Camões afirmou que não se aprende na fantasia, sonhando, imaginando ou estudando somente. Aprendemos vendo, tratando e pelejando.


Prevenir é sempre o melhor remédio. Devemos aprender a não perpetuar os mesmos erros de pessoas insensíveis e irredutíveis que, de contínuo, ferem e causam infelicidade àqueles que convivem com elas. Conflitos são, até certo ponto, normais. Ninguém pode viver inteiramente livre deles.


Na verdade, não são os conflitos que acabam com as melhores ou piores relações. O que determina o fim do relacionamento são as atitudes e decisões que tomamos diante das discórdias.


"Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias." Thomas Fuller


Quem age motivado pela ira, mentira, amargura, irritabilidade e infidelidade, jamais é feliz.


É a paz que alicerça o amor, e não a ira.


É a verdade que promove a confiança, e não a mentira.


É o perdão que traz a reconciliação, e não a amargura.


É a sensibilidade que permite o diálogo, e não a irritabilidade.


É a fidelidade que garante que o relacionamento será capaz de durar até à morte, e não a infidelidade.


Esquecer estas verdades é um convite ao desastre. Mude suas atitudes ou viva com as conseqüências. A escolha é sua.


"Uma vitória dentro de nós é mil vezes mais gloriosa do que qualquer vitória fora de nós." Henry Ward Beecher


A meta do relacionamento nunca foi e nunca será a destruição ou extinção da família, mas o saneamento e a purificação das relações que existem entre os seres humanos.


As oportunidades aparecem quando os obstáculos são superados; problemas são eliminados abrindo caminhos para o entendimento, a maturidade e o crescimento.


O relacionamento deve evoluir e transformar-se, e não deteriorar-se. Tudo isso para você poder viver plena e abundantemente a experiência do amor.


O amor atravessa barreiras, une extremos e transforma tudo pôr onde passa; guiado pôr ele, você supera dificuldades, vence limitações, ultrapassa conflitos e alcança aquilo que julgava impossível.


Dr. Silmar Coelho


Graça e Paz

terça-feira, 27 de julho de 2010

Em nenhum outro

E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos (Atos 4:12).

Alguém me perguntou recentemente: “Deus eu aceito, mas por que tenho de aceitar Jesus?”

A pessoa que fez tal pergunta deve ter uma vaga idéia de quem o nosso grande Deus é. Presumi que ele jamais leu a Bíblia e provavelmente não a considere como a Palavra de Deus.

No entanto, é somente na Bíblia que tais questionamentos são respondidos e nos é mostrado que apenas depois de Jesus Cristo ter vindo ao mundo a humanidade pôde ter a revelação de quem Deus é

Agora Deus é conhecido como o Altíssimo, o Todo-poderoso e o Santo, que intervém na história humana vez após vez, ora com amor, ora com julgamento. Deus não tem prazer em punir o pecador: Sua santidade e justiça absoluta exigem isso.

Os que são sinceros sempre têm de admitir que são pecadores diante de Deus e que precisam desesperadamente de redenção.

Talvez você já tenha parado para pensar qual a opinião de Deus sobre você. Ou o que lhe acontecerá no futuro.

Será que existe mesmo um julgamento divino? Como isso vai me afetar?

As pessoas que consideram tais questões com profundidade não descansam até que encontrem segurança.

E é exatamente o que Deus almeja com Sua mensagem para nós.

Quem chega tão longe procura por uma saída. E a saída é Jesus Cristo, o Salvador enviado por Deus.

Não existe ninguém que possa salvar os perdidos a não ser Ele, não há “nenhum outro nome”.

Sim, você leu corretamente, “nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. Isso exclui todas as outras possibilidades.

A salvação está em uma Pessoa, não em uma doutrina, religião, filosofia, etc.

Extraído do devocional Boa Semente

Lidiomar

Graça e Paz

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Esgotamento espiritual ou FALTA DE PERDÃO

Ao tratar do problema da exaustão espiritual, é preciso que não esqueçamos de que somos espíritos que vivem em corpos físicos, e a ressurreição do corpo ainda não ocorreu! Se abusarmos do nosso corpo mediante Alimentação inadequada, a falta de sono ou um programa sobrecarregado de trabalho, com pouco ou nenhum tempo para recreação, podemos ter toda certeza de que tudo isso se refletirá em nossas emoções desgastadas, mente obscurecida e espírito exausto.

Se estivermos sob grande tensão física, emocional ou mental, esse estado também se refletirá em nossa alma. Em tais momentos podemos exaurir nossa energia espiritual.

Ao exercer o ministério sagrado, a tensão mental e emocional, proveniente do envolvimento nos problemas de outras pessoas esgotam as forças e energias.

Paulo salienta que a fraqueza humana é necessária para que possamos estar constantemente mostrando o poder de Cristo em nós: Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós.: 2 Coríntios 4:7.

Um dos maiores problemas da pessoa esgotada espiritualmente é a falta de perdão que, degenera em ressentimento e amargura de raízes profundas.

Um dos principais fatores para termos de novo vigor e forças espirituais é perdoar todos que fizeram parte de nossas mágoas nesta vida. Perdoe a todos que o abandonaram, os que se esquivaram quando você mais precisou deles. Perdoe os mexericos mediante os quais as notícias de sua exaustão e de seus problemas chegaram a todos os demais crentes das vizinhanças. Perdoe àqueles líderes e presbíteros que o feriram com suas palavras e ações. E perdoe às pessoas que você julgou serem gigantes espirituais, mas provaram ter pés de barro e uma porção de fraquezas, exatamente como as demais pessoas.

Não despreze o fariseu, pois serás fariseu também! Embora os houvesse enfrentado tantas vezes, Jesus nunca alimentou quaisquer ressentimentos contra eles. Ele chorou por causa das pessoas religiosas de Jerusalém. (Mateus 23:37)

Jesus orou também pelos que se apressaram a conduzi-lo ao sofrimento e morte: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”: Lucas 23:34. “Cristo padeceu por vós deixando-vos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. Ele não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano. Quando foi injuriado, não injuriava, e quando padecia não ameaçava. Antes, entregava-se àquele que julga justamente.”: 1 Pedro 2:21-23.

Perdoar significa que reconhecemos que nos falta a onisciência necessária num julgamento justo, e que nos falta também o amor, a graça e a misericórdia a fim de temperar a justiça.

Perdoar a um ser humano é ato de fé em Deus, de que ele é Deus, e só ele tem o direito de julgar. O verdadeiro significado do perdão é colocar a pessoa nas mãos de Deus e deixar que Ele (Deus) seja o seu juiz.

Perdoar uma pessoa não é dizer que ela tinha razão, mas liberá-la de todas as dívidas que você acha que esta pessoa tinha com você, e colocar tudo nas mãos de Deus.

Depois de Jesus ter falado sobre o perdão, Pedro aproximou-se dele e perguntou: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, que eu lhe perdoarei? Até sete?”: Mateus 18:21; Disse-lhe Jesus: “Não digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete”

“Não devias tu igualmente compadecer-te do teu companheiro, como também eu me compadeci de ti?”: Mateus 18:33.

“Toda a amargura, ira, cólera, gritaria, blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas de entre vós. Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados, e andai em amor, como também Cristo vos amou...”: Ef. 4:31-32; 5:1-2.

“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.”: Colossenses 3:13.

A insistência na falta de perdão traz tormento para aquele que não perdoa. Tendo experimentado o amor de Deus em nós, jamais poderemos voltar a agir sem o espírito de perdão, pois estaríamos pecando contra esse amor.

O crente que não perdoa não sabe que os pecados desta pessoa foram incluídos na obra de Jesus, morte e ressurreição.

FOMOS CHAMADOS PARA AMAR OS QUE CAÍRAM, NÃO PARA JULGÁ-LOS.

O derradeiro ato de Estevão foi concordar, pela fé com o Pai, em que a obra de Jesus foi suficiente para trazer perdão a todos.

Até mesmo àqueles que o estão assassinando! Muitos de nós conhecemos outros tipos de crentes. Perdoe-lhes, reconheça que o pecado deles não lhes foi debitado na conta, como seus pecados não foram debitados na sua conta.

Cristo está em nós, como nosso tipo divino de amor, e nesta fé devemos sair e começar a distribuir AMOR E PERDÃO.

É quando percorremos os nossos caminhos da vida, e agimos como se ele estivesse aqui dentro de nós, que comprovamos que ele realmente está dentro de nós. Só mais tarde é que nossos sentimentos nos alcançam.

Graça e Paz

domingo, 25 de julho de 2010

Vivendo Triunfantemente - Texto de Silas Malafaia


Provérbios 7.1-3: "Meu filho, obedeça às minhas palavras e no íntimo guarde os meus mandamentos. Obedeça aos meus mandamentos, e você terá vida; guarde os meus ensinos como a pupila dos seus olhos. Amarre-os aos dedos; escreva-os na tábua do seu coração."

Se você quer viver triunfantemente, a primeira coisa a fazer é praticar a Palavra de Deus. Você não poderá viver triunfantemente no sentido completo da palavra se não amar e praticar a Lei do Senhor. Tenha prazer na Lei do Senhor e esteja previamente preparado contra os conselhos dos ímpios (Salmo 1.1,2).

Medite na Lei do Senhor e você não andará, não se deterá nem se assentará na roda dos escarnecedores. Você jamais terá uma vida espiritual decadente se meditar na Lei do Senhor de dia e de noite.

Ter prazer na Lei do Senhor é ter alegria, satisfação, vontade de obedecer e praticar a Palavra. Quando praticamos a Palavra somos como árvore plantada junto ao ribeiro de águas, que permanece viçosa e no tempo da adversidade não murcha. Ter prazer na Palavra de Deus é produzir fruto na estação própria, recebendo a bênção da vitória no tempo de Deus.

Ter prazer na Lei do Senhor é fazer com que as "nossas folhas" permaneçam firmes; folhas que realizam o fenômeno chamado de fotossíntese; que purificam o ar. São através delas que as plantas absorvem a energia solar. Se você medita na Palavra poderá absorver o poder de Deus para a sua vida.

Em Salmo 1.1,2 está escrito: "Bem-aventurado é o varão que(...) antes tem o seu prazer na Lei do Senhor...". Isto equivale a dizer: "Feliz é aquele que tem o prazer de praticar a Palavra de Deus". O salmista diz que tudo quanto o varão que medita na lei do Senhor fizer prosperará (Salmo 1.3).

Isto quer dizer que vida triunfante é vida de prática da Palavra de Deus. Seja você também como o varão citado em Salmo 1.1-3, que medita na Lei do Senhor de dia e de noite, e descubra o segredo de uma vida triunfante em Cristo neste ano decorrente.

A Graça e a Paz do Senhor Jesus,

Moacir Neto

Artigo extraído da mensagem Vivendo Triunfantemente pregada no Culto da Vitória da Assembéia de Deus do Bom Retiro, São Paulo
Fonte: Ministério Silas Malafaia

sábado, 24 de julho de 2010

O Amor Divino

Podemos ser ótimas pessoas, freqüentar a igreja todos os dias da semana, dar ofertas, dízimos, ler a Bíblia regularmente e até orar, mas estas coisas não nos fazem merecer o amor de Deus, o que é inegociável, não pode ser comprado; nossas obras não nos darão aceitabilidade diante do Senhor. É Ele quem nos ama.

O Senhor ama a todos por igual. Ele não faz acepção de pessoas; a única diferença que poderemos ver é o grau de responsabilidade de cada um para com o Seu Reino. Estamos no mesmo nível diante dele. “Todos nós somos como o imundo e todos os nossos atos de justiça como trapo de imundícia” (Is. 64.6). Temos uma natureza pecaminosa que necessita de perdão, que nos foi proporcionado pelo intermédio da morte e ressurreição de Jesus Cristo.

A salvação e a ajuda divina são dons que recebemos de Deus, para destruir o inimigo. “Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé – e isto não vem de vós, é Dom de Deus – não das obras, para que ninguém se glorie!” (Ef. 2.8,9). Jamais conseguiremos nos purificar sozinhos nem vencer o inimigo por nossas próprias forças. Precisamos confiar em Jesus e na obra que ele fez por nós na cruz. Deus jamais nos rejeita, o amor com que nos ama é imensurável. Ele sempre perdoa as nossas faltas. Ele nos protege dos ataques malignos, e, essas bênçãos são grátis. Apenas creiamos em seu amor e confiemos em suas promessas de salvação.

Deus é o amigo de todos os momentos. Como uma mãe, Ele deseja afagar-nos em seus braços. Como defensor, nos protegerá.“Disse-vos estas coisas para que em mim tenhais paz. No mundo tereis aflições. Mas tende bom ânimo! Eu venci o mundo” (Jo. 16.33). Enquanto existirmos, haverá lutas e tribulações, mas não desanimemos, pois Jesus está conosco e, Ele já venceu o mundo.“Mas agora, assim diz o Senhor que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome. Tu és meu. Quando passares pelos rios, eles não te submergirão.

Quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”. (Is. 43.1,2). Isaías lembrou a Israel que Deus seria o defensor e protetor do povo, não só no campo físico, mas também na área mental e espiritual. Apenas deviam confiar, e, Deus sempre os livraria, quando fosse necessário.

Neste mundo, enfrentamos uma enxurrada de atrações tentadoras todos os dias, aí, precisamos de Jesus. Os rios não transbordarão, o fogo não nos queimará. Basta apenas confiarmos em Deus. Não é a nossa confiança que nos mantém firmes, mas o Deus em quem confiamos é que nos protege.

Quando as provações forem tantas a ponto de desanimarmos, lembremo-nos que Jesus tem o escape. Nele, podemos confiar. Nele, obtemos a vitória. Quando o diabo bater à porta de nossos corações, através das dúvidas e anseios, peçamos a Cristo que o recepcione. A vida está cheia de surpresas e não sabemos em que momento elas virão. Deus nos conduzirá vitoriosos a cada etapa de nossa vida, O fogo não nos queimará.

As vezes o inimigo nos cerca, mas Deus tem um exército de prontidão para nos socorrer. Basta uma ordem divina e ele age imediatamente. Os anjos estão a disposição do Senhor para nos proteger. Ele sabe onde estamos e cuida de cada um de nós com muito amor.

Se vivermos em comunhão com Deus, nos firmaremos nesta promessa: “sujeitai-vos, pois, a Deus. Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Lavai as mãos, pecadores, e vós de duplo ânimo, purificai os corações.” (Tg. 4.7,8).

Esta é a certeza da nossa grande vitória na batalha espiritual. Os demônios não são derrotados por nossas próprias forças. Não conseguimos purificar a nós mesmos e perdoar os nossos próprios pecados e nem obter o favor de Deus por nossas boas obras. Tiago diz: Se vocês quiserem vencer o diabo, vocês tem que submeter suas vidas inteiramente a Jesus Cristo. Não há outro caminho para a vitória.

Se vocês quiserem vencer os vícios, as tentações e as forças invisíveis do mal, submetam-se a Deus, vivendo uma vida de comunhão com Ele. Muitas pessoas, até mesmo grandes teólogos, apresentam um Deus complicado, mas os planos do Senhor são simples e estão acessíveis a qualquer pessoa.

Tudo o que precisamos fazer é nos entregarmos a ele. Eis algumas coisas que a Palavra do Senhor diz: “Sou santo” (1 Pe. 2.9); Sou inculpável (Cl. 1.21,22); Não há condenação sobre mim (Rm. 8.1,31-39); Sou de Deus (jo. 1.12; Rm. 8.16,17); Tenho o poder de Deus em mim(Ef. 1.19) ; Sou abençoado em Cristo (Ef. 1.3); Tenho os dons de Deus (Ef. 4.17; 1 Pe. 4.10);Deus me ama (Jr. 31.3; Jo. 3.16).

O Senhor está pronto para nos receber.

Podemos orar no quintal, clamar dentro do carro ou, silenciosamente, no local de trabalho. E, quando nos aproximamos de Deus, o inimigo foge. “Levante-se Deus, sejam dissipados os seus inimigos” (Sl. 68.1).

Onde quer que nos encontremos, estaremos sempre perto do Senhor.

Graça e Paz

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Cristo No Seu Lugar - Texto de Max Lucado


"Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que morrêssemos para os pecados e vivêssemos para a justiça; por suas feridas vocês foram curados." 1 Pedro 2:24 (NVI)

Posso falar sobre pecado? Eu poderia lembrar a você e a mim mesmo que o nosso passado é recheado de explosões de raiva, manchado com noites de paixão ilícita, e pintado de cobiça sem limites?

Que tal se o seu passado se tornou público? Imagine ficar em pé num palco enquanto um filme com cada segundo secreto e egoísta da sua vida é projetado numa tela por trás de você?

Você tentaria se esconder debaixo do tapete? Você gritaria para que os céus tivessem misericórdia? Será que você sentiria uma fração… Somente uma fração daquilo que Cristo sentiu na cruz? O desgosto gelado de um Deus que odeia pecado?

Você vê Cristo na cruz? Aquilo é um fofoqueiro pendurado lá. Vês Jesus? Sonegador. Mentiroso. Racista. Vê o carpinteiro crucificado? Ele bate na mulher. Viciado em pornografia e assassino. Está vendo o menino de Belém? Chame-o pelos seus outros nomes – Adolf Hitler, Osama bin Laden, e Jeffery Dahmer.

Mas, espere aí, Max. Você não pode juntar Cristo com estes pecadores. Não jogue o nome dele na mesma frase com aqueles!

Eu não o fiz. Foi Ele que fez. De fato Ele fez muito mais. Mais do que colocar o nome dEle na mesma frase, Ele se colocou no mesmo lugar. E no seu.

Com as mãos cravadas abertas, Ele convidou Deus, "Trate-me como os trataria!" E Deus o fez. Num ato que quebrou o coração do Pai, e ao mesmo tempo honrou a santidade do céu, o julgamento que lavou todo pecado foi derramado sobre o filho inocente de Deus.

E o céu deu à terra seu melhor presente. O cordeiro de Deus que levou o pecado do mundo.

"Deus meu, Deus meu, porque me abandonaste?"

Por que Cristo clamou aquelas palavras?

Para que você nunca precise fazê-lo.


A Graça e a Paz de Cristo Jesus,


Moacir Neto


Texto de Max Lucado

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Já Te Confundiram com Cristo ?


"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim." Gálatas 2:20

Um grupo de vendedores foi a uma Convenção de vendas.

Todos tinham prometido às suas esposas que chegariam a tempo para o jantar da sexta-feira.

No entanto, a convenção terminou um pouco tarde, e chegaram atrasados ao aeroporto.

Entraram todos com seus bilhetes, correndo pelos corredores.

De repente, e sem querer, um dos vendedores tropeçou em uma mesa que tinha uma canastra de maçãs (exposição em forma de pirâmide).

As maçãs saíram voando por toda parte.

Sem deter-se, nem voltar atrás, os vendedores seguiram correndo para o embarque no avião.

Todos menos um.

Este se parou, respirou fundo, e experimentou um sentimento de compaixão pela dona do posto de maçãs.

Disse a seus amigos que seguissem sem ele e pediu a um deles que ao chegar em sua cidade, chamasse a sua esposa e lhe explicasse que ia chegar num vôo mais tarde.

Regressou-se ao terminal e encontrou todas as maçãs atiradas pelo solo.

Sua surpresa foi enorme ao dar-se conta de que a dona do posto era uma menina cega.

Encontrou-a chorando, com lágrimas escorrendo pelo seu rosto.

Tateava ao andar, tratando, em vão, de recolher as maçãs, enquanto a multidão passava vertiginosamente sem deter-se e sem importar-se com o infortúnio da menina.

O homem se ajoelhou junto dela, falou-lhe, juntou as maçãs, colocou-as numa caixa e ajudou a montar a canastra de exposição novamente.

Enquanto o fazia, deu-se conta de que muitas da maças tinham sido golpeadas e estavam machucadas.

Recolheu-as e as pôs em outra canastra.

Quando terminou, sacou sua carteira e lhe disse à menina:

"Toma, por favor, este dinheiro pelo dano que fizemos. Estás bem?"

Ela, chorando, acenou com a cabeça.

E o homem disse ainda para a menina,
"Espero não ter arruinado o seu dia".

Conforme o vendedor começou a afastar-se, a menina gritou:

"Senhor..."

Ele se deteve e voltou a olhar para os olhos cegos Ela continuou:

"É VOCÊ, JESUS...?"

Ele se parou atônito e olhou ao seu redor.

Deu várias voltas, antes de dirigir-se ao embarque noutro vôo, com essa pergunta queimando-lhe o peito e vibrando em sua alma: "É VOCÊ, JESUS? ".

E você irmão, já te confundiram com Jesus?

Porque esse é o nosso destino, não é assim?

Parecer-nos tanto com Jesus, que as pessoas não possam distinguir a diferença.

Parecer-nos tanto com Jesus, conforme vivemos num mundo que está cego ao seu Amor, sua Vida e sua Graça.

Se dissermos que conhecemos a Jesus, deveríamos viver e atuar como Ele faria.

Conhece-lo é bem mais do que citar os Evangelhos, e ir à Igreja.

É, em realidade, viver sua palavra cada dia.

Nós somos como a menina cega, ainda quando tenhamos sido golpeados pelas quedas.

Ele deixou tudo e nos recolheu, a você e a mim no Calvário, e pagou por nossa maça machucada.

Vivamos, pois, a partir de agora, como se valêssemos o preço que Ele pagou por nós!

Comecemos hoje!

JESUS VIVE

A Paz do Senhor ! Seja como Cristo foi !

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Obediência em primeiro lugar

Dt. 28.13: E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás por cima, e não por baixo; se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, para os guardar e cumprir

Um homem dormia tranqüilo quando, de repente, seu quarto encheu-se de luz e Deus lhe apareceu.

O Senhor disse ao homem que tinha trabalho para ele e mostrou-lhe uma enorme pedra em frente à casa. Em seguida, o Senhor explicou que o homem deveria empurrar a pedra com toda as suas forças, dia após dia.

Por muito tempo, ele se cansou do nascer ao pôr-do-sol, seus ombros encostados contra a superfície fria e maciça da rocha que não se movia, empurrando com todas as suas forças.

A cada noite, o homem retornava para casa exausto, com a impressão de que todo o seu dia tinha sido em vão.

Vendo que o homem dava sinais de estar perdendo o ânimo, Satanás decidiu entrar em cena, induzindo pensamentos em sua mente:

— Você está fazendo força contra a pedra há muito tempo e ela nem se abalou. Por que se matar por isto? Você nunca vai conseguir mover a pedra mesmo.

E logo o homem ficou com a sensação de que a tarefa era impossível e que era um fracassado.

Tais pensamentos desencorajaram-no e desanimaram-no. “Por que me matar, dando importância a isso?”, pensava ele. “Vou colocar apenas o meu tempo, mas dedicar o mínimo de esforço; creio que isso já seja o suficiente”, concluiu.

Então, resolveu fazer disso motivo de suas constantes orações, levando seus pensamentos atribulados ao Senhor.

— Senhor — orou ele.

— tenho trabalhado duro por muito tempo no seu serviço, empenhando todas as minhas forças para fazer o que me pediu, o que me ordenou. No entanto, depois de todo esse tempo, ainda não consegui mover aquela rocha meio milímetro sequer.

O que está errado?

Em que falhei?

O que o Senhor está querendo me mostrar?

E o Senhor respondeu amorosamente:

— Filho, quando pedi a você que me servisse e você aceitou, eu lhe disse que sua tarefa seria empurrar a rocha com todas as suas forças e é exatamente isso que você tem feito. Mas também é certo que nenhuma vez eu lhe disse que esperava que você a movesse.

Sua tarefa era simplesmente empurrar e, agora, você chega me dizendo que falhou.

- Tenho uma dúvida: será que é isso mesmo?

- Seus braços estão fortes e musculosos, suas costas eretas e morenas, suas mãos estão calejadas pela pressão constante e suas pernas tornaram-se duras e firmes.

Por meio de todo o esforço você cresceu muito e suas habilidades são maiores do que quando você começou, consegue se lembrar deste detalhe?

Você não moveu a rocha, mas o seu chamado foi para que você fosse obediente, empurrasse e exercitasse a sua fé e confiança na minha sabedoria. Isto você fez.

- Agora, acalme-se, eu vou mover a rocha. (Autor desconhecido)

Não estamos mais debaixo da Lei, estamos debaixo da graça, mas assim como Jesus veio para cumprir a Lei e não para mudá-la, o princípio da obediência continua, lembremo-nos de que a Palavra do Senhor diz em Romanos 8.28 que: E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito, mesmo aquelas que aos nossos olhos pareçam ruins.

Graça e Paz

domingo, 18 de julho de 2010

Vivo! - Texto de Max Lucado


Estrada. Escuridão. Estrelas. Sombras. Quatro. Sandálias. Mantos. Silêncio. Suspense. Bosque. Árvores. Sozinho. Perguntas. Angústia. "Pai!" Suor. Deus. Homem. Deus-Homem. Prostrado. Sangue. "NÃO!" "Sim." Anjos. Consolo.

Passos. Tochas. Vozes. Romanos. Surpresa. Espadas. Beijo. Confusão. Traição. Temor. Corra! Prisão. Punhos. Marcha.

Pátio. Sacerdotes. Lampadas. Sinédrio. Caifás. Zombaria. Seda. Arrogancia. Barba. Conspiração. Pés descalços. Corda. Calma. Empurrões. Pontapés. Anás. Indignação. Messias? Julgamento. Nazareno. Confiante. Pergunta. Resposta. Soco!

Pedro. "Eu?" Galo. Três vezes. Culpa.

Procedimentos. Corte. Rejeição. Processo. Cansado. Pálido. Testemunhas. Mentirosos. Inconsistentes. Silêncio. Olhares. "Blasfemador!" Ira. Espera. Ferido. Sujo. Fatigado. Guardas. Cuspidas. Venda nos olhos. Escárnio. Golpes. Fogo. Escurecer.

Nascer do sol. Dourado. Jerusalém. Templo. Páscoa. Cordeiros. Cordeiro. Adoradores. Sacerdotes. Messias. Ouvir. Fraude. Prisioneiro. Espera. Ficar de pé. Mudança. Estratégia. "Pilatos!" Armadilha. Murmúrios. Saída.

Agitação. Parada. Multidão. Aumento. Romanos. Pilatos. Toga. Aborrecido. Nervoso. Oficiais. Túnicas. Espadas. Silêncio. "Acusação?" "Blasfêmia." Indiferença. Ignora. (Mulher. Sonho.) Preocupação. Entrevista. Lábios. Dor. Determinado. "Rei?" "Céu."'Verdade." "Verdade?" Sarcasmo. (Temor.) "Inocente!" Barulho. Vozes. "Galileu!" "Galileu?" "Herodes!"

9 da manhã. Pés em marcha. Palácio. Herodes. Raposa. Intrigante. Barrigudo. Coroa. Manto. Cetro. Saguão. Elegancia. Silêncio. Manipular. Inútil. Vexado. Insulto. Provocação. "Rei?' Manto. Teatral. Cínico. Odioso. "Pilatos!"

Marcha. Vozerio. Prisioneiro. Silêncio. Pilatos. "Inocente!" Tumulto. "Barrabás!" Rebelião. Desespero. Cristo. Desnudar. Anéis. Parede. Costas. Chicote. Açoite. Castigo. Lágrima. Osso. Gemido. Carne. Ritmo. Silêncio. Chicote. Silêncio. Chicote. Silêncio. Chicote! Espinhos. Agudos. Cegueira. Riso. Motejo. Cetro. Bofetada. Governador. Perturbado (Quase). Olhos. Jesus. Decisão. Poder. Liberdade? Ameaças. Olhares. Gritos. Fraco. Bacia. Agua. Influenciados. Acordo. Sangue. Culpa.

Soldados. Ladrões. Trave da cruz. Ombro. Pesada. Trave. Pesada. Sol. Cambalear. Declive. Casas. Lojas. Faces. Lamentadores. Murmúrios. Peregrinos. Tropeção. Pavimentação de pedras. Exausto. Sem fôlego. Simão. Patético. Gólgota.

Mas ele veio. Mesmo sabendo da angústia, ele veio. Mesmo conhecendo a dor, a vergonha, a humilhação, a falta de amor das pessoas, ele veio.

Caveira. Calvário. Cruzes. Execução. Morte. Meio-dia. Lágrimas. Observadores. Gemidos. Vinho. Nu. Ferido. Inchado. Viga mestra. Sinal. Chão. Pregos. Batidas. Batidas. Batidas. Traspassado. Contorcido. Sede. Terrível. Graça. Debater-se. Levantado. Montado. Pendurado. Suspenso. Espasmos. Suspiros. Sarcasmo. Esponja. Lágrimas. Provocações. Perdão. Dados. Jogo. Escuridão.

Absurdo.
Morte. Vida.
Dor. Paz.
Condenação. Promessa.
Nenhum lugar. Algum lugar.
Ele. Nós.

"Pai!" Ladrões. Paraíso. Lamentos. Choro. Atônito. "Mãe." Compaixão. Escuridão. "Deus meu!" Medo. Bode expiatório. Deserto. Vinagre. "Pai." Silêncio. Suspiro. Morte. Alívio.

Terremoto. Cemitério. Túmulos. Corpos. Mistério. Cortina. Lança. Sangue. Água. Linho. Tumba. Medo. Espera. Desespero. Pedra. Maria. Correr. Talvez? Pedro. João. Crença. Elucidação. Verdade. Humanidade. Vivo. Vivo. Vivo!

A Graça e a Paz de Cristo Jesus

Moacir Neto

Texto de Max Lucado
www.maxlucado.com

Copyright © 2010 Editora Vida Cristã. Todos os direitos reservados.
Texto extraído do livro: Lucado, Max - Seu Nome É Salvador - Ed.
Vida Cristã

O Nevoeiro do Coração Partido - Texto de Max Lucado



O nevoeiro do coração partido. É um nevoeiro escuro que aprisiona furtivamente a alma e se recusa a ir embora. É uma neblina silenciosa que esconde o sol e chama as trevas. É uma nuvem pesada que não honra qualquer hora nem respeita quem quer que seja. Depressão, desânimo, desapontamento, dúvida... Todos são companheiros desta presença temida.

O nevoeiro do coração partido desorienta a nossa vida. Ele torna difícil ver o caminho. Abaixe as suas luzes. Limpe o pára-brisa. Ande mais devagar. Faça o que quiser, nada ajuda. Quando este nevoeiro nos rodeia, nossa visão fica bloqueada e o amanhã está para sempre distante. Quando esta escuridão ondulada nos envolve, as palavras mais sinceras de ajuda e esperança não passam de frases vazias. Se você já foi traído por um amigo, sabe o que estou dizendo. Se já foi abandonado por um cônjuge ou um pai, já viu esse nevoeiro. Se já colocou uma pá de terra sobre o caixão de um ente querido ou ficou vigiando junto ao leito de alguém que ama, você reconhece também esta nuvem.

Se já esteve neste nevoeiro, ou está nele agora, pode estar certo de uma coisa — não se encontra sozinho. Até o mais esperto dos capitães da marinha já perdeu o rumo ao aparecer essa nuvem indesejada. Como disse certo comediante: "Se os corações partidos fossem anúncios, todos apareceríamos na televisão."

Faça um retrospecto dos últimos dois ou três meses. Quantos corações partidos encontrou? Quantos espíritos feridos teve ocasião de observar? Quantas histórias de tragédias chegou a ler? Minha própria reflexão é cautelosa:

- A mulher que perdeu o marido e o filho num terrível acidente automobilístico.

- A atraente mãe de três crianças que foi abandonada pelo cônjuge.

- O garoto atropelado e morto por um caminhão de lixo, quando saía do ônibus da escola. A mãe, que o esperava, testemunhou a tragédia.

- Os pais que encontraram o filho adolescente morto na floresta atrás de sua casa. Ele se enforcara com o próprio cinto numa árvore.

A lista continua indefinidamente. Tragédias nebulosas. Como cegam nossa visão e destroem os nossos sonhos. Esqueça todas as grandes esperanças de alcançar o mundo. Esqueça todos os planos de mudar a sociedade. Esqueça todas as aspirações de mover montanhas. Esqueça tudo isso. Só me ajude a atravessar a noite.O sofrimento do coração partido...

Venha comigo assistir aquela que foi talvez a noite mais enevoada da história. A cena é muito simples, você vai reconhecê-la rapidamente. Um bosque de oliveiras retorcidas. O chão coberto de pedras grandes. Um muro baixo de pedras. Uma noite escura, muito escura.

Veja agora o quadro. Olhe atentamente através da folhagem sombria. Vê aquela pessoa? Vê aquela figura solitária? O que ele está fazendo? Deitado no chão. O rosto manchado de terra e lágrimas. Os punhos batendo no solo. Os olhos arregalados com o estupor do medo. O cabelo emaranhado por causa do suor salgado. Será aquilo sangue em sua testa?

Esse é Jesus. Jesus no Jardim do Getsêmani. Você talvez tenha visto o retrato clássico de Cristo no jardim. Ajoelhado junto a uma grande rocha. Um alvo manto. Mãos pacificamente unidas em oração. Um olhar sereno em seu rosto. Um halo sobre a sua cabeça. Um raio de luz do céu, iluminando seu cabelo castanho dourado. Eu não sou artista, mas posso dizer-lhe algo. O homem que pintou esse quadro não usou o evangelho de Marcos como modelo. Veja o que Marcos escreveu sobre aquela noite penosa:

Então foram para um lugar chamado Getsêmani, e Jesus disse aos seus discípulos: "Sentem-se aqui enquanto vou orar". Levou consigo Pedro, Tiago e João, e começou a ficar aflito e angustiado. E lhes disse: "A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem". Indo um pouco mais adiante, prostrou-se e orava para que, se possível, fosse afastada dele aquela hora. E dizia: "Aba, Pai, tudo te é possível. Afasta de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres". Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. "Simão", disse ele a Pedro, "você está dormindo? Não pôde vigiar nem por uma hora? Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca." Mais uma vez ele se afastou e orou, repetindo as mesmas palavras. Quando voltou, de novo os encontrou dormindo, porque seus olhos estavam pesados. Eles não sabiam o que lhe dizer. Voltando pela terceira vez, ele lhes disse: "Vocês ainda dormem e descansam? Basta! Chegou a hora! Eis que o Filho do homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores. Levantem-se e vamos! Aí vem aquele que me trai!"

Observe estas frases: "começou a ficar aflito e angustiado.", "A minha alma está profundamente triste" e "Indo um pouco mais adiante, prostrou-se". Este parece um quadro de um Jesus santo, repousando na palma de Deus? De modo algum.

Marcos usou tinta preta para descrever esta cena. Vemos um Jesus agonizante, lutando e se esforçando. Vemos um "homem de tristeza" Is.53.3. Vemos um homem enfrentando o medo, em luta com os compromissos e ansiando por alívio. Vemos Jesus no nevoeiro de um coração partido. O escritor de Hebreus iria dizer mais tarde, "Durante os seus dias de vida na terra, Jesus ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com lágrimas, àquele que o podia salvar da morte," Hb 5.7. Que descrição! Jesus sofrendo. Jesus às portas do medo. Jesus não está revestido de santidade, mas de humanidade.

Da próxima vez que o nevoeiro o envolver, você faria bem em lembrar-se de Jesus no jardim. Da próxima vez em que pensar que ninguém compreende, releia o capítulo 14 de Marcos. Da próxima vez que a autopiedade o convencer de que ninguém se importa, vá visitar o Getsêmani. E da próxima vez em que ficar imaginando se Deus realmente percebe a dor que prevalece neste poeirento planeta, ouça-o suplicando entre as árvores retorcidas. Este é o meu ponto. Ver Deus desse modo faz maravilhas em relação ao nosso próprio sofrimento. Deus jamais foi tão humano quanto nessa hora. Deus jamais esteve mais próximo de nós do que quando sofreu. A Encarnação jamais foi tão cumprida quanto no jardim. Como resultado, o tempo passado no nevoeiro da dor poderia ser o maior dom de Deus. Poderia ser a hora em que finalmente vemos nosso Criador. E verdade que, no sofrimento Deus se assemelha mais ao homem; talvez em nosso sofrimento possamos ver a Deus como nunca antes.

Da próxima vez em que você for chamado para sofrer, observe. Talvez esse seja o ponto mais próximo em que vai estar de Deus. Preste muita atenção. Pode muito bem ser que a mão que se estende para guiá-lo para fora do nevoeiro, esteja traspassada.

A Graça e a Paz de Cristo Jesus.

Moacir Neto

Texto de Max Lucado