segunda-feira, 11 de julho de 2011

Seja como a Formiga


Assim corro também eu, não sem meta (sem um alvo definido); assim luto [como um boxeador], não como desferindo golpes no ar. Mas esmurro o meu corpo [lido com ele de modo rígido, disciplino-o por meio das dificuldades] e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.1 Coríntios 9.26-27 

Paulo está dizendo aqui que, se quisermos vencer a corrida, devemos subjugar o corpo. A palavra corpo, aqui, se refere a todas, as paixões carnais. 

No versículo 27, Paulo está falando de autocontrole, abne­gação, moderação do apetite e mortificação da carne. Está dizendo que esmurra o próprio corpo. Ou seja, ele não cede aos "bufetes" (bufês), mas dá "bofetes" em si mesmo. 

A autodisciplina é a qualidade mais importante da nossa vida. O que é autodisciplina? Implica em nos mantermos na direção correta sem que outros nos obriguem a fazê-lo. Implica, por exemplo, levantar cedo porque sabemos que devemos. 

Afinal, como alguém pode ser um líder se nem consegue se levantar da cama pela ma­nhã ?

Ou como poderemos liderar outros se não conseguimos manter limpa nossa própria casa?Preocupo-me ao ver, atualmente, tanta gente que almeja ocu­par posições importantes mas, não quer aceitar as responsabilida­des e os deveres inerentes a essas posições. 

Muitas pessoas passam a vida inteira frustradas porque nunca desenvolveram seu potencial. De fato, sem o desenvolvimento do potencial, os seus sonhos e visões jamais se tornarão realidade. 

É quase inacreditável o número de pessoas frustradas na igreja. 

Contudo, nos, cristãos, devemos ser os seres humanos mais realizados da face da Terra. Devemos ser a luz do mundo; cartas vivas que todos podem ler. Os descrentes deveriam olhar para nós e dizer: "assim que se deve viver a vida!".

Devemos viver de um modo que os outros sintam um anseio ao olhar para nós: o anseio de ter uma vida semelhante à nossa. 

O problema é que, de alguma forma, nos transmitiram a idéia errônea de que tudo nesta vida pode ser obtido com facilidade. 

Acostumamo-nos tanto com máquinas de lavar, secadoras e lavadoras de pra­tos que pensamos que basta apenas apertar um botão e, automáti­camente, obteremos aquilo de que precisamos. Mas até isso já estamos considerando trabalho pesado! 

Reclamamos de ter de fazer o "esforço" de pressionar um botão, ou ter de tirar a roupa da máquina de lavar antes de terminar de centrifugar para não amassá-la muito e facilitar o trabalho na hora de passá-la! 

Em Provérbios 6.7-8, lemos a respeito da formiga que, não tendo chefe, nem oficial, nem comandante, no estio prepara o seu pão, na sega ajunta o seu mantimento. 

Precisamos ser como a formiga: auto disciplinados e motivados, fazendo o que é certo porque é certo, e não porque alguém pode estar nos observando ou nos obrigando. 

Extraído do Livro A FORMAÇÃO DE UM LÍDER de autoria de Joyce Meyer 

Por Lidiomar 

Graça e Paz