domingo, 31 de julho de 2011

Nossa luta não é contra carne ou sangue


Ref: Efésios 6.10-20

Existem coisas que não somente aprendemos, mas que passam a fazer parte da nossa vida.

Coisas importantes ficaram gravadas na minha memória, e nem todas elas eram para a época que eu as ouvi. Existem lições preciosas que escutamos que não serão aplicadas no momento presente, mas no futuro. 

Uma das coisas que aprendi e foi muito bom para minha vida foi a participação num culto de libertação na minha mocidade. Nesse culto aprendi uma gota das artimanhas do diabo. No texto de Efésios vemos que estamos numa luta espiritual muito grande.

Quando temos uma luta física; uma doença, por exemplo, existem forças espirituais por trás. O mundo invisível e mais real do que o visível. 

Olhamos para as pessoas e não sabemos as lutas que elas passam. Muitos sorriem por fora, mas passam grandes lutas interiores. O mundo visível é menor do que o invisível. 

Há os que esboçam satisfação por nossas vitórias, mas por dentro se remoem de inveja. Ou seja; vemos o visível, mas o invisível não.

Pela Palavra de Deus, o apóstolo Paulo diz que nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra demônios. Às vezes coisas simples nos entristecem. Discussão em casa por causa de dinheiro, por causa de roupa, etc. O cenário é influenciado por forças malignas e nem percebemos.

O diabo é mestre em transformar ambientes de paz em guerra. A confusão pode começar com um olhar, com uma palavra, com uma atitude impensada.

Quantas pessoas envolvem-se malignamente com a internet e não vêem as conseqüências daquela atitude em suas vidas?

Precisamos procurar o revestimento do alto, porque assim quando o diabo vir com seus ataques poderemos resisti-lo no nome do Senhor Jesus. 

O rei Salomão não pediu dinheiro, domínio sobre o exército, auxiliares, saúde... porque ele tinha tudo isso. Ele pediu sabedoria. Porém Salomão começou a abusar e envolver-se com mulheres de todas as nações e passou a fazer orgias com elas. 

Aquelas mulheres atrapalharam o caráter de Salomão e ele não percebeu que existia forças espirituais por trás daquelas mulheres o desvirtuando do caminho do Senhor. 

Precisamos ter discernimento espiritual no nosso dia a dia. Revesti-vos de toda armadura.” As ciladas vêem e não podemos cair nelas. Você ganhou uma bebida? Não guarde, jogue fora. Não abra portas para satanás destruir sua vida. 

Não assista DVD’s pornográficos com seu cônjuge, não guarde bebidas na sua casa, não perca o temor de Deus, não fique achando que o pecado é normal. 

A luta é espiritual! Não pense que os problemas entre você sua sogra são normais, eles são espirituais.
 

Tome cuidado, porque a nossa luta não é contra carne ou sangue, mas contra potestades que querem destruir vidas. 

A Palavra de Deus é proteção, alimento para as nossas vidas. Não pare de ler a Bíblia, ela o fortalecerá durante o dia e se o diabo se levantar contra sua vida, não alcançará êxito, porque você se revestiu com a Palavra de Deus.

Precisamos entender também que satanás tenta depravar as pessoas através dos olhos. Por exemplo: a pornografia está associada a pedofilia. É comprovado esse dado. Tome cuidado com o que você vê. Com o que você aceita. O diabo transforma as pessoas em lixo. O salário do pecado é a morte!”

Também não se deixe revoltar contra Deus. O ser humano é insaciável, Deus o abençoa com prosperidade e mesmo nunca fica satisfeito. Satanás faz as pessoas se rebelarem contra Deus e contra as autoridades e as pessoas esquecem-se de todo o favor dado pelo Senhor. A rebelião e a ingratidão são fomentadas no mundo espiritual. 

“Com toda a oração e súplica, orando em todo o tempo no Espírito e pra o mesmo fim, vigiando com toda perseverança e suplica, por todos os santos.” Ef 6.18.

Se não identificarmos que a luta é espiritual, não teremos como resistir os demônios que estão por trás da situação.

Peça a Deus discernimento espiritual, resista o diabo e ele fugirá de você. 

Autoria: Pr. Jorge Linhares

Por Lidiomar

Graça e Paz

sábado, 30 de julho de 2011

Ser Cheio e Ficar Cheio do Espírito Santo


Duas expressões empregadas no Novo Testamento às vezes intrigam os cristãos: ser cheio e ficar cheio. Algumas pessoas fazem distinção entre as duas.

Eu concordo que possa haver urna distinção, se bem que mínima. Por exemplo, ser cheio do Espírito se refere, parece-me, ao "estado" do crente. Eu acho que João Batista e o apóstolo Paulo estavam sempre cheios do Espírito; era um estado contínuo.

Para eles, no entanto, "ficar cheio do Espírito" também podia se referir a uma capacitação ou "confirmação" particular e ocasional para um propósito e uma tarefa especial.

Alguns dos santos do Novo Testamento que Deus usou para tarefas especiais "ficaram cheios do Espírito". Talvez não fossem capazes de suportar esta sobrecarga de poder sempre; mas em momentos de grande necessidade eles a recebiam por tempo determinado.

Eu tenho certeza que Deus nos dá força do Espírito Santo na proporção dos tarefas a nós confiadas.

Nós temos um amigo que é pastor presbiteriano aposentado. Seu pai operava um bate-estacas. Ele contou que uma vez observou os enormes bate-estacas levando estacas para o leito do rio Mississipi, porque iam fazer uma ponte. Cada estaca era erguida no lugar determinado e, com uma enorme roncada do bate-estacas, fixada com firmeza no fundo do rio. 

À tarde o menino, Grier Davis, estava brincando em sua cancha de areia, tentando imitar o que tinha visto de manhã. Mas com todo o esforço ele não conseguia enfiar seus pedaços de madeira na areia como tinha visto os bate-estacas fazerem com os pilares no rio.

Então teve uma idéia brilhante. Correndo para Seu pai, pediu-lhe permissão para emprestar um dos bate-estacas. Com uma risada o pai lhe explicou que o bate-estacas era muito grande para o pequeno trabalho que ele queria fazer, e que um martelo seria mais útil.

Assim é com o poder do Espírito Santo. Quando Deus nos incumbe de algo, Ele também dá o poder para realizá-lo. Por isso ser cheio do Espírito deveria ser a condição normal do cristão, porque estamos sempre sendo enchidas.

Mas, então, o que fazer das diversas ocasiões específicas em que pessoas ficaram cheias do Espirito, mencionadas no livro de Atos?

Dr. Merrill C. Tenney ilustra isto com uma casa de cidade: A maioria das casas estão ligadas à rede de água da cidade. Esta supre a casa com a água suficiente para a vida normal. Mas se ocorrer um incêndio, os bombeiros usarão um hidrante da rua para terem mais água para enfrentar o fogo.


"Ser cheio" do Espírito é como esta casa que sempre tem água.

"Ficar cheio", como os apóstolos em Atos 4:31, é receber energia e poder extra para um serviço especial. "Tendo eles orado . . . todos ficaram cheios do Espírito Santo, e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus" (Atos 4:31).

Para esta tarefa especial de persistir na evangelização mesmo contra a violenta oposição da liderança religiosa, os discípulos precisavam ficar especialmente cheios do poder de Deus.

Eles tinham "estado cheios do Espírito" o tempo todo; agora precisavam "ficar especialmente cheios" para estar à altura das exigências especiais que lhes eram feitas.

Extraído do Livro O PODER DO ESPÍRITO  SANTO de autoria de Billy Graham

Por Lidiomar

Graça e Paz


sexta-feira, 29 de julho de 2011

Os Grandes Teimosos


Quem é repreendido  muitas vezes e teima em não se corrigir cairá de repente na desgraça e não  poderá escapar (PV. 29.11). 
  
INTRODUÇÃO

Definição de teimoso e teimar
Indivíduo que teima, Indivíduo  insistente, Criança birrenta.

Teimar
Insistir,  obstinar-se, porfiar, pretender com teimosia: Ser importuno ou maçador,  insistindo no mesmo assunto ou pedido: Boneco que está sempre de pé por causa de um peso de chumbo que tem na parte  inferior. 

Um sentido positivo. Obstinada, insistente, determinado,

Sentido negativo. Habito de teimar, birrento, importuno, insiste no erro,  não reconhece o erro.

Você é teimoso? 

Dois casos Bíblicos de um ímpio e um profeta, maiores teimosos da Bíblia: Faraó e Jonas

A TEIMOSIA DE FARAÓ. 
As dez pragas 
1 - Águas em Sangue:
2- A praga das rãs:
3- Piolhos:
4- Moscas:
5- Peste no gado:
6- Úlceras e tumores:
7- A Saraiva:
8- Os gafanhotos:
9- Três dias de escuridão:
10- A morte dos primogênitos.

Depois de tudo isto ele ainda  perseguiu o povo de Deus, e se deu mal no mar. Quanta teimosia!

Conseqüências  da sua teimosia 

Sofrimento do seu povo, sérios prejuízos econômicos, morte do seu filho, morte de seus soldados, Sua própria destruição

TEIMOSIA DE JONAS.
Faraó era ímpio, não conhecia  a Deus, mas agora falamos de um profeta, um homem de Deus.

Não podemos acusá-lo de  covarde, ele foi muito corajoso. Desobedecer a Deus, enfrentar um mar agitado,  decretar sua pena de morte, uma baleia.

Mas foi extremamente teimoso.  Deus manda ir pra Nínive vai para Tarsis, porão do Navio agitado, me joguem no  mar, mesmo engolido pela baleia, foi clamar no terceiro dia, Bota teimoso  nisso.

Conseqüências  de sua teimosia.

Foi pra longe de Nínive e  longe de Deus (Fugiu de Deus);

Sofreu tremendamente e  desnecessariamente;
 
Correu o risco de morrer e ir  pro inferno;

Colocou em risco a salvação  de uma cidade inteira (mais de 120 mil pessoas).


CONCLUSÃO

E você é teimoso?

Sabe que está  errado mas não da o braço a torcer

Insiste no erro mesmo sabendo  das sérias conseqüências

Como sacerdote esta  prejudicando toda sua família e muita gente e não volta atrás

Tomou uma posição ou caminho  errado e não quer voltar atrás (Já viu alguém perdido que pensa que esta no  caminho certo)

A Teimosia esta ligada a  Arrogância, egoísmo, soberba, orgulho.

A Teimosia leva a  conseqüências desastrosas. A orientação é “Lembra-te onde caístes e volta a  pratica das primeiras boas obras

Que tal acabar com essa  teimosia e render-se inteiramente a vontade de Deus e uma nova vida.

Autoria: Pr. Ronaldo Cabrera

Por Lidiomar

Graça e Paz


quinta-feira, 28 de julho de 2011

A Necessidade do Desenvolvimento


Desenvolver, no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, signifi­ca, dentre outras coisas, "tirar o que envolve ou cobre; desembrulhar; Jazer crescer ou crescer; tornar(-se) maior, mais forte, mais volumoso; conduzir ou caminhar para um estágio mais avançado ou eficaz; fazer progredir ou progredir". 

O potencial que temos em nós é algo grandioso, mas não terá valor nenhum se não lhe dermos uma forma ou expressão definida para que nós mesmos e outros nos beneficiemos dele. 

Em 1 Pedro 4.10: Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus, vemos que é preciso desenvolver e exer­cer nossos dons com o objetivo de abençoarmos uns aos outros. Aliás, é justamente para isso que Deus nos concede dons: para que possamos ser uma bênção para outros. 

Muitas vezes alegamos que estamos nos sentindo solitários ou entediados, mas isso não é desculpa para o comodismo, pois sempre há alguém que precisa do que temos em nós. Basta irmos ao encontro dessas pessoas e começarmos a empregar os nossos dons em favor delas.

Um construtor pode ter muitos planos em seu escritório para uma nova empreitada, mas ninguém verá esses planos se tornarem realidade enquanto o construtor não os pegar e colocá-los em prática. 

O mesmo se aplica à igreja. Quantos de nós temos ótimas idéias e grandes planos, mas nunca os colocamos em prá­tica? 

Muitos de nós temos grandes sonhos, mas não conseguimos fazer um esforço prático e dedicado para desenvolver nosso po­tencial e transformar esses sonhos em realidade em nossa vida. 

Quais são os elos que fazem a ligação entre o desenvolvimento do potencial e a sua concretização? 

Na verdade, nada há de tão profundamente espiritual que ninguém possa compreen­der, mas sim algo bem simples; coisas rotineiras, como o tempo, a determinação e o trabalho árduo. 

Ser determinado é uma atitude pessoal; ninguém pode sê-lo por nós. Precisamos, pessoalmente, ser determinados; do contrá­rio, o diabo roubará de nós tudo o que temos. Entretanto, embo­ra devamos ser determinados, não devemos chegar ao extremo de viver exclusivamente para o trabalho. Precisamos de equilíbrio nessa área, assim como em todas as outras da vida.


O Senhor disse ao meu marido, Dave, que era hora de começarmos o ministério na televisão, numa época em que estávamos começando a nos sentir acomodados com nosso programa de rádio. 

Obviamente tínhamos o potencial para fazer isso, mas ele tinha de ser desenvolvido. E esse tipo de desenvolvimento não acontece se permanecermos sentados tranqüilamente numa ca­deira de balanço! 

Costumo dizer: "Se você pretende andar com Deus, lembre-se de que não há aposentadoria!" 

Não importa nossa idade, ou situação; transformar o potencial em realidade exige de nós investimento de tempo, determinação e disposição de trabalhar arduamente. 

Extraído do livro A formação de um líder de autoria de Joyce Meyer 

Por Lidiomar 

Graça e Paz              



quarta-feira, 27 de julho de 2011

Como Resolver Conflitos nos Relacionamentos


Certo homem tinha seus bens na cidade do Carmelo, era muito rico. Possuía três mil ovelhas e mil cabras. Seu nome era Nabal, e o nome de sua mulher Abigail, mulher inteligente e bonita; mas seu marido era rude e maligno em toda a sua maneira de viver. (1Sm. 25.2-3)

“Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias”. (Thomas Fuller)

Todas as pessoas experimentam conflitos relacionais. E nem todos eles podem ser modificados. Mas jamais poderemos transformar os conflitos em algo positivo até que os enfrentemos.

Fugir dos conflitos não é a solução.

O poeta português Luis de Camões afirmou que não se aprende na fantasia, sonhando, imaginando ou estudando somente. Aprendemos vendo, tratando e pelejando.

Rever seu relacionamento à luz das atitudes e reações familiares contidas aqui é crucial. Tanto para aquele que enfrenta conflito, como para aquele que deseja alcançar e conservar a felicidade. Tanto quem é bem casado, como quem experimenta a infelicidade de uma relação anômala; todos encontrarão ajuda na extraordinária sabedoria de Abigail, ou serão confrontados ao mirar-se no espelho de Nabal, cujas atitudes não devem ser imitadas.

Prevenir ainda é o melhor remédio. 

Os solteiros devem aprender a não perpetuar os mesmos erros de pessoas insensíveis e irredutíveis que, de contínuo, ferem e causam infelicidade àqueles que convivem com elas. 

Ao rever suas posturas, os solteiros poderão buscar sabedoria para agir com integridade, firmeza e carinho.

Conflitos são, até certo ponto, normais. Ninguém pode viver inteiramente livre deles. 

Na verdade, não são os conflitos que acabam com as melhores ou piores relações. O que determina o fim do relacionamento são as decisões que tomamos diante dos conflitos.

Quem age motivado pela ira, mentira, amargura, irritabilidade e infidelidade, jamais é feliz. 

É a paz que alicerça o amor, e não a ira. 

É a verdade que promove a confiança, e não a mentira. 

É o perdão que traz a reconciliação, e não a amargura. 

É a sensibilidade que permite o diálogo, e não a irritabilidade. 

É a fidelidade que garante que o relacionamento será capaz de durar até a morte, e não a infidelidade. 

Esquecer estas verdades é um convite ao desastre.

Mude suas atitudes ou viva com as conseqüências.

A escolha é sua.

“Uma vitória dentro de nós é mil vezes mais gloriosa do que qualquer vitória fora de nós”. (Henry Ward Beecher)

Extraído do Livro Como Resolver Conflito no Relacionamento de Autoria de Silmar Coelho

Por Lidiomar

Graça e Paz


terça-feira, 26 de julho de 2011

Arrependimento, a manchete do evangelho


João Batista foi o precursor de Jesus, para preparar o caminho de sua chegada. Brandindo a espada do Espírito, conclamou o povo a arrepender-se e a produzir frutos de arrependimento. 

Não se trata de arrepender e novamente se arrepender, mas de arrepender e dar frutos de arrependimento. 

Arrependimento significa mudar de mente e de direção. Implica em mudança. Exige transformação. Impõe um novo rumo com novas atitudes. 

Aqueles que permanecem no erro, mesmo que se desmanchem em lágrimas, não dão provas de arrependimento nem demonstram seus frutos. 

Arrependimento é um tema ausente na maioria dos púlpitos contemporâneos. Nossa geração prefere entreter os pecadores a chamá-los ao arrependimento. Prefere mantê-los sorrindo caminhando para a morte, do que levá-los ao choro do arrependimento para a vida. 

O arrependimento exige mudanças em três áreas vitais da vida: 

1. A razão 

Arrependimento significa mudar de mente. O arrependimento verdadeiro é conceitual. Traz uma nova luz para a mente e faz brotar um novo entendimento da vida e dos valores que a governam.

Uma pessoa arrependida compreende que o pecado é maligníssimo. Uma rebelião contra Deus. Portanto, foge não apenas das consequências do pecado, mas, sobretudo, do pecado. 

Aqueles que se deleitam no pecado e se refestelam nos prazeres da vida, mesmo que derramem lágrimas amargas quando recebem o merecido salário do seu pecado não demonstram um genuíno arrependimento. 

Os frutos do arrependimento só podem ser produzidos por alguém que recebeu a luz da verdade na mente, a convicção do pecado no coração e, consciente e deliberadamente se aparta do pecado como o maior de todos os males.

2. A emoção 

Arrependimento significa sentir tristeza segundo Deus pelo pecado. É demonstrar um profundo pesar por ofender a santidade de Deus. É afastar-se do pecado como uma coisa abominável aos olhos daquele que é puro.

A tristeza segundo Deus produz vida e não morte. Conduz o homem pelas veredas da salvação e não pelos abismos da condenação. 

A tristeza do mundo esmaga, atormenta e mata. A tristeza do mundo produz culpa e remorso, mas não alivia a consciência, porém a tristeza segundo Deus abre a ferida, mas também cura. Convence de pecado, mas também conduz à fonte do perdão.


Arrependimento não é remorso que leva à morte, mas é choro pelo pecado que conduz à vida. Aqueles que se arrependem choram não porque foram flagrados no pecado e agora estão sofrendo as consequências do seu erro, mas choram porque o pecado é mau aos olhos de Deus.

3. A vontade 

Arrependimento significa dar meia volta, mudar de direção e adotar um novo comportamento. Não é arrependimento e novamente arrependimento, mas arrependimento e frutos de arrependimento.

Aqueles que verdadeiramente se arrependem não vivem mais na prática do pecado. Não são mais escravos do pecado. Não vivem mais com o pescoço na coleira do diabo. 

Arrependimento significa abandonar o pecado para deleitar-se na santidade. Significa deixar o reino das trevas e ser transportado para o reino da luz. 

Arrependimento, mais do que sentimento, é atitude. Não é aquilo que falamos apenas, mas aquilo que fazemos. 

Não é discurso diante dos homens, é mudança de vida diante de Deus. 

Não é um desempenho teatral para impressionar as pessoas, mas um quebrantamento sincero diante de Deus. 

Não é rasgar as vestes, mas o coração. 

O arrependimento é a manchete do evangelho, a porta de entrada no reino de Deus, uma exigência inegociável para a salvação. 

Fonte: Hernandes Dias Lopes 

Transcrito por Lidiomar 

Graça e Paz 


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Armas da nossa guerra – Síntese


Visando esclarecer e auxiliar pessoas que sofrem por não conhecer as armas que Deus disponibiliza na Bíblia, deixo abaixo uma relação das principais armas e como usá-las. O importante é praticar e declarar a Palavra de Deus, independente da forma e/ou vocabulário.
  
1. O SANGUE DE JESUS 
Revista os bens físicos, materiais, espirituais, o seu emocional; revista a você, sua casa, seus parentes com o Sangue de Jesus Cristo de Nazaré. "Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro, e pela palavra do seu testemunho e não amaram a sua vida até a morte" (Ap.12:11)

2. O NOME DE JESUS 
TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE. Na Autoridade do Nome de Jesus Cristo de Nazaré, cancele todo o projeto maligno e, profetize: paz, amor, saúde, alegria, prosperidade, provisão, união, comunhão e vitória. “E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai.” (Cl.3.17)

3. ANJOS GUERREIROS DO SENHOR 
Peça ao Senhor que acampe anjos guerreiros em sua casa, empresa, veículos, familiares, vizinhos, amigos, conhecidos, inclusive seus animais. Peça ao Pai que coloque anjos na porta da sua mente, nos seus sonhos, guardando de todo ataque das trevas.

4. ARMADURA DE DEUS
Tome posse da Armadura de Deus completa todos os dias, conforme está na Palavra, em Efésios 6.10 em diante; vista-a da cabeça aos pés, tanto nos bens físicos, quanto materiais, espirituais e no emocional; vista a Armadura de Deus em você, esposa (o), filhos (as), bens, empresa, trabalho, escola, animais, etc.  Vista:

A- CAPACETE DA SALVAÇÃO: Jesus é a nossa salvação “E, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que obedecem”
 Hb 5.9. Vista o capacete da salvação para que a mente não seja manipulada pelo inimigo, para que nem um dardo inflamado ou seta do maligno tenha acesso a você. Para que somente ao Senhor seja dado o poder de orientação e direção sobre sua vida, e que nenhum pensamento que não provenha de Deus tenha acesso à sua mente. Que não seja alvo de manipulação satânica.

B- COURAÇA DA JUSTIÇA: Jesus é a nossa justiça – “Àquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” II Co. 5.21. Para que os órgãos vitais, o emocional e também o físico sejam preservados de toda e qualquer ação que não venha de Deus, pois só Ele é Justiça Nossa.

C- CINTO DA VERDADE: Jesus é a nossa verdade - “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” Jo.14.6. Cingimo-nos com o cinturão da verdade para que somente a Palavra verdadeira tenha acesso a nós e também seja por nós mencionada; Que as distorções e as mentiras, que nos cercam, sejam desmascaradas.

D- SANDÁLIAS DO EVANGELHO DA PAZ: Jesus é nossa preparação – “Eu vos dou a minha paz, não vo-la dou como o mundo a dá”. Calce as suas sandálias da paz, para que possa divulgar a sua palavra em paz, que haja em torno de nós uma muralha, protegendo de qualquer influência ou interferência maligna, pois temos a paz do Senhor como herança.

E- ESCUDO DA FÉ: Jesus é a nossa fé - “E assim, a fé vem pela pregação e a pregação pela Palavra de Cristo” Rm 10.17. Empunhe o escudo da fé, pois Jesus é o escudo da fé, interceptando e apagando todo e qualquer dardo inflamado ou seta maligna.

F – ESPADA DA PALAVRA DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS: Jesus é a palavra viva. “As palavras que eu vos tenho dito, são espírito e são vida” João 6.63. Empunhe a espada do Espírito Santo de Deus desembainhada, com Jesus Cristo à nossa frente como escudo, e com a espada do Espírito Santo (PALAVRA) desembainhada, enfrentamos todo o mal e sairemos vitoriosos. O Sangue do Cordeiro não foi derramado na cruz em vão. E, SE TU ÉS POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS. MAIOR É O QUE HABITA EM NÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO.

G - ORANDO EM TODO TEMPO NO ESPÍRITO: Jesus é quem batiza no espírito. “E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito Santo – sabe qual é sua intenção – porque segundo a vontade de Deus é ele que intercede (perante Deus) pelos Santos.” (Rm. 8.27). Então, quando oramos o Espírito Santo vem em nosso auxílio, une suas fortes súplicas à nossa, intercede diante de Deus por todos nós. Quando Ele nos capacita a orar de acordo com a perfeita vontade de Deus, nossas orações chegam ao seu destino (Rm. 8.26,27).

JOÃO 15:16 – “...a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá.”

LUCAS 10:19 – “Eis aí vos dei poder para pisardes serpentes, e escorpiões; e sobre todo o poder do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano.”

Claro que a nossa maior arma tanto de defesa quanto de ataque se resume principalmente em uma VIDA com Deus.

Lidiomar T. Granatti

Graça e Paz


domingo, 24 de julho de 2011

Quais são os livros perdidos da Bíblia?


Não há “livros perdidos” da Bíblia ou livros que foram removidos da Bíblia. 

Há muitas lendas e rumores de livros “perdidos”, mas não há verdade nenhuma nessas histórias. 

Todo livro que Deus inspirou e queria que fizesse parte da Bíblia está na Bíblia. 

Há literalmente centenas de livros religiosos que foram escritos no mesmo período que os livros da Bíblia. 

Alguns desses livros contêm narrativas verdadeiras sobre coisas que realmente aconteceram (1 Macabeus, por exemplo). Alguns deles contêm bons ensinamentos espirituais (A Sabedoria de Salomão, por exemplo). 

No entanto, esses livros não foram inspirados por Deus. Ao lermos quaisquer desses livros, os livros apócrifos, por exemplo, temos que tratá-los como livros históricos falíveis, não como a inspirada e inerrante Palavra de Deus (2 Timóteo 3:16-17). 

O evangelho de Tomé, por exemplo, foi uma falsificação escrita no terceiro ou quarto século D.C., afirmando ter sido escrito pelo Apóstolo Tomás. Não foi escrito por Tomás. 

Os líderes da igreja primitiva quase unanimemente rejeitaram o evangelho de Tomás por ser herege. Contém muitas coisas falsas e hereges que Jesus supostamente fez ou disse. Nada disso (ou pelo menos muito pouco) era verdade. 

A Epístola de Barnabás não foi escrita pelo Barnabás Bíblico, mas por um impostor. O mesmo pode ser dito do evangelho de Filipe, o apocalipse de Pedro, o livro de Enoque, etc. 

Há um só Deus. A Bíblia tem um Criador. É um livro. Tem um plano de graça, registrado no período de iniciação, por sua execução, até a consumação. 

De predestinação até glorificação, a Bíblia é a história de Deus redimindo Seu povo escolhido para o louvor da Sua glória. 

À medida que os propósitos e planos redentores são descobertos na Bíblia, os temas recorrentes constantemente enfatizados são: o caráter de Deus, o julgamento de pecado e desobediência, a benção de fé e obediência, o Senhor Salvador e sacrifício pelo pecado, o reino e glória que hão de vir. 

É a intenção de Deus que saibamos e entendamos esses cinco temas porque nossas vidas e destinos eternos dependem deles. É impensável que Deus permitiria que parte dessa informação tão vital fosse “perdida” de qualquer forma. 

Não, a Bíblia é completa do jeito que é para que aquele que a lê e entende possa ser “perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16-17). 

Fonte: GotQuestion 

Lidiomar 

Graça e Paz