sexta-feira, 30 de março de 2012

O Equilíbrio Requer Sabedoria

As pessoas têm o poder de gastar dinheiro e de guardar di­nheiro. Algumas tentam economizar todo o seu dinheiro. Não gastam nada consigo ou com a família. Ou são gananciosas, ou temem o futuro, pensando que precisam economizar tudo para se protegerem de uma calamidade imprevisível. Mas agindo assim, ficam sem equilíbrio.

Outros gastam dinheiro com a família, mas nunca consigo mesmos. Mas um dia terão de acordar e perceber que, se não fizerem o mesmo com eles próprios, ficarão ressentidos, sentin­do-se mártires.

O mártir é a pessoa que faz tudo para os outros, mas com uma atitude de quem foi lesado. As pessoas com esse tipo de atitude também estão sem equilíbrio.

Outras ficam sem equilíbrio em relação ao próprio dinheiro por gastarem tudo. Quando isso acontece, elas começam a usar o cartão de crédito, estourando o limite. Então, tentam saldar as dívidas repreendendo o "demônio das dívidas". Querem um mi­lagre para corrigir a falta de disciplina.

Geralmente esse é nosso problema. Envolvemo-nos numa enrascada e tentamos sair dela por meio de algum recurso mira­culoso. Então, caímos em outra enrascada e tentamos fazer a mesma coisa novamente. E assim vamos de enrascada em enras­cada, nunca assumindo a responsabilidade por nosso próprio erro.

Precisamos de equilíbrio, exercitando a autodisciplina.

Não podemos andar em estupidez e passar a vida inteira igno­rando as conseqüências. Deus nos dá sabedoria para que a usemos.

Creio em resistir ao diabo, como Tiago 4.7 nos diz para fa­zer, mas também creio em nos submetermos a Deus como a Bí­blia nos ensina. Não podemos desobedecer a Deus, tendo conse­qüências indesejadas, e depois resistir ao diabo, achando que isso fará com que as conseqüências do que fizemos desapareçam.

Levei muito tempo para aprender essa lição. Como nova convertida, fui ensinada sobre minha autoridade sobre Satanás. Aprendi que deveria exercer essa autoridade para não permitir que ele trouxesse coisas ruins para minha vida. Entusiasmada por saber disso, imediatamente comecei a dar ordens ao diabo o tem­po todo. Mas percebi que não estava obtendo resultados e, final­mente, aprendi que não podia abrir a porta ao inimigo e depois simplesmente resistir às circunstâncias que eu mesma tinha cau­sado.

Tive de aprender a me submeter a Deus. Então, e só então, eu poderia ter autoridade para resistir ao diabo.

Essa é uma preciosa lição para todos nós. Se nos comportar­mos sem sabedoria e colhermos conseqüências negativas, preci­samos assumir as responsabilidades por nossa conduta incorreta e fazer o que for necessário para corrigir o erro que cometemos.

Por exemplo, se alguém não consegue organizar bem sua vida financeira e contrai uma dívida, precisa saldá-la. Talvez isso exija muita disciplina e um período de tempo sem comprar nada além do essencial. Não é hora de sentirmos auto piedade ou nos sentirmos desencorajados. Gastar demais causa problemas, e so­mente gastando menos poderemos corrigir o erro.

Leva tempo para que nos endividemos, e também leva tem­po para saldarmos as dívidas. Levamos anos para nos colocar numa enrascada, e depois ficamos impacientes com Deus se em poucas semanas Ele não nos livrar de uma forma miraculosa.

Deus é misericordioso. Às vezes Ele nos tira de imediato dos problemas que causamos. Mas há outras vezes em que Ele não nos livra tão depressa porque se o fizer, nunca iremos apren­der a não criar problemas para nós mesmos.

Extraído do livro A Formação de um Líder de autoria de Joyce Meyer

Por Litrazini

Graça e Paz