sexta-feira, 13 de abril de 2012

A MENTE SUPERIOR DE DEUS

Deus tem propósitos para a vida de cada um de nós. Há propósitos que são comuns e gerais: a libertação do pecado e dos vícios, a salvação da nossa alma, a vida eterna, a saúde, a paz, a alegria, a prosperidade.

E há propósitos que são incomuns e específicos. É isso que percebemos quando atentamos para a história de Israel como nação, homens, como Abraão, José e Davi, chamados por Deus para realizar missões especiais e contribuir para que o plano maior do Senhor se cumprisse.

Todos esses foram chamados por Deus e passaram por momentos difíceis de crise, solidão, angústia, sem, muitas vezes, entenderem o porquê de tantos sofrimentos e desafios para alcançarem a promessa que o Senhor lhes tinha feito.

Em nossa vida, também é assim. Deus nos fala de algo bom, superior, que tem para fazer em nós e por nosso intermédio, mas, de repente, situações adversas, aparentemente contrárias àquilo que o Senhor prometeu, sobrevêm desafiando a nossa fé em Deus e a nossa certeza de que Ele nos está conduzindo à vitória.

Por que isto acontece? Por que Deus não nos dá logo o que tem para nós? Por que passamos por tantas provações e lutas para alcançarmos a nossa bênção?

Por que, quando o Senhor nos chama e nos faz uma promessa, Ele nos dá apenas um vislumbre do que fará? Por que não nos revela tudo de uma vez?

Entre outras coisas, porque a nossa mente é finita e limitada para compreender os insondáveis propósitos do Deus eterno e imortal, que é Senhor sobre tudo e sobre todos, que tem o controle da história em Suas mãos. É isso que vemos em Isaías 55.

Nesse capítulo bíblico, que fala sobre a universalidade da salvação a ser operada pelo Messias, Deus desafia os israelitas, chamando-os ao arrependimento e lembrando-os de que Seu plano era muito superior ao que pensavam, pois estendia-se a todos os povos.

Para os judeus, a salvação dos gentios parecia algo inimaginável. Mas o Senhor, prevendo a perplexidade deles ante essa realidade, adianta se e responde-lhes:

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR. Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos. Isaías 55.8,9

Como disse John S. Martin, "o plano de Deus é algo que os homens jamais teriam sonhado". Os pensamentos de Deus não são como os nossos pensamentos nem os caminhos dele como os nossos caminhos. A maneira de Deus pensar e agir é infinitamente superior à do ser humano!

Foi isso que Paulo lembrou em seu cântico de adoração em Romanos 1 l.33-36:

Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Porque quem compreendeu o intento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!

Extraído do livro OS INSONDÁVEIS PROPÓSITOS DE DEUS – Autoria: Silas Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz