sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

É possível um crente perder o Espírito Santo?

A maioria dos teólogos tende a descrer da possibilidade de um crente perder Espírito Santo, entretanto, se não é possível o crente perder o Espírito, porque Sansão o perdeu?
“E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão! Tendo ele despertado do seu sono, disse consigo mesmo: sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei; porque ele não sabia ainda que já o Senhor se tinha retirado dele. (Juízes 16:20).

Se não é possível um crente perder o Espírito Santo então porque quando Davi pecou contra Deus ele orou pedindo para que o Espírito Santo não se retirasse dele?
“Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito.” (salmo 51.10,11).

Se o Espírito de Deus não pode se retirar de um crente, porque a Bíblia diz que Saul o perdeu?
“E o Espírito do SENHOR se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor.” (I Samuel 16.14).

Se Saul perdeu o Espírito de Deus por ter sido rebelde a voz do Senhor, os crentes rebeldes que enchem as igrejas desses dias também podem perder!

Se o Espírito deixou Sansão por ele ter brincado demais com o pecado, não há razão para os crentes destes dias que vivem brincando com o pecado e cultivando uma vida mundana hostil à vontade divina não serem também desabitados pelo Espírito de Deus!


Olhando a igreja cristã atual, especialmente aqui no Brasil, temos a triste impressão de que o Espírito de Deus não está nela; pelo menos, não na proporção que já esteve em outros tempos. Tal argumento fundamenta-se no fato de que temos visto inumeráveis adesões todos os dias em muitas congregações, mas não temos assistido mudanças significativas ou palpáveis nas vidas dessas mesmas pessoas que têm ido à frente respondendo aos convites evangelísticos que são feitos.

Adesão por uma igreja denominada cristã está cada vez mais comum; entretanto, conversão está cada dia mais raro. Jesus disse que quando o Espírito viesse convenceria o mundo da justiça, do pecado e do juízo. Da justiça, para mostrar que há um padrão que o homem morto em sua vida vil jamais conseguirá atingir; do pecado, para fazer o pecador ver o quão merecedor ele é da ira divina com todo o seu rigor; do juízo, para mostrar que o homem tem diante de si um iminente julgamento que poderá condená-lo aos castigos eternos. Essa obra do Espírito tem o poder de gerar temor no coração do pecador, temor que o leva a cair de joelhos diante do Salvador e suplicar: pequei Senhor, misericórdia!

Observa-se uma ausência contínua de consciência de pecado e normalmente é assim que muitos supostos crentes vivem. Pecam como se não houvesse pecado. Não há temor de Deus nos homens. A degradação moral mistura-se a banalização de tudo o que é espiritual e nessa ruptura do cristianismo autêntico banalizam-se tudo o que é divino.

Precisamos urgentemente de um autêntico avivamento que renove dentro das igrejas o temor a Deus e os valores morais cristocêntricos e esse avivamento não virá como consequência de campanhas, congressos ou seminários, mas virá como resultado do retorno do Espírito de Deus aos púlpitos que se esfriaram e aos corações que se desviaram! Por isso suplicamos: Espírito Santo, volta pra tua igreja!

Autor: José Rosivaldo

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/


Graça e Paz