segunda-feira, 23 de junho de 2014

Crer: uma questão de escolha

O que significa “crer”? Crer é instalar na vida o sistema do Reino. Adotar como modo de vida o padrão do Reino expresso em Jesus. Pois, Jesus é quem traz o Reino, ou seja, Jesus é o Reino invadindo a história humana, é o Reino se tornando visível aos homens. Portanto, o modo de vida do Reino, seu padrão pode ser plenamente conhecido por meio de Jesus, seus atos, suas palavras, sua vida. Sendo assim, adotar o sistema do Reino de Deus é tomar para si o modo de vida de Jesus. Em suas palavras: “tome sua cruz e siga-me”.

Em uma palavra, discipulado. Viver segundo o Reino é ser discípulo de Jesus. Tomar para si as palavras Dele como verdade absoluta, pois Ele é a verdade, abraçar a vida dele como modelo absoluto, pois ele é o caminho. E, viver a vida, que vivida assim é Ele em nós. Portanto, é necessário desinstalar da nossa alma todo sistema “mundano” para abraçar o sistema de Jesus.

Veja como Pedro viveu isso na prática. Pedro era pescador, aprendeu a profissão com o pai, Zebedeu, provavelmente, desde criancinha conhecia o mar e desde muito cedo sabia as “manhas e as manhãs” das águas e da pesca. Pois bem, esse sujeito pescador, estava dentro de um barco com os demais discípulos numa madrugada em que os ventos solapavam o barco, de modo que, as ondas davam contra o seu casco. Eles já estavam bem distantes das margens quando viram alguém vindo na direção do barco andando sobre as águas, pensaram ser um fantasma, ficaram atemorizados. Todavia, aproximando-se, perceberam que era Jesus.

Como poderia ser isso? Pedro jamais vira tal coisa em anos de pescaria! Sabia ser impossível algo dessa natureza. Um homem andar sobre as águas. Segundo seu conhecimento de uma vida toda – era impossível. Nesse momento todo seu conhecimento a respeito do mundo e das coisas estava em cheque, tudo o que ele conhecia, suas convicções mais sólidas foram pulverizadas num só instante. Jesus abalara seu sistema de conhecimento. Jesus relativizara todo sistema de conhecimento humano. Demonstrando com esse ato que há outro sistema de conhecimento, outra realidade da qual as pessoas estavam alienadas.

Então Pedro diz: “Senhor, se és tu, manda que eu vá ao teu encontro sobre as águas.” Jesus diz: “vem”. E Pedro vai. A única coisa que fazia aquilo ser possível era o exemplo, a palavra de Jesus. Pedro substitui tudo o que sabia sobre o mar e as águas pela palavra de Jesus. Preste atenção:

Jesus está demonstrando que, com sua chegada, o mundo passa a ser regido por outras leis. O mundo passa a funcionar com outro sistema. Com a chegada do Reino a lei absoluta é a palavra de Jesus.


Pedro caminha sobre as águas porque creu na palavra de Jesus que implantava outra realidade muito diferente da que ele mesmo, Pedro, conhecia. Pedro abandona seu sistema de conhecimento para abraçar a palavra de Jesus. Ele creu na palavra de Jesus e andou por ela contra tudo aquilo que produzira a vida toda em relação ao conhecimento.

Portanto, é preciso CRER! Porque crer na palavra de Jesus é instalar em nosso ser o sistema de Jesus. O modo de operação do Reino. Crer em Jesus é: abandonar meu sistema de conhecimento e submeter-me à palavra de Jesus, aos valores de Jesus.

O espírito de nossa época, “pós-moderna”, é que cada pessoa é um provedor de conhecimento. Somos geradores de verdades. E vivemos de acordo com o que geramos de verdade para nós. De modo que o absoluto é o individuo. Eu sou a verdade. Eu faço meu caminho. Eu sou o dono da minha vida. O sistema desta era nos convoca a sermos, nós mesmos, a medida de todas as coisas e viver de acordo com nosso próprio juízo. Tal é, em essência, a proposta satânica: “e serão como Deus, conhecedores do bem e do mal”.

No entanto, aquele que crê em Jesus é aquele que o ama, e aquele que O ama tem os seus mandamentos e os guarda. Quem crê em Jesus é aquele que escolhe o abdicar de tudo o que pensa e sabe para inundar-se com o conhecimento de Jesus que é seu exemplo, sua palavra.

Em Jesus “eu” não é a palavra mais importante, Ele é. Em Jesus a morte não é um absoluto, a vida é. Em Jesus “ter” nunca foi importante, “ser” sim. Em Jesus a enfermidade jamais foi um fim, a cura uma realidade. Em Jesus o outro não é o “outro”, somos nós, é Ele. Em Jesus a física é uma piada e a matemática é sempre multiplicação, mesmo quando se divide. Em Jesus quem menos merece mais recebe. Em Jesus o dinheiro não tem valor porque o Pai é o dono de tudo e todos.

Em Jesus o Reino é a única realidade absoluta.

Autor: Timoteo Ferreira Santos

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz