domingo, 11 de julho de 2010

O Perigo das riquezas quando seu coração idolatra ela

Amados, queria convidá-los para refletirmos dentro de uma interpretação exposta pelo grande Pastor americano John Bevere. Gostaria que os amados refletissem acerca das riquezas, quando há idolatria ao dinheiro. Vamos refletir no texto de Marcos 10.17-31.



Veja como Jesus lidou com o jovem:

Quando Jesus ia saindo, um homem correu em sua direção, pôs-se de joelhos diante dele e lhe perguntou: "Bom mestre, que farei para herdar a vida eterna?".

A primeira coisa que quero que você perceba é que esse homem veio correndo a Jesus. Quando chegou, ele ajoelhou-se diante de Jesus e perguntou o que ele precisava fazer para ser salvo. Posso ver esse jovem correndo em meio à multidão, ajoelhando-se ao redor de Jesus, agarrando Suas mãos, e implorando com uma grande paixão: O que preciso fazer para ser salvo? Até essa data, nada na minha vida pessoal ou ministerial, tive qualquer pessoa, rico ou pobre, correndo para mim, ajoelhando-se e implorando: O que preciso fazer para nascer de novo? Esse homem era intenso! Alguns podem visualizar esse jovem governante rico, passeando casualmente com Jesus com uma tonalidade de voz calma, tranqüila e intelectual, perguntando-Lhe o que uma pessoa precisava fazer para herdar a vida eterna. Esse, no entanto, não foi o caso. Esse homem estava sériamente decidido sobre ser salvo! Vejamos:

"Bom mestre, que farei para herdar a vida eterna?" Respondeu-lhe Jesus: "Por que você me chama bom? Ninguém é bom, a não ser um, que é Deus".

Ele não estava lisonjeando Jesus, ele não O chamou de "bom Senhor". Eu creio que esse homem tinha integridade. Ele sabia que ao chamar Jesus de Senhor teria de estar pronto a fazer o que Ele disse! Muitos crentes hoje não têm esse tipo de caráter. Eles chamam Jesus de Senhor e dizem que o líder deles é o pastor, mas não fazem o que o Senhor lhe pede ou não recebem a instrução de seu pastor. Eles sorriem, dizem "amém" para aquilo que o pastor prega, mas não aplicam isso à suas próprias vidas. Eles têm ouvidos para ouvir, mas não aplicam o que o Espírito está lhes dizendo. Muitas vezes eles sentem que a mensagem é apropriada para o cisco do olho do irmão, enquanto uma trave está cegando seus próprios olhos. Ouça como Jesus ministra a esse homem intenso que deseja ser salvo:

Você conhece os mandamentos: 'não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não enganarás ninguém, honra teu pai e tua mãe'". E ele declarou: "Mestre, a tudo isso tenho obedecido desde a minha adolescência".

Jesus citou os seis últimos dos Dez Mandamentos, os quais lidam com o relacionamento de uns para com os outros. O jovem, animadamente, respondeu que havia guardado desde sua juventude todos os mandamentos que Jesus citou. Eu creio que esse homem realmente os havia guardado. Percebemos a intenção do seu coração ao se aproximar de Jesus. Jesus, porém, propositalmente, omitiu os quatro primeiros mandamentos os quais lidam com o relacionamento do homem com Deus – o primeiro, não ter outros deuses ou ídolos diante dele. Em outras palavras, nada em nossa vida deve vir antes do nosso amor, afeição e compromisso com o nosso Deus. Esse jovem não havia cumprido esses mandamentos, nem estava desejoso de cumpri-los naquele momento; Jesus tinha exposto os ídolos na vida dele.

Jesus olhou para ele e o amou. "Falta-lhe uma coisa", disse ele. "Vá, venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-me".

Notemos que Jesus o amou! Mas como Ele demonstrou Seu amor por esse homem?

Foi apresentando-lhe um Evangelho mais fácil caso ele se sentisse ofendido?

Foi não confrontando com os ídolos da posição, do poder e do dinheiro na vida dele?

Por que Jesus não o convidou apenas para fazer a oração do pecador entregando-se desses ídolos mais tarde?

Afinal de contas, aquele era um candidato pronto, com um desejo intenso de ser salvo. Tudo o que Jesus tinha a fazer era puxar a rede e Ele teria um rico e proeminente! Mas Jesus o amava! Ao invés disso, Ele deu a esse homem a verdade – uma palavra muito forte, correndo o risco de perder esse homem poderoso e empolgado. Jesus olhou-o nos olhos e disse que lhe faltava algo que não era o zelo, mas uma prontidão de coração e mente para abandonar tudo o que tinha.

Será que podemos imaginar Jesus dizendo que nos falta algo que nos impediria de sermos salvos? Então, se verdadeiramente amamos, somos sinceros, mesmo sabendo que isso pode significar rejeição. Muitos crentes e pregadores bajulam os outros por causa do medo da rejeição. Eles querem ser aceitos. Eu costumava ser assim. Todos que eu encontrava gostavam de mim, porque eu sempre lhes falei o que queriam ouvir. Eu odiava qualquer confrontação ou rejeição e queria que todos estivessem sempre alegres. Aí Deus expôs meu motivo inseguro e egoísta. Ele revelou o enfoque do meu amor – meu ego, não as pessoas que me rodeavam. Eu estava mais preocupado com a aceitação deles do que dar-lhes aquilo de que realmente precisavam.

É bem melhor falar a verdade do que comprometer a verdade e fazer com que alguém creia na mentira. É muito melhor que ouçam isso agora do que crer que podem conservar pecado em suas vidas e um dia ouvirem o Mestre dizer-lhes: "Apartai-vos de mim. Vocês foram enganados!"

Diante disso ele ficou abatido e afastou-se triste, porque tinha muitas riquezas. Jesus olhou ao redor e disse aos seus discípulos: "Como é difícil aos ricos entrar no Reino de Deus! ".

Esse homem estava tão animado que se retirou tristemente! "Oh, Jesus como o Senhor pôde fazer isso? O jovem estava tão empolgado, mas depois de ouvir Sua mensagem, retirou-se triste! O Senhor não sabe que tem de terminar Suas mensagens de forma brilhante? A Sua pregação tem de levantar as pessoas e fazê-las sentirem-se bem com elas mesmas, não entristecê-las. A freqüência em Seus cultos vai cair se o Senhor continuar tratando dessa forma homens e mulheres animados, especialmente os ricos e influentes como esse jovem! Vá atrás dele e amenize isso; com certeza ele voltará depois de um tempo!"

Isso é o que Jesus ouviria hoje dos membros de Sua diretoria dos que pregam na América, no Brasil e no mundo! Eles mandariam trazer Jesus diante deles junto com Sua resignação. Como Ele se atreve a ofender esse grande dizimista em potencial? Será que Ele não sabe que temos um programa de construção em andamento? Eu penso que Jesus não entendia a dinâmica de construir ministérios grandes e prósperos, pelo menos não como alguns ministros hoje têm aprendido. Talvez, por um momento, Ele tenha se esquecido de como fazer amigos e influenciar as pessoas. Talvez Ele tenha de diminuir o tom de Seus sermões e pregar mensagens não convincentes. Mensagens que aumentam a auto-imagem.

Isso não soa como na América, no Brasil e no Mundo? Temos caído na armadilha de fazer qualquer coisa para levar alguém à decisão por Cristo. Isso é ótimo desde que fundamentado na verdade. O Senhor mostrou-me como muitos ministros, incluindo eu, responderia a esse homem rico aproximando-se de mim, como se implorando: "Pregador, o que devo fazer para ser salvo?" Deus mostrou-me que o que diríamos: "Você quer Jesus! Você quer ser um crente! Louvado seja Deus, repita essa oração comigo... Agora, irmão, venha com o seu talão de cheques e siga-me com esse Evangelho que prego!". Precisamos compreender que Deus nunca nos chamou para aumentar o Evangelho, torná-lo mais fácil para as pessoas que têm ídolos na vida serem "salvas". Os ídolos precisam ser abandonados. Jesus precisa ser recebido como Senhor, não apenas como Salvador! Agora, veja o que Jesus fez depois que esse jovem se retirou:

Jesus olhou ao redor e disse aos seus discípulos: "Como é difícil aos ricos entrar no Reino de Deus!" Os discípulos ficaram admirados com essas palavras. Mas Jesus repetiu: "Filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus". Os discípulos ficaram perplexos, e perguntavam uns aos outros: "Neste caso, quem pode ser salvo?" Jesus olhou para eles e respondeu: "Para o homem é impossível, mas para Deus não; todas as coisas são possíveis para Deus".

Ele não correu atrás do homem para trazê-lo de volta. Ele virou-se para a Sua equipe e os instruiu: Quão difícil é para aqueles que confiam na riqueza... Um ídolo é qualquer coisa que amamos, em que confiamos ou damos a nossa atenção mais do que a Deus! Aquele homem não estava desejoso de abandonar seus ídolos e seguir Jesus. Para algumas pessoas, o seu ídolo é a popularidade com seus colegas; para outros, pode ser um esporte, uma comida, a televisão ou a música, etc... A lista pode ser enorme. O que pode ser um ídolo para alguém não é, necessariamente, um ídolo para outra pessoa. Deus disse: Não farei para vós outros ídolos... (Lv 26:1). Você é quem faz de alguma coisa um ídolo, amando ou confiando em algo mais do que em Deus!

Notemos que Jesus também não disse: "Não lhe falei que se você obedecer à palavra que o Pai acaba de me dar para você, para abandonar esse dinheiro, Ele lhe dará cem vezes mais em retorno!" Muitos de nós temos feito isso! Alguns ministros prometem cem vezes em retorno para as pessoas que recebem a Palavra de Deus. Então, o motivo se torna: "Dá-me para que você receba!" Se isso fosse correto, então Jesus deveria ter enfocado no retorno e não no custo. Ele não tentou incitar esse homem a entrar no reino de Deus pelas bênçãos do reino. Agora, leia com admiração o que Ele fala a Pedro e aos outros discípulos:

Então Pedro começou a dizer-lhe: "Nós deixamos tudo para seguir-te". Respondeu Jesus: "Digo-lhes a verdade: Ninguém que tenha deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, ou campos, por causa de mim e do evangelho, deixará de receber cem vezes mais já no tempo presente casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, e com eles perseguição; e, na era futura, a vida eterna. Contudo, muitos primeiros serão últimos, e os últimos serão primeiros".

Agora, Jesus olhando para aqueles que haviam abandonado tudo para segui-Lo, diz: "Vocês receberão CEM vezes mais, NESTA VIDA, do que aquilo que deixaram para seguir-Me, casas... e terras, com perseguições – e no tempo por vir, a vida eterna." Se o dinheiro tivesse sido a motivação de Pedro, João, Tiago e André para seguirem e viverem com Jesus, eles nunca teriam deixado seus negócios. Eles não estavam cônscios dessa promessa de retorno cem vezes mais. Essa foi a primeira vez que ouviram isso. Eles sabiam que Jesus tinha palavras de vida eterna, por isso deixaram tudo – o dinheiro não era um ídolo na vida deles. Deus nunca ordenou que uma pessoa se tornasse perfeita para que O seguisse. Ele apenas exige obediência a Ele. Esse jovem rico talvez possuísse mais características mais polidas que Pedro. Entretanto, Pedro estava desejoso de fazer qualquer coisa que o Senhor lhe pedisse. Isso é o que Jesus queria dizer quando Ele nos chamou para abandonar tudo e segui-Lo.

Se estudarmos o ministério de Pedro, Paulo e dos outros discípulos no livro de Atos e nas Epístolas, veremos que as mensagens deles estavam de acordo com o que Jesus pregou a esse homem rico! Hoje, temos desviado muito desse caminho. Será que essa é a raiz da razão da condição de decadência espiritual da América, do Brasil e do Mundo? Temos alcançado pessoas e levando-as a “nascerem de novo” tão facilmente que o caminho da verdade tem sido grosseiramente distorcido. Por essa razão, Deus está chamando o Seu povo para abandonar seus ídolos e voltar-se para o coração de Deus, para preparar um povo para Seu Senhor!

TEXTO RETIRADO DO LIVRO A UNÇÃO PROFÉTICA DE JOHN BEVERE. (com acréscimo das palavras: Brasil e Mundo após América, na postagem).


Eu não concordo com o "DINHEIRO" vir antes de Deus e nem com ameaças, chantagens e outras coisas que alguns fazem por aí. Mas eu acredito que o servo de Deus, tem sim a promessa da prosperidade, e que o princípio desta promessa está na entrega dos dízimos e das ofertas. Para quem não devolve o dízimo e nem entrega uma oferta, é bom analisar se está ou não com um ídolo no coração.

Graça e Paz.

Moacir Neto