domingo, 12 de maio de 2013

NO TRIBUNAL


Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Ef. 2.8)

Simon, um jovem canadense, precisava de muito dinheiro para sustentar seu vício em drogas. Mas como iria conseguir tanto dinheiro? Tinha apenas 17 anos de idade. Ele começou a traficar, foi preso duas vezes, sentenciado, mas não parou.

Pouco antes de completar 18 anos, Simon foi convidado a assistir uma reunião evangelística. Ali ouviu sobre Jesus Cristo e entendeu que Deus o amava tanto que deu Seu próprio Filho para morrer na cruz por ele, Simon. O jovem se rendeu ao amor do Senhor Jesus, confessou seus pecados, e creu no perdão do Pai. Ele sentiu grilhões de pecado, de rejeição, de rebeldia se quebrarem: estava livre.

Mas ainda tinha outro processo, o terceiro, para enfrentar. Como completaria a maioridade penal antes do julgamento, estava apavorado com a possibilidade de ter de ficar na prisão por um longo tempo. No entanto, decidiu contar toda a verdade.

Diante do juiz, orou silenciosamente a Deus. Ele não escondeu nada e nem mentiu, e isso aliviou sua consciência. Mas qual seria sentença? “A sentença para o seu crime é de sete anos de detenção em regime fechado…” Mas algo aconteceu: a sentença foi suspensa!

Diante do Juiz de toda terra, o que diremos?
“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo” (2 Coríntios 5:10).
 
Que sentença você espera ouvir depois que Deus expuser todos os seus “crimes”, ou seja, seus mais secretos pensamentos e intenções, suas obras e palavras?

Se você estiver em Cristo, “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito” (Romanos 8:1).

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz