quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O perdão é mais importante para nós do que para aqueles a quem devemos perdoar


Precisamos perdoar, quer sintamos que temos o "di­reito" de ficar irados e magoados ou não. 

O perdão é, na realidade, mais importante para nós do que para aque­les a quem devemos perdoar porque ele mantém nosso coração "limpo" e agrada a Deus. 

Se houve alguém no Antigo Testamento que tinha o "direito" de ficar irado e magoado com outras pessoas, esse alguém foi José. Seus irmãos mais velhos, enciumados, planejaram matá-lo, mas, em vez disso, decidiram vendê-lo como escravo. 

José trabalhou como escravo para o capitão da guarda de Faraó no Egito; então, foi parar na prisão após ter sido falsamente acusado. José recusou-se a falar sobre seus "direitos" ou "erros" e, em vez disso, optou por perdoar. Isto o qualificou para o favor e a bênção de Deus, e José foi promovido a segunda maior posição no Egito, como governador, abaixo apenas de Faraó, aos 30 anos de idade.

Quando finalmente reencontrou-se com seus ir­mãos, José tinha todo o "direito" de ficar amargurado e ressentido (se é que isso existe). Eles o maltrataram e enganaram seu pai, e José tinha o poder de ordenar que fossem mortos naquele mesmo lugar. 

Em vez disso, José escolheu perdoar-lhes e tornou-se um salvador para toda a sua família. Quando viu seus irmãos, não pôde con­trolar-se. Chorou tão alto que toda a casa de Faraó ou­viu seu pranto. 

O mundo precisa saber que "a comuni­dade dos transformados" sabe perdoar. 

Os perdidos e feridos ao nosso redor precisam saber que há abundante perdão na casa e na família de Deus. 

A finalidade de Deus com o nosso perdão é literal­mente preservar e proteger a vida daqueles que se apro­veitam e abusam de nós, até que possam voltar seu co­ração para Ele. 

Os irmãos de José encheram-se de culpa, mas José pediu-lhes que se perdoassem.

Ele disse: Agora, não se aflijam nem se recriminem por terem me vendido para cá, pois foi para salvar vidas que Deus me enviou adiante de vocês. Mas Deus me enviou à frente de vocês para lhes preservar um re­manescente nesta terra e para salvar-lhes a vida com grande livramento (Gn 45.5-7). 

Este é o caráter de Deus! É maior do que qualquer "direito" que possamos ter. José nunca deu qualquer evidência de que estivesse amargurado com os maus-tratos que recebera de seus irmãos. Ele adotou um estilo de vida perdoador. 

Extraído do livro Fontes Secretas de Poder de autoria de T. E TENNEY e TOMMY TENNEY 

Por Lidiomar 

Graça e Paz