sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Como se libertar de uma seita


DIVIDO em três categorias as pessoas que estão sob o domínio de uma seita: 

(1) iniciantes; 

(2) integrados e adaptados; e 

(3) integrados e não adaptados. 

Os iniciantes 
São os que estão na fase do namoro, no passo inicial. Recebem contínua assistência, abraços e sorrisos. É a fase áurea. Executada a técnica da aproximação, dá-se lugar à renovação da mente do candidato, mediante técnica de lavagem cerebral. 

A doutrina da seita é apresentada de forma sistemática e seqüencial, seguindo um roteiro previamente estabelecido. 

O alvo preferido são os que possuem pouco conhecimento das Escrituras; os fragilizados emocionalmente; desprezados pelos pais; desiludidos da vida. 

O terceiro passo é o convite para “conhecer nossos amigos”, “nosso templo”. Há grupos que convidam primeiramente para um encontro campal, festivo, sem muita doutrina. Nesses momentos, o convidado recebe atenções especiais. 

As seitas se assemelham a um túnel escuro e perigoso, cuja entrada florida é agradável aos olhos.

Integrados e adaptados 
Nessa fase, o novo membro já está efetivado; depois de instruído, começa a trabalhar em favor da seita e a defende com todo entusiasmo; de mente renovada, deseja trabalhar muito em defesa de sua fé e do grupo para assumir cargos mais elevados. 

Coloca a seita acima de sua família. 

Está convicto de que está no caminho da verdade absoluta e de que todos os demais marcham para a perdição. É um fanático. 

Integrados e não adaptados 
São os que, embora sejam freqüentadores das reuniões do grupo, tem dúvida quanto à correção de suas doutrinas. 

Possuem algum conhecimento da Palavra de Deus, mas não o suficiente para uma reação pronta e decidida. Coxeiam entre dois pensamentos. Podem passar anos e anos nessa situação dúbia. 

Outros sabem que participam de uma seita, rejeitam a maior parte de suas doutrinas, mas, por conveniência, permanecem no mesmo lugar. Estes são os que mais sofrem. Avaliam que, se saírem, perderão amigos e posições. 

Há seitas que proíbem seus associados de manterem qualquer tipo de relacionamento com os que se desligam. 

O que fazer 
De modo geral, é fácil entrar numa seita; o difícil é sair. Tenho recebido relatos de pessoas aflitas, tais como: “perdi meu marido para essa seita diabólica”; “depois que a minha filha entrou nesse grupo, afastou-se da família”; “minha mãe disse que não falará mais comigo”. 

Os pais podem evitar tais situações acompanhando com atenção a vida de seus filhos, quando ainda sob sua proteção. 

Estão recebendo visitas de quem? O grupo que está doutrinando seu filho representa igrejas tradicionais? O que ensinam? 

Analise, pesquise, pergunte. 

Para quem tem consciência de que se encontra no caminho errado, mas continua no caminho errado, aconselho a vencer todos os obstáculos e ficar ao lado da Verdade. 

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6). 

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). 

Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa 

Por Lidiomar 

Graça e Paz