domingo, 3 de abril de 2011

Você Prefere Ser Feliz ou Ter Razão?

Amados em Cristo, estava vendo uma situação que ocorre com todos nós, a necessidade de estarmos sempre certos. De onde veio isso? Quando parti para buscar na bíblia, buscando referência para o assunto, a primeira pessoa que teve este desejo de estar certo foi Adão. Em Gênesis 3.11-12 ao ser questionado por Deus sobre ter comido o fruto da árvore do conhecimento, ele imediatamente jogou a culpa na "mulher que Tu me deste". Ou seja, na cabeça de Adão, quem errou foi Eva em ter dado o fruto e Deus que deu Eva para ele, mas ele não. Já pararam para pensar o quanto é desagradável este tipo de situação? Como é chato conversar com pessoas que tem esta necessidade mais aflorada.

Eu não sou diferente de Adão ou de você, nobre leitor irmão em Cristo, eu também tenho necessidade de estar certo. Basta alguém pisar no meu calo para eu de imediato expor toda a minha argumentação sobre o que eu acredito ser o certo. Não foi uma nem duas situações em que ao ser confrontado, fiz minha defesa jogando culpa nos outros. Muitas vezes, realmente estamos certos porém o que quero compartilhar com os irmãos hoje é sobre o limite que precisamos ter em relação a esta necessidade.

Existem pessoas que para se defenderem, usam de 2 artifícios terríveis para provar que estão certas:

1) A mentira

Este é o pior caminho e infelizmente, o mais usado. Tem pessoas que mentem ao inventar situações, calúnias, ofensas que não existiram e pasmem, inventar sermões de pastores em que ouviram posições deles sobre o assunto antes.

A mentira vêm do diabo! É a única paternidade que a bíblia atribui a ele. A única criação do diabo foi a mentira e aqueles que usam deste artifício estão se fazendo filhos do diabo, conforme João 8.44.

Se usamos a mentira, é porque estamos errados e partindo para outro erro que é o da manipulação. Vamos vigiar a nossa natureza porque ela tende para o mal.

2) O erro dos outros

Infelizmente as pessoas usam isto. "Ah, eu só fiz isso porque vi fulano fazer". Que tristeza... Usar do erro dos outros para justificar o nosso próprio erro. Que falta de personalidade e amor próprio. Agir assim, é o mesmo que sair de um poço de lama, se limpar e após estar limpinho, se jogar em cima dele novamente.
Irmãos, que limite é este que estamos dando a nós? O Jogo do "vale tudo" desde que eu continue estando certo para os outros? Onde fica a Palavra de Deus neste momento?

O erro dos outros não pode ser base para defendermos que estamos certos. Não pode ser a base para convencermos outras pessoas que estamos certos. E tem gente que joga tão baixo em relação a isto, que ao fazerem algo que desagrada um irmão, acham ruim que este irmão ofendido tenha o mesmo procedimento dele. Para clarear mais isto, vou compartilhar uma situação de alguém que eu conheço:

"Certa vez, uma pessoa me contou que se sentiu ofendido porque um irmão em Cristo ofendeu seu cachorro ao brincar sugerindo um nome demoníaco para o cachorro de 'mulambo'. Esta pessoa para devolver a ofensa, disse que na verdade o nome do cachorro deveria ser o nome do irmão." Olha se tem base uma coisa desta?!?! O irmão que brincou, óbviamente se sentiu muito ofendido e decidiu não falar mais nada e simplesmente tratou o outro irmão com seriedade e sem uma oportunidade para nova ofensa. E sabe o que foi engraçado? O verdadeiro ofensor, além de se considerar correto ao chamar indiretamente de cachorro o irmão, ficou ofendido com a reação deste. Só que a reação que teve o irmãos ofendido é a mesma que ele tem quando alguém o ofende.

Outro dia, conversando a respeito desta situação,  ao confrontar esta pessoa que literalmente ofendeu o irmão, com uma atitude que outra pessoa tinha tido em relação a uma situação, agindo com muita falsidade, o ofensor quis se valer desta história para justificar o erro da tal pessoa falsa. Só Jesus...

Aonde vamos parar com esta necessidade de estarmos certos?

Usar estes artifícios é ir contra a Palavra de Deus. É querer ser como Saul, que não via problema estar errado diante de Deus desde que tivesse a aprovação dos homens.

Primeiro, já vimos que é uma necessidade comportamental da humanidade. Começou em Adão e está em mim e em você até hoje. A questão está no limite que damos a esta necessidade.

Segundo, é lícito nos defendermos, dentro da verdade. Se precisamos mentir para estarmos certos já deixou de ser lícito e se tornou maligna esta necessidade.

Por fim, o que podemos notar é que quando estamos com este desejo de estarmos sempre certos, as situações não morrem para nós ou dentro de nós. Vai se passar 20 anos e ao tocar no assunto a necessidade vai renascer e nunca vai morrer com o tempo. É como se estivessemos buscando nosso próprio sofrimento.

Vamos orar ao Senhor Jesus, para que Ele nos livre deste comportamento e que possamos sim, estar a cada dia respaldados pela Palavra de Deus. E entre ser feliz ou ter razão, vamos escolher sermos felizes.


A Graça e a Paz de Cristo Jesus.

Moacir Neto