quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Natal: Morte Resolvida!


Na verdade, ele é o único que pode resolver isso Apocalipse 5 descreve figurativamente a história da humanidade, diante da platéia de todos os povos, etnias e nações, a incapacidade de encontrar alguém que poderia  abrir o livro da vida e da morte, o livro da conclusão, da prestação de contas.

Jesus, forte e majestoso como o leão é visto também como cordeiro frágil e sacrificado, o único no universo que poderá abrir o manuscrito selado.

Jesus Cristo, o leão-cordeiro de Deus, é o Salvador perfeito para os pecadores, mesmo para os piores.

Assim a mensagem de Natal não está centrada no menino que nasceu em Belém, mas no cordeiro que foi morto numa cruz em Jerusalém. Jesus é o cordeiro que foi morto.

A metáfora do cordeiro é fundamental na Bíblia. O impressionante sacrifício animal e derramamento de sangue que substitui o pecado foi descrito em detalhes no Velho Testamento. 

O pecado do homem exige a morte. A morte demanda o derramamento de sangue. Alguém tinha que morrer para que a justiça fosse feita no universo. Para que o homem não fosse imediatamente morto, o cordeiro era sacrificado no lugar da pessoa.

Assim o cordeiro representava a própria pessoa e sua morte. Essa visão da entrega sacrificial do cordeiro em substituição pela vida de outro está em muitas religiões. Existe algo no fundo da alma que se identifica com esta visão da troca sacrificial do cordeiro pela vida do homem.

Por que não realizamos os rituais e cerimônias judaicas nas igrejas nos dias de hoje?  Estaríamos ferindo os direitos dos animais, sem dúvida. A razão principal é que o Cordeiro Jesus nos substituiu na eternidade e morreu por todos nós. 

Uma vez que todos nós somos pecadores, a lei nos condena à morte e nos coloca sob uma maldição divina. Deus imputou a culpa dos nossos pecados a Cristo, e ele, em nosso lugar, suportou o castigo que nós merecemos. Este foi o pagamento total dos pecados, que satisfez tanto a ira e a justiça de Deus, para que Ele pudesse perdoar os pecadores sem comprometer seu próprio padrão santo.

Propiciação refere-se à doutrina pela qual Cristo morreu na cruz como um substituto dos pecadores. Ary Velloso, meu amigo e mentor espiritual, conta da espera de nove meses pelo transplante de seu coração falido e abalado após vários ataques. Os médicos abriram seu peito, arrancaram o coração velho que não funcionava direito e inseriram um coração jovem, religando todas as artérias e veias. Assim houve uma troca de corações. Ele está há 13 anos com este novo coração, vivendo uma segunda chance, que somente seria possível nas últimas décadas com o desenvolvimento da medicina.

O único remédio para o coração adoentado é o sangue do próprio médico, Jesus. Somente o sangue de Jesus pode livrar-lhe do pecado. Viva no seu sangue e você morrerá como um vencedor. Morra no seu sangue e você viverá em paz. Reconheça e aceite essa grande troca.

O ex-capitão de navio negreiro, traficante de escravos e pastor evangélico, John Newton, resume bem este ponto: “Quando eu era jovem, eu tinha certeza de muitas coisas; agora há somente duas coisas das quais eu tenho certeza: uma é que eu sou um miserável pecador, e a outra, que Cristo é o Salvador totalmente suficiente. Aquele que aprende essas duas lições está bem ensinado”.

Textos como Is. 53:6: “O Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós”; Is. 53:12: “mas ele levou o pecado de muitos, e intercede pelos transgressores”; Rm. 3:25: “a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos”;  

2 Co. 5:21: “Para o nosso bem que ele fez para ser o pecado aquele que não conheceu pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus”; Gl. 3:13 – “Cristo nos resgatou da maldição da lei, tornando-se maldição por nós - porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em uma árvore”;  e muitos outros demonstram que fomos substituídos por Jesus na cruz.

Não existe melhor palavra para descrever isso: substituição. Fomos substituídos por Cristo! Eu e você seríamos mandados permanentemente para a prisão, condenados a uma eternidade sem possibilidade de habeas corpus ou purgatório. 

Jesus trocou de lugar conosco, assumiu nossa culpa, sofreu por nós, levou nosso pecado no seu corpo, carregou a nossa cruz, substituiu-nos. Não existe maior amor que esse: dar a vida pelo outro. Sua morte matou a morte que você deveria enfrentar.

Você tem a certeza de que Jesus é o salvador totalmente suficiente para garantir vida aqui e após a morte? 

Jesus Cristo é suficiente para resolver o problema da morte. Na verdade, ele é o único que pode resolver isso. Feliz Natal.

Autor: RUBENS MUZIO 

Por Lidiomar 

Graça e Paz