segunda-feira, 1 de julho de 2013

Os nascidos de Deus não vivem em pecado

“QUALQUER QUE É nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus” (1 Jo 3.9).

“Comete pecado”, (grego hamartano) é um infinitivo presente e ativo, que subentende ação contínua. João enfatiza que quem realmente nasceu de Deus não pode continuar a viver pecando conscientemente, porque a vida de Deus não pode permanecer em quem vive na prática do pecado (cf. 1 Jo 1.5-7; 2.3-11, 15-17, 24-29; 3.6-24; 4.7,8,20). 

(1) O novo nascimento resulta em vida espiritual, a qual leva a um relacionamento sempre presente com Deus.

Nesta epístola, cada vez que João fala de novo nascimento, emprega o tempo pretérito perfeito em grego, para enfatizar o relacionamento contínuo e ininterrupto iniciado pelo novo nascimento (1 Jo 2.29; 3.9; 4.7; 5.1,4,18).

(2) É impossível, espiritualmente, alguém ter em si a vida divina (i. é., ser nascido de Deus), e viver de modo pecaminoso.

Às vezes o cristão se afasta do alto padrão divino para a nova vida espiritual, mas ele não continuará em pecado conhecido (vv. 6, 10). 

(3) O que faz o cristão evitar o pecado é a “semente” de Deus permanecente nele.

A “semente” é a própria vida, natureza e Espírito de Deus habitando no cristão (5.11,12; Jo 1.1; 15.4; 2 Pe 1.4).

(4) Pela fé (5.4), pela presença de Cristo em nós, pelo poder das Santas Escrituras

Todo cristão pode viver a cada momento livre de delitos e pecados contra Deus. 

(5) Filhos de Deus... Filhos do Diabo (3.10)

Este é o âmago e a conclusão dos ensinos de João em 2.28 – 3.10. Ele acabou de advertir o cristão no sentido de não se enganar quanto à natureza da salvação (v.7). 

Consequentemente, deve rejeitar qualquer teologia ou doutrina afirmando que a pessoa pode estar fora da comunhão com Deus (1.3), continuar a pecar, fazer as obras do diabo (v.8), amar o mundo (2.15), lesar o próximo (vv.14-18), e ainda ser filho de Deus, salvo, a caminho do céu. 

(6) Contrariamente a esse falso ensino, João cria claramente que quem continua na prática de pecado conhecido “é do diabo” (v.8), e “não é de Deus” (v.10)

Quem habitualmente pratica o pecado, e afirma que tem a vida eterna e que é filho de Deus, está enganado e “é mentiroso” (2.4). Além disso, o que caracteriza um verdadeiro filho de Deus é o amor a Deus, manifesto na guarda de seus mandamentos (5.2) e na solicitude sincera pelas necessidades espirituais e físicas doutros crentes (vv.16, 17). 

Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz