domingo, 29 de janeiro de 2012

Sofrimentos Espirituais


Nem toda a dor é destrutiva. Há um sentido no qual a dor age como um sistema de alerta, advertindo-nos de que se faz necessária uma assistência médica. Isso também se aplica ao plano espiritual.

Há vezes em que nos agoniamos por causa de pecados inconfessos em nossas vidas. Nossa culpa explode nos relacionamentos tensos, hábitos nervosos, noites insones.

Nossas consciências ficam muito pesadas, até buscarmos a cura com o Grande Médico. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e para nos purificar de toda a injustiça." (João 1:9)

A luta contra o pecado pode produzir uma forma de sofrimento.

A Bíblia se refere a isso como uma batalha. Porém, não entramos indefesos na batalha. Deus nos equipa com a Sua "armadura completa" (Efésios 6:13).

Jesus pode nos libertar do poder de Satanás e do pecado. Não somos obrigados a ceder às nossas tentações. Mas Deus espera que lutemos.

Deus não promete livrar-nos da batalha, mas sim livrar-nos pela batalha.

Quando nos tornamos cristãos, ganhamos um amigo, o Senhor Jesus Cristo. Mas também ganhamos um inimigo – Satanás.

Satanás tenta desviar-nos da trilha do progresso espiritual. E busca destruir aquilo que nos auxilia.

Primeiro, Satanás não é onipotente. Não é um equivalente de Deus. Ele é um anjo caído, não um deus caído.

Segundo, nada pode surgir em nossas vidas sem o conhecimento e a permissão de Deus. Na verdade, Satanás está sob a autoridade de Deus. Ele teve que receber a permissão de Deus para testar Jó.

Terceiro, Deus pode extrair o bem das provações e aflições que Satanás tenta colocar no caminho dos cristãos.

O Evangelho registra um episódio na vida de Jesus, no qual Ele estava no meio de uma doutrinação na sinagoga. Inesperadamente, um homem possuído pelo demônio se pôs de pé e começou a berrar. Era Satanás tentando perturbar a sessão, pois não queria que o auditório aprendesse sobre o reino de Deus e as verdades da vida eterna. Imediatamente, Jesus expulsou o demônio, demonstrando, assim, a Sua completa autoridade sobre o mundo espiritual.

O auditório, que já estava impressionado com a Sua doutrinação, estava agora duplamente impressionado com Seu poder (Marcos 1:21-27). O que Satanás tentou fazer para prejudicar Jesus, na verdade, o auxiliou.

Satanás deve ser a personalidade mais frustrada do universo! O seu exército de demônios é obrigado a obedecer a Jesus, e qualquer coisa que o demônio faça para deixar desanimado um cristão Deus pode utilizar para o beneficio do cristão.

Às vezes, Ele permite que soframos para podermos crescer espiritualmente.

Na maioria das vezes, o sofrimento não pode ser exata ou totalmente entendido, exceto em retrospecto.

Só quando o tempo tiver cessado e a eternidade começado, Jó compreenderá por que Deus permitiu que ele fosse testado como foi. Só então o papel desafiador e confortador que ele desempenhou ao longo dos séculos, em inúmeros milhares de vidas, será inteiramente conhecido.

Extraído do livro a  segunda  vinda  de  Cristo de autoria de Billy  Graham

Por Litrazini

Graça e Paz