quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Fundamentos para um compromisso integral com Cristo Jesus

Dallas Willard é um pensador cristão e autor da seguinte frase: 
“(…) O custo do descomprometimento é a paz permanente, uma vida repleta de amor, fé que vê tudo na perspectiva do domínio supremo de Deus para sempre, esperança que sobrevive aos momentos mais aflitivos, força para fazer o que é certo e resistir ao poder do mal“.

As razões que o levou a escrever esta mensagem se encontram na importância de um discipulado pessoal na vida do cristão, a busca pelo caráter de Cristo e como essa busca tem se desvanecido nas congregações atuais. A partir do seu profundo e dinâmico estudo sobre essas perspectivas, vamos ressaltar 4 fundamentos daquele que se entrega a um compromisso integral com Jesus.

Paz permanente - Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. (Fp.4:6)
Quando Willard fala sobre descomprometimento diz “que não se pode ser discípulo de Cristo sem sacrificar coisas que costumam ser procuradas na vida humana”, sendo que a entrega plena às coisas do Reino de Deus trará uma paz permanente em um coração atribulado e afoito pelas adversidades na vida.

Fé - E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade. (Mc. 9:23-24) 
Busca gera fé e fé gera mais fé. A fé nunca nascerá em um coração que tem medo de experimentar o inalcançável. Para isso ele reforça que devemos ver todas as coisas como domínio supremo de Deus. Uma tarefa difícil para nós que somos tão orgulhosos e cheios de nós mesmos, mas uma tarefa mais simples para um coração humilde.

Esperança - Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus. (Sl. 42:11)
Em tempos de aflição facilmente somos levados à desesperança do tempo. Somos hoje ensinados a ter resultados imediatos o que retira de nós a capacidade de sermos longânimes em nossas emoções. Temos medo de nossas próprias emoções e somos fracos em suportar pressões das adversidades da vida.

Por fim, força motivadora - ... Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. (Rm. 8: 36-39)

Como discipulador de vários jovens tenho visto que suas juventudes estão regradas de motivações instantâneas. Fatores da vida, adversidades, alegrias, emoções e toda carga de sentimentos para produzir conduzir e concretizar sonhos são como fogo em palha: uma chama que se ascende rápido, mas que se desvanece ainda mais rápido.

Nesse sentido, os olhos fitos em Jesus, o alvo da salvação, aprendendo a ser como ele e aprendendo do seu caráter nos dá a força que motiva nossas decisões. Se ouvimos uma disciplina, um ensino ou se recebemos uma tarefa, devemos ter em Cristo a força para agir sobre o que é ensinado e disciplinado: “força para fazer o que é certo e resistir ao poder do mal”.

Autoria: Calebe Aires

Por Litrazini


Graça e Paz