sábado, 10 de maio de 2014

Uma mãe chamada Igreja

Eu falo da “mãe” chamada igreja. Mãe que gera filhos na fé. Filhos estes que, por inúmeras vezes, pensam ser tão experientes que não precisam mais do colo da mãe

Não há dor maior para uma mãe do que perder um filho, e ainda mais de forma cruel e injusta como aconteceu com Jesus. Diante da agonia da cruz, com os olhos marejados de tanto chorar e abatida estava Maria: a mãe mais privilegiada de todas as mães; pois a ela foi confiada gerar, alimentar, zelar e educar o unigênito do Pai (não a idolatramos, mas a admiramos por ter sido escolhida para ser a mãe do Messias). No entanto, não é sobre Maria que gostaria de falar, e sim, de outra “mãe” que nascia concomitante a agonia da cruz.

Eu falo da “mãe” chamada igreja.

Mãe que gera filhos na fé. Filhos estes que, por inúmeras vezes, pensam ser tão experientes que não precisam mais do colo da “mãe” (I Timóteo 1:2).

Mãe que alimenta com leite e com comida sólida e que, com o passar do tempo, pela dureza do nosso coração, não nos alimenta mais (I Coríntios 3:2).

Mãe que zela pelos seus seguindo firme e caminhando (Filipenses 3:2).

Mãe que quando vivemos a emoção contagiante do primeiro amor, não conseguimos deixar de pensar e que, com o passar do tempo, deixamos de nos importar (Apocalipse 2:4).

Mãe que não queríamos deixar nos finais de culto, pois ali sentíamos o amor fraternal; mas que, com o passar do tempo, esse amor se esfriou e hoje não passa de um protocolo (II Pedro 1:3-9).

Mãe que disciplina ensinando-nos os caminhos que devemos andar, mas que com o tempo (ah, o tempo!), faz com que estes ensinamentos pareçam pura e simples implicância (Provérbios 26:6).

Domingo é dia das mães. Os beijos, abraços, presentes e lágrimas irão rolar à vontade. Porém, neste mesmo domingo, além de lembrar e fazer uma merecida homenagem à mãe que lhe gerou e lhe preparou para vida; lembre-se e não deixe que o tempo lhe faça esquecer-se da “mãe” que lhe prepara para vida eterna: A Mãe Igreja!

Que é considerada a noiva de Cristo. E tem o papel fundamental de gerar, alimentar, cuidar e assim preparar os filhos para vida eterna.

Feliz dia das mães!

- Anderson Zanella

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz