sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O PERDÃO NOSSO DE CADA DIA

Bendize, ó minha alma, ao Senhor… É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades.” –Salmo 103.1,3
.
Se você diz: “Eu até poderia crer no perdão do Senhor, mas se eu não tivesse um pecado tão grande e tão grave em minha vida…”. Isso demonstra claramente que há um pecado secreto que está angustiando a tua consciência.

É, certamente, uma situação difícil. Mas, presta bem atenção no que disse Davi. “É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades”.

Há somente um pecado mortal que nunca será perdoado, e é a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 3.29-30). Mas os que cometeram este tipo de pecado não quiseram o perdão de Deus. Cristo disse que este pecado é o único que nunca será perdoado. Todos os demais, qualquer pecado, ainda a blasfêmia contra Deus receberá perdão. Sim, ainda os mais graves pecados.

O Senhor em pessoa o promete. “Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como carmesim, se tornarão como a branca lã”. (Is 1.18).

Pare e pense! Você não consegue crer no que Deus disse, que é grande a sua misericórdia? Não te dão segurança e alívio suas solenes palavras de graça?

Se assim você pensar: “Uma vez Deus já me perdoou e eu havia crido em suas promessas. Mas eu voltei a pecar, então, creio que Ele não voltará a me perdoar”. É com certeza que você fez algo muito grave, ao pecar novamente depois de receber a graça e o conhecimento.

Mas lembre-se das seguintes palavras: “Ele perdoa todas as tuas iniquidades”. Não está escrito: “Ele perdoou”, como se fosse algo que sucede apenas uma vez. Está escrito “perdoa”, porque seu perdão é contínuo, é algo que Ele nos dá sempre.

Se Deus não nos perdoasse continuamente, então o perdão não nos serviria. Se Ele não voltasse a perdoar sempre e de contínuo, ninguém seria salvo. Todos estaríamos perdidos. Porque o pecado está sempre surgindo em nós, ao longo de toda a nossa vida.

Lutero disse: “O pecado está aderido a nós em todo o tempo de nossas vidas terrenas. Jamais poderemos deixar de errar completamente e cometer faltas. Por isso o contínuo e constante perdão nos faz falta, a fim de não cairmos debaixo da ira de Deus devido aos nossos pecados, mas sim estarmos debaixo da graça por meio do perdão”.

Em Cristo, Deus fez um pacto eterno, para que o pecado não possa nos condenar.

Oh Deus e Pai, encomendamos-te as nossas famílias, nossos cônjuges e filhos. Ajuda-nos dirigi-los bem, e que os instruamos e os apoiemos no caminho da fé cristã. Amém.

Sóstenes Ferreira da Silva

Por Litrazini

Graça e Paz