quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Como ser grande


Não será assim entre vocês. Pelo contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo ( Mateus 20.26)

Era uma vez um menino que sentia vontade de ser bem grande e resolveu procurar alguém que pudesse lhe ensinar como fazer para ser grande.

Foi andando, andando e, de repente, parou diante de uma árvore enorme e perguntou :

- O que você faz para ser tão grande?

A árvore respondeu:

- Eu dou frutas, flores, sombra, purifico o ar, agasalho as aves e minha madeira é muito útil ao homem. Eu sirvo.

O menino continuou sua caminhada, encontrou um grande rio e perguntou:

- E você, o que faz para ser grande?

O rio disse:

- Eu levo barcas, abasteço de água as populações, irrigo as terras e forneço várias espécies de peixe. Eu sirvo.

Aquele menino continuava perguntando e prestando atenção às informações e ia crescendo com todas as respostas que ouvia:

Da professora, ele ouviu :

- Para que a geração jovem aprenda ética, cidadania e tenha educação e instrução. Eu sirvo.

Do médico, ele ouviu:

Para que o homem seja saudável na mente e no corpo. Eu sirvo.

Do religioso, ele ouviu:

Para construir uma comunidade de irmãos, filhos de Deus, que saibam repartir o pão. Eu sirvo.

Do policial rodoviário, ele ouviu:

- Na orientação aos motoristas, na disciplina e na segurança do trânsito e na prevenção do acidente. Eu sirvo.

Dos animais ele também obteve respostas:

O urubu disse: Elimino da superfície da terra todo cadáver não sepultado. Eu sirvo.

A Abelha disse: Eu espalho pólen nas flores e fabrico o gostoso mel. Eu sirvo.

E o menino não parou, foi perguntando, perguntando e pensando chegou às conclusões:

- Tudo só é grande quando serve;

- Tudo só é importante quando é útil;

- Tudo só é necessário e essencial quando, de alguma forma, constrói um mundo melhor.

Ele entendeu e ficou feliz com o que conheceu.

- Quando eu crescer também quero ser grande e vou começar hoje a servir, seja em casa, na escola, na rua, porque para Deus grande é quem serve.

Como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. (Mt. 20.28)

Digo-lhes verdadeiramente que nenhum escravo é maior do que o seu senhor, como também nenhum mensageiro é maior do que aquele que o enviou. (João 13.16)

Servir não é privilégio de muitos.

Servir é para gente grande.

Servir é para gente que se conhece, e está seguro de sua identidade, a tal ponto que nada nem ninguém o diminui.

Servir é para gente que conhece o coração das pessoas, a ponto de não se deixar decepcionar o suficiente para que o serviço seja abandonado.

Servir é para quem conhece o amor, de tal maneira que desconhece preço elevado demais para que possa continuar servindo.

Servir é para quem conhece o fim a que se pode chegar servindo e amando, de tal maneira que não é motivado pelo reconhecimento, a gratidão ou a recompensa, mas pelo próprio privilégio de servir.

Servir é para gente parecida com Jesus.

Servir é para muito pouca gente.

Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Vamos conhecer a natureza de Deus?

A Natureza de Deus e os Nomes

Deus é Espírito pessoal, eterno, infinito e imutável. O Espírito é um ser real, verdadeiro, mas invisível, constituído dos poderes de: pensar, sentir, querer e os de consciência e direção própria.

Assim é Deus, nele não há o desequilibro e entre os poderes de pensar, querer e sentir. (O homem é um espírito que possui uma lama e habita num corpo).

Podemos ter uma idéia melhor de Deus estudando o significado dos seus nomes que aparecem na Bíblia:

ELOHIM– “Deus” Esta palavra emprega-se sempre que sejam descritos ou implícitos o poder criativo e a onipotência de Deus. Elohim é o Deus-Criador. A forma pura significa plenitude de poder e representa a Trindade. Elohim é a primeira expressão de Deus na Bíblia (Gênesis 1.1).

JEOVÁ– Os 72 sábios judeus que Ptolomeu Filadelfo rei do Egito encarregou de traduzir os textos do Velho Testamento para o grego (285 anos antes de Cristo) por temer e tremer em pronunciar o Nome de Deus como JEOVÁ, substituíram por Senhor, assim como encontramos em nossas traduções.

Observando Deus a necessidade entre os homens desceu para ajudá-los e salvá-los ao assumir esta revelação, ele revela-se a si mesmo como “Jeová”.

O nome Jeová tem sua origem no verbo “ser” e inclui os três tempos deste verbo, passado, presente e futuro, significa “Serei o que Serei” o “eu Sou” significa “Deus Absoluto”, “Deus Eterno Imutável”; “Deus que subsiste por Si mesmo”
independente de tudo, Ele que era, que é e que há de ser.

Em outras palavras “O Eterno”, Também significa: Eu me manifestei, me manifesto e ainda me manifestarei. Originalmente expressavam o Nome de Deus pelas consoantes
JHVH, evitando vogais; posteriormente tiravam as vogais de ADONAI e ELOIM (Senhor) e, acrescentaram a estas consoantes daí a ficar desconhecida a real pronúncia.

O uso de diversos nomes complementares a JEOVÁ, são encontrados nos originais Bíblicos, pois o nome do Senhor era mencionado biblicamente de acordo com o que representava no momento do acontecimento.

Os nomes encontrados nos consertos entre Jeová e seu povo são:

Aos que jazem em leitos de doenças manifesta-lhes como: JEOVA-RAFA –
“O Senhor que cura”. Êxodo 15.26

Os oprimidos pelo inimigo invocam a: JEOVÁ-NISSI –
“ O Senhor nossa bandeira”, Êxodo 17.8-15.

Os encarregados de cuidados aprendem que ele é: JEOVÁ –SHALON –
“o Senhor nossa paz”, Juízes 6.24.

Os peregrinos na terra sentem a necessidade de: JEOVÁ-RA’AH –
“O Senhor meu Pastor”. Salmo 23.1

Os condenados e necessitados de justificação, esperançosamente invocam: JEOVÁ-TSID-KENU –
“O Senhor nossa justiça”.Jeremias 23.6.

Aqueles que se sentem desamparados aprendem que ele é:JEOVÁ-JIREEH –
O Senhor que provê Gênesis 22.14.

Quando o reino de Deus se concretizar sobre a terra, ele será conhecido como: JEOVÁ SHAMMAH –
“O Senhor está ali.” Ezequiel 48-35.

JEOVÁ-SABAOTE –
“O Senhor dos Exércitos” (I Samuel 1.3). Esse nome revela liderança e Domínio pessoais.

JEOVÁ-ELOIM –
“O Senhor Altíssimo” (Salmo 97.9) Esse nome revela supremacia e soberania absoluta de Deus. Ele é o Transcendental.

JEOVÁ-M’KADDISH –
“O Senhor que voz santifica” (Êxodo 31.1). Revela purificação pessoal, Deus separa do pecado e para si mesmo aqueles quem ama.

Os nomes que são atribuídos a Deus nas Escrituras, indicam sua personalidade:


EL – (Deus) é usado em certas combinações.


EL-ELYON – (Gênesis 14.18-20), o “Deus Altíssimo” o Deus que é exaltado sobre tudo.

EL GIBBER
- (Isaias 9.6), “O Deus Forte”

EL SHADAY
– (Êxodo 6.3) o “Deus que é suficiente para as necessidades do seu povo.”

EL-OLAM
– (Gênesis 21.33), o “Eterno Deus”.

EL-EMANU
“Deus conosco”

ADONAI Significa literalmente Senhor ou Mestre e da idéia de governo e domínio. Este nome no Novo Testamento aplica-se a Cristo glorificado. (Êxodo 23.17; Is 10.16.33)

PAI – Usado tanto no AT como no NT. Em significado mais amplo descreve a Deus como sendo a fonte e todas as coisas e criador do homem. Todavia essa relação não garante a salvação. Somente aqueles que recebem a Cristo são filhos no sentido íntimo de salvação. João 1.2-13

Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Vamos simplificar a Vida?

Deus, mesmo sendo invisível aos nossos olhos; deixa-nos sinais em todos os lugares: na manhã que nasce calma, no dia que transcorre com o calor do sol ou com a chuva que molha a relva. Basta olhar ao redor.


Por vezes, nos comportamos como incrédulos, apesar dos sinais, apesar dos livramentos, não confiamos na providência divina, nos desesperamos, queremos resolver as coisas do nosso jeito, no nosso tempo.

Muito bonito declarar que todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus e vivem segundo o seu propósito, o difícil e fazer disso realidade no nosso dia a dia, o difícil é crer que situações adversas são provas permitidas pelo Senhor para que cresçamos na fé e possamos lidar com provas mais difíceis à frente.

O difícil é entender que o que cremos ser bom hoje, pode nos trazer conseqüências terríveis em um futuro não tão distante.

Lindo declarar que Deus é bom e que sua benignidade dura para sempre, todavia ao sinal da primeira contrariedade ou obstáculo, enchemos os nossos lábios com murmurações e abrimos uma avenida enorme para Satanás nos oprimir.

Porque será que esquecemos tão rápido o poder, a soberania e as promessas de Deus

Quero lembrar que mesmo em momentos de agonia e desespero, podemos recorrer ao nosso Pai Celestial, pois temos inúmeras promessas de consolo e conforto em sua Palavra. Confira:

Quando você diz: “Não posso resolver...“ Deus diz: “Eu dirijo os teus passos” (Pv. 3:5-6)

Quando você diz: “É impossível...“ Deus diz: “Tudo é possível” (Lc. 18:27)

Quando você diz: “Me sinto só...“ Deus diz: “Não Te deixarei, nem Te desamparei” (Hb. 13:5)

Quando você diz: “Eu não posso fazer...“ Deus diz: “Tudo podes” (Fp. 4:13)

Quando você diz: “Não mereço perdão...“ Deus diz: “Eu Te perdôo” (1João 1:9; Rm. 8:1)

Quando você diz: “Tenho medo...“ Deus diz: “Não Temas, EU estou contigo” (Is. 41:10)

Quando você diz: “Estou muito cansado...“ Deus diz: “EU te farei descansar” (MT. 11:28-30)

Quando você diz: “Ninguém me Ama de Verdade...“ Deus diz: “EU TE AMO” (João 3:16 ; João 13:34)

Quando você diz: “Não sei como seguir...“ - Deus diz: “EU Te ensinarei o Caminho” (Sl. 32:5)

Quando você pergunta: “Que Caminho me conduz a Deus?“ - Deus diz: “Meu Filho Amado Jesus Cristo” (1 Tm. 2:5; Atos 4:12; João 3:16)

Para quem Deus e a Palavra d`Ele são reais de fato, não tem que continuar sofrendo e levando rasteira do maligno, mas simplesmente fazer o que as Escrituras orientam no Salmo 37.5 quando diz: Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará.

Mas a Palavra ainda faz um alerta no Salmo 118.8 (o versículo central da Bíblia): É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem.

Pra que complicar se podemos simplificar as coisas?


Como?


Simplesmente crendo!!


Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Quem é você ???? – Texto de Jorge Linhares

Precisamos ser sábios, usar nossa inteligência e questionar mais as coisas.

Devemos nos posicionar corretamente diante dos ensinamentos, das novidades, dos modismos que surgem. Temos de analisar, pedir a direção de Deus.
O apóstolo Paulo, em Gálatas 5.1-12, faz uma advertência à igreja. Ele diz:

Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.

Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. De novo, testifico a todo homem que se deixa circuncidar que está obrigado a guardar toda a lei. De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes.

Porque nós, pelo Espírito Santo, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé. Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua pelo amor.Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes a obedecer à verdade? Esta persuasão não vem daquele que vos chama .Um pouco de fermento leveda toda a massa.

Confio de vós, no Senhor, que não alimentareis nenhum outro sentimento; mas aquele que vos perturba, seja ele quem for, sofrerá a condenação. Eu, porém, irmãos, se ainda prego a circuncisão, por que continuo sendo perseguido? Logo, está desfeito o escândalo da cruz.

Tomara até se mutilassem os que vos incitam à rebeldia.”(Gálatas 5.1-12)

Paulo, como instrumento nas mãos de Deus, está alertando os gálatas sobre uma interrupção que ocorreu no processo deles. Ele lhes diz que iam muito bem, mas que se deixaram levar por “ventos contrários”.

É impossível nos mantermos na caminhada com Cristo se nos mostramos oscilantes, sem firmeza nos posicionamentos. É impossível nos mantermos firmes se não tivermos plena consciência de quem somos.

Você sabe quem você é? Sabe qual é a sua identidade? Há vários exemplos de homens e mulheres sem identidade – no passado e hoje também.

Aquele que não sabe quem é segue qualquer tipo de “novidade”.

O primeiro a sofrer de crise de identidade, foi Lúcifer. Ele não entendeu que o Senhor lhe havia feito “querubim da guarda, ungido”, o “sinete da perfeição”. Como não sabia quem era, desejou ser igual a Deus.

E isso ocorre com todos aqueles que não sabem quem são. Acabam se fixando em outras pessoas, em modelos que eles criam para si.

Foi o que aconteceu com um dos maiores artistas pop da atualidade. Ele chegou ao ponto de mudar de raça. Ele queria ser branco, e não negro.
Quem não tem identidade própria pode se tornar qualquer coisa.

O diabo se aproveita disso. Ele tentou fazer com que Jesus se desviasse de sua missão. Para isso, lançou dúvida sobre a identidade do Senhor: “Se és filho de Deus...” (Mt 4.3).

Mas com Jesus, Satanás não conseguiu nada. Sabe por quê? Porque Jesus sabe quem ele é. E o que temos de fazer é isso também. Temos de ser como Jesus. Temos de saber quem somos. Quem é você?

A Graça e a Paz de Cristo Jesus.

Moacir Neto

domingo, 26 de setembro de 2010

Bisturis Enferrujados

Deus pode usar um homem espiritualmente fraco para efetuar uma cura.

Em situação emergencial, o médico pode fazer uma intervenção cirúrgica usando uma caneta ou um bisturi enferrujado.

Na verdade, não somos canais perfeitos nas mãos de Deus.

E, todos, somos usados por Deus para abençoar as pessoas e até curá-las.

As pessoas sobre as quais Jesus se referiu - Mt 7.22,23 - são as que passaram da linha vermelha, não se arrependeram de suas transgressões, resistiram até o fim da vida aos apelos do Espírito do Senhor, e, então, na morte, receberam o merecido castigo.

Deus operou milagres através delas; elas profetizaram e expulsaram demônios; foram "bisturis enferrujados'” usados por Deus, mas não vigiaram nem oraram, e caíram em desgraça.

É impossível que a expulsão de demônios, praticada por elas, tenha sido obra de Satanás: "E se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo" (Mt 12.26).

Deus cura a quem ele quer curar. Pode até curar um ímpio e não curar um crente, tudo conforme Seu propósito e soberana vontade.

O sofrimento nem sempre é algo ruim aos olhos de Deus.

É um meio de alcançar graça, de apressar a reconciliação, de se fortalecer em oração, de buscar mais o Senhor, de se distanciar mais do pecado, de buscar mais santidade e perfeição.

Deus castiga e repreende aquela a quem ama.

Qualquer tipo de castigo é sofrimento.

Uma dor de dente é um sofrimento.

Há vários aspectos a considerar sobre esse tema.

Quando batemos em nosso filho, estamos fazendo-o sofrer.

Que tal o sofrimento de uma nação inteira, por 70 anos vivendo em terras estranhas, numa cultura diferente?

Foi isto que Deus fez com seu povo.

Muitas pessoas foram salvas em meio a intenso sofrimento.

Não é que Deus tenha prazer nisso; é que Ele sabe que é um meio eficaz.

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz

sábado, 25 de setembro de 2010

A parábola dos homens sanduíche - Texto de Max Lucado

Eu sou a voz do que clama no deserto: “Endireitai o caminho do Senhor”. João 1:23

Os rostos dos três homens estavam sérios quando o prefeito os informou sobre a catástrofe: “As chuvas destruíram a ponte. Durante a noite muitos carros foram para o precipício e caíram no rio”.
“O que nós podemos fazer?” um deles perguntou.

“Vocês precisam ficar ao lado da estrada e avisar aos motoristas para não virarem à esquerda. Digam a eles para pegarem a estrada estreita que segue ao lado do rio”.

“Mas eles dirigem muito rápido! Como podemos avisá-los?”

“Vestindo esses cartazes sanduíches”, o prefeito explicou, pegando três cartazes duplos de madeira unidos de forma a ficarem pendurados nos ombros de uma pessoa. “Fiquem nos cruzamentos para que os motoristas possam ver estes cartazes até que eu consiga alguém para consertar a ponte”.

E então os homens foram rapidamente para a curva perigosa e colocaram os cartazes apoiados em seus ombros.“Os motoristas deveriam ver a mim primeiro”, falou um deles. Os outros concordaram. O cartaz dele avisava “Ponte Quebrada!” Ele caminhou vários metros antes de virar e ficar em seu posto.

“Talvez eu devesse ser o segundo, para que os motoristas diminuam a velocidade,” falou o homem cujo cartaz dizia “Diminuam a Velocidade”. “Boa idéia,” concordou o terceiro.

“Eu ficarei aqui na curva para que as pessoas saiam da estrada larga e entrem na estreita”. Em seu cartaz estava apenas “Peguem a Estrada Certa” e tinha um dedo apontando na direção da estrada segura.

E então os três homens ficaram com seus três cartazes prontos para alertarem os viajantes sobre a ponte quebrada. Conforme os carros se aproximavam, o primeiro homem ficava em pé de modo que os motoristas pudessem ler: “Ponte Quebrada”.

Então o próximo sinalizava para seu cartaz, avisando os carros “Diminuam a Velocidade”. E conforme os motoristas obedeciam, eles então veriam o terceiro cartaz, “Peguem a Estrada Certa”. E, apesar da estrada ser estreita, os carros obedeciam e ficavam seguros. Centenas de vidas foram salvas pelos três homens-sanduíches. Por eles terem feito seus trabalhos, muitas pessoas foram mantidas fora de perigo.

Mas depois de poucas horas eles relaxaram em suas tarefas. O primeiro homem dormiu. “Ficarei sentado onde as pessoas possam ver meu cartaz enquanto eu durmo”, ele decidiu. Então ele tirou seu cartaz de seus ombros e o apoiou contra uma pedra. Ele se inclinou no cartaz e dormiu. Enquanto ele dormia, seu braço escorregou sobre o cartaz bloqueando uma das duas palavras. Então ao invés de se ler “Ponte Quebrada”, seu cartaz apenas dizia “Ponte”.

O segundo não ficou cansado, mas ficou orgulhoso. Quanto mais avisava as pessoas, mais importante se sentia. Alguns até paravam no acostamento para agradecê-lo pelo trabalho bem feito. “Nós poderíamos ter morrido se você não nos tivesse dito para diminuirmos a velocidade”, eles aplaudiam. “Você está muito certo”, ele pensava consigo mesmo. “Quantas pessoas estariam perdidas se não fosse por mim?”. Agora ele chegou a pensar que ele era tão importante quanto seu cartaz. Então tirou o cartaz, colocou no chão, e ficou ao lado dele. Quando fez isso, não percebeu que ele, também, estava bloqueando uma palavra de seu aviso. Ele estava na frente da palavra “Velocidade”. Tudo que os motoristas conseguiam ler era a palavra “Diminuam”. Muitos pensaram que ele estava fazendo propaganda de um plano de dieta.

O terceiro homem não estava cansado como o primeiro nem orgulhoso como o segundo. Mas ele estava preocupado com a mensagem de seu cartaz. “Peguem a Estrada Certa”, dizia. Ele ficou inquieto por sua mensagem ser tão inflexível, tão rígida. “Deveria ser dada uma opção para as pessoas. Quem sou eu para dizer a elas qual é a estrada certa e qual é a estrada errada?”. Então ele decidiu mudar a frase do cartaz. Ele fez um traço na palavra “Peguem” e alterou para “Prefiram”. “Humm”, ele pensou, “ainda está muito estridente. É melhor não moralizar. Então ele fez um traço na palavra “Prefiram” e escreveu “Sugiro”. Ainda não parecia certo, “Pode ser que ofenda as pessoas se elas pensarem que eu esteja sugerindo que sei algo que elas não sabem”. Então ele pensou e pensou e finalmente fez um traço na palavra “Sugiro” e a trocou por uma frase mais neutra.“Ahh, agora está certo”, ele disse a si mesmo enquanto se afastava e lia as palavras:“Estrada Certa – Uma de Duas Alternativas Igualmente Válidas”.E então, enquanto o primeiro homem dormia, o segundo ficava parado e o terceiro alterava a mensagem, um carro após o outro mergulhava no rio.

Notas:
Traduzido por Cynthia Rosa de Andrade Marques Almeida.
Texto original extraído do site http://www.maxlucado.com/

Para reflexão dos ministros da Palavra de Deus.

A Graça e a Paz de Cristo Jesus

Moacir Neto