terça-feira, 2 de julho de 2013

RESISTIR ÀS PERSEGUIÇÕES

"Não temas as coisas que tens que sofrer." (Ap 2:10.) Ne­nhum valente é chamado ao conforto. Não existe possibili­dade de sofrermos o dano da segunda morte, ou seja, nada é maior do que a nossa convicção de vida eterna: quem nasceu de novo não morre mais. Quero dizer que seremos perseguidos, pois não há como militar no reino, entregar uma visão profética e ficar sem o contra-ataque, que virá de várias maneiras. Porém, o Senhor nos assegura que ne­nhum dano nos acontecerá, pois Ele é o nosso escudo.
.
Moisés, um valente de Deus, tinha esta consciência: "Se tu não fores conosco, não nos tire desse lugar" (Ex 33:15). Isso é estar consciente de militar por uma causa na qual não estamos sozinhos. Quando Elias, profeta renomado, pensava que estava só, o Senhor lhe disse: "Não temas! Mais de sete mil homens nesta cidade não dobraram os joelhos a Baal; tu não estás sozinho" (1 Rs 19).

Gideão, juiz de Israel, disse ao Senhor: "Ah, Senhor, quem sou eu para enfrentar o inimigo, minha família é a menos podero­sa, ou a mais pobre, dentro da casa de Manasses, e eu sou o menor na casa do meu pai. Então virou o Senhor para ele e disse: Vai nessa tua força e livra Israel das mãos dos midianitas: porventura não te enviei Eu?" (Ver Juízes 6:11-15.)
.
A nossa história é pautada em desafios. Se não formos os valentes de Deus dificilmente entenderemos as Suas ta­refas, que não são de conforto, mas de confronto. Deus quer que saiamos do natural para o sobrenatural, porém se a covardia e o medo pautarem o nosso coração, a nossa fé será eliminada.
.
O pecado da omissão tem dominado o nos­so povo. O que é a omissão? E aquilo que deveria ter sido feito e não se fez. Não pecamos somente pelo que fizemos, mas também pelo que deixamos de fazer.

Os midianitas estão vivos. Quem eram os midianitas? Se­gundo a narrativa bíblica, eles eram provenientes de Midiã (Gn 25:2; 1 Cr 1:32). Os midianitas estavam sempre afron­tando o povo de Deus. Tinham algumas características e praticavam algumas ações que lhes eram peculiares, tais como: roubavam e destruíam a lavoura; tiravam os bens do povo; roubavam as filhas de Israel; desonravam a Deus; saqueavam o alimento do povo; faziam ameaças de poder; subjugavam o povo de Deus.

Será que algo semelhante é mera coincidência? Não nos faltam midianitas nos dias de hoje. Eles estão vivos com as mesmas atitudes, destruindo nossos bens, saqueando nosso alimento, desonrando nos­sas filhas, invadindo nossas casas pela mídia e fazendo um arraso na nossa lavoura. Precisamos fazer algo, pois só os valentes vão se posicionar para que os espíritos enganado­res não permaneçam nos rodeando.

Qual é a nossa posição? A nossa vida não tem sentido se não cumprirmos a tarefa de participarmos ativamen­te, não só a favor da nossa tranquilidade, mas da tran­quilidade do povo. Precisamos ser valentes, muito corajo­sos. Não devemos temer nada nem ninguém.

Fomos cha­mados para causar pavor, e não para ter pavor dos ou­tros (Js 2:9-11). Por isso não devemos temer as persegui­ções, elas não são maiores do que os livramentos. Se você estiver passando por uma dificuldade e sendo perseguido, celebre, pois a direção está correta: não teremos conforto sem confronto.

A missão da igreja, neste final dos tempos, é estar na li­nha de frente, pois Deus nos chamou para sermos cabeça e não cauda, para estarmos por cima e não por baixo, e pro­meteu abençoar todas as obras das nossas mãos. Seremos perseguidos, porém não devemos temer as perseguições.

Siga resistindo profeticamente, pois o Justo Advogado, Jesus, tomará a sua causa, e o Justo Juiz, Jeová Tsedkenu, a julgará retamente (1 Jo 2:1; Jr 23:6).

Transcrito Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/


Graça e Paz