terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Tragédias, dor, desespero, caos... morte! Deus!!!

Grande é o SENHOR, e muito digno de louvor, e a sua grandeza inescrutável. Uma geração louvará as tuas obras à outra geração, e anunciarão as tuas proezas. Falarei da magnificência gloriosa da tua majestade e das tuas obras maravilhosas. E se falará da força dos teus feitos terríveis; e contarei a tua grandeza. Proferirão abundantemente a memória da tua grande bondade, e cantarão a tua justiça. Piedoso e benigno é o SENHOR, sofredor e de grande misericórdia. (Sl.145.3-8)


Deus é perfeito, criou o ser humano de forma grandiosa, dotado de sabedoria, com inteligência e imaginação que podem atingir patamares elevados. Tenho visto criações fenomenais que me deixam perplexa pela beleza e criatividade.

Realmente, Deus foi e tem sido muito generoso como a humanidade.

Fomos criados para usar todo esse potencial com o objetivo principal de glorificar ao Rei dos reis, todavia a desobediência e o pecado cegaram o entendimento do homem, desvirtuando o propósito original.

A sede por crescimento desmedido e sem planejamento acabou provocando uma série de agressões contra a sociedade e a natureza.

Podemos ver as conseqüências dos nossos atos através das calamidades e/ou tragédias como essa da região serrana do Rio de Janeiro e de outras regiões do país. Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. (Gl.6.7)

É a Lei da semeadura, esses são os frutos que a humanidade tem colhido, e olha que é só o começo: Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá terremotos em diversos lugares, e haverá fomes e tribulações. Estas coisas são os princípios das dores. (Mc. 13.8)

A auto suficiência substituiu o que deveria ser a dependência de Deus.

Precisamos olhar com amor e alegria tudo o que nos foi concedido pelo Pai Celestial; mudar o nosso foco. Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas. 2Co. 4.18

Os bens materiais e os prazeres da carne não podem, nem devem ser o nosso alvo, pois eles não nos tornam melhores ou maiores do que somos, muito pelo contrário, podem ser instrumentos geradores de orgulho e soberba e impedir a ação abençoadora de Deus em nossas vidas.

O resultado do circulo vicioso é o que estamos presenciando, dor, sofrimento, desespero e morte.

É necessário que busquemos força e segurança em Deus. E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar. (2Cr. 7.14)

O escritor Max Lucado, em seu livro a Grande Casa de Deus diz: “Se Deus é capaz de por as estrelas em órbita, suspender o céu como uma cortina, você acha que é remotamente possível que Ele seja capaz de guiá-lo?”

Deus continua sendo perfeito, grandioso e misericordioso, porém precisamos cumprir a nossa parte, mudar o foco para as coisas do alto e, tenha certeza, que as mãos dele não estão encolhidas nem seus ouvidos tapados para o clamor de seu povo.

O SENHOR sustenta a todos os que caem, e levanta a todos os abatidos. Os olhos de todos esperam em ti, e lhes dás o seu mantimento a seu tempo. Abres a tua mão, e fartas os desejos de todos os viventes. Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras. Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade. Ele cumprirá o desejo dos que o temem; ouvirá o seu clamor, e os salvará. (Sl.145.14-19)

Assim como Deus teve misericórdia do povo de Israel toda vez que arrependidos clamavam, Ele também quer ser misericordioso com a nossa geração.

Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz