terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Uma Guerra de Muitas Batalhas

O Espírito Santo nos liberta da escravidão ao pecado, mas a carne sempre tenta nos chamar de volta à sua servidão. Por isso importa que se ande sempre no Espírito para que não sejamos vencidos pela carne. Todavia, antes que atinjamos a plena libertação da carne na glória do céu, sempre estaremos em luta com este inimigo: a nossa natureza terrena sujeita à ação do pecado.

Como é esta a realidade para qualquer cristão, então nenhum deles deve se desanimar com o fato de ser lenta e gradual a mortificação do pecado, de forma que a nova criatura fique cada vez mais forte, e o velho homem cada vez mais fraco.

Foi implantado em cada cristão este princípio ou lei do Espírito da vida em Cristo Jesus, Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. (Rm.8.2), de maneira que sempre terão esta permanente capacitação recebida do Espírito Santo para poderem combater e vencer as paixões e concupiscências da carne, (Gl.5.24).

A carne é fraca, ou seja a nossa natureza terrena corrompida pelo pecado, para cumprir o propósito de Deus em nosso viver, mas o espírito está pronto, quando vivificado pelo Espírito Santo, ou seja, ele é forte para nos levar a superar a fraqueza da carne, de maneira que em vez de seguirmos o pendor (inclinação) da natureza terrena que nos arrasta para o pecado e à morte espiritual, sigamos o do Espírito que conduz à vida e à paz, (Rm. 8.6-13)
.
O pecado sempre nos assediará tenazmente, enquanto vivermos aqui embaixo, mas ele não reinará em nós, porque foi destronado por Cristo, e agora quem reina é a sua graça, Rm. 5.21, de modo que o Espírito Santo sempre manterá um combate permanente contra o pecado.

Deus poderia subjugar o pecado de uma vez por todas no momento mesmo da nossa conversão a Cristo, assim como ele o fará quando formos para a glória do céu. Mas, para provar a nossa obediência a ele, e para nos exercitar aperfeiçoando a nossa fé e maturidade espiritual, permite que participemos em cooperação com o Espírito Santo, na luta contra o pecado, enquanto estivermos deste outro lado do céu.

E por este conflito permanente contra o pecado, nas vitórias sucessivas que temos sobre ele, ou até mesmo pelas derrotas que podemos sofrer em algumas batalhas – que ocorrem quando descuidamos da vigilância, da oração e do andar no Espírito, – somos ensinados por Deus quanto à nossa completa dependência da Sua graça para que possamos viver de modo agradável a ele.

Silvio Dutra

Por Litrazini


Graça e Paz