quarta-feira, 18 de junho de 2014

Santidade e poder começam em casa

"Se sua fé não funciona em casa, não a pregue para o mundo." - Howard Hendricks

Acredito que o que acontece dentro das quatro paredes da sua casa, determina o quanto você influencia as pessoas que estão do lado de fora dela.

Se você deseja vida íntegra, ousada e saudável, que faça diferença na vida de outras pessoas, o melhor lugar para começar a vivê-la é dentro da sua casa.

Jesus, ao libertar o endemoninhado gadareno, não o convidou a segui-Lo ou o matriculou em Sua escola de discipulado. O gadareno fez menção de seguir a Jesus, mas Jesus não lho permitiu. Ao contrário, Jesus o enviou à sua família: "Vai para tua casa, para os teus, e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez, e como teve misericórdia de ti" (Marcos 5.38).

Não há melhor lugar para praticar o amor do que o lar. O melhor lugar para aprender a perdoar, conviver com diferenças, ser autêntico, e demonstrar os frutos do Espírito Santo é o lar.

A fé pública será sempre inoperante e anêmica quando for disfuncional dentro do lar. O ministério nunca será longo e efetivo sem o aval da família. Sem o respeito e apoio familiar fracassaremos.

"Pois em Cristo Jesus, doutrinas não têm valor algum, mas a fé age através do amor" (Gálatas 5.6). Fé sem amor é nuvem sem chuva, sol sem calor, árvore sem fruto, é hipocrisia. Então, não tema expressar amor.

Ninguém deveria passar um dia inteiro sem ouvir que é amado. "Tenha antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados" (1 Pedro 4.8). "Vocês viviam tão bem; quem lhes impediu de continuar praticando a verdade?" (Gálatas 5.7).

O amor não é amor até que ceda. Não ceder é sinal de orgulho. "O orgulho vem antes do fracasso e a altivez de espírito precede a queda" (Provérbios 16.18). O primeiro sinal de orgulho é o silêncio.

O silêncio é o pior monstro que assombra a família. Ele cresce ainda mais rápido do que nossos filhos. Ocupa primeiro o coração, em seguida o lar e depois toda a família.

O silêncio acaba com o diálogo e torna a reconciliação cada vez mais difícil.

O silêncio também é ira. "O bater do leite produz manteiga, o espremer do nariz produz sangue; assim o forçar da ira produz contenda" (Provérbios 30.33).

Dr. Silmar Coelho

Por Litrazini


Graça e Paz