segunda-feira, 7 de outubro de 2013

OUVINDO E ESQUECENDO

E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição”(Lc.8.14)

O historiador grego Estrabão certa vez contou a seguinte história. Um músico, que se considerava muito talentoso, sempre tocava no mercado e encantava as pessoas com seus belos acordes.

Um dia lá estava ele novamente tocando na crença de que fascinava sua audiência, quando, de repente, um sino começou a tocar e todos os seus admiradores desapareceram, prosseguindo cada qual com seus negócios. Restou apenas um, e o músico o elogiou por não ser tão avarento quanto os demais. O homem falou ao artista:

- “Eu escuto com dificuldade. Você disse que o sino tocou?”

– “Sim”, respondeu o músico.

- “Então tenho de ir, ou vai ficar muito tarde.” E lá se foi ele também.

Escutar com interesse e depois ir embora é algo que acontece com frequência quando o evangelho de Jesus Cristo é pregado. Ouvir falar do amor de Deus é atrativo. As pessoas ficam impressionadas ao escutar como o Senhor Jesus se preocupou com os outros e, por fim, sacrificou Sua vida por eles.

Mas quando o “sino” toca, o que acabaram de ouvir é soterrado pelos “cuidados, riquezas e deleites da vida”, coisas que chamam 100% a atenção dos humanos.

E assim os espinhos sufocam a semente da Palavra de Deus que foi lançada. Sendo sufocada, a Palavra, que é “viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12), não tem condições de liberar todo o poder de vida que contém.

Por isso, muitos passam a vida inteira escutando a mesma mensagem, “aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade” (2 Timóteo 3:7).

Nunca nascem de novo, não experimentam nenhuma transformação gerada pela vida de Deus dentro deles, podendo até ter “aparência de piedade, mas negando a eficácia dela” (2 Timóteo 3:5).

Extraído do Devocional Diário Boa Semente

Por Litrazini:

Graça e Paz