segunda-feira, 29 de setembro de 2014

E O SENHOR TE GUIARÁ CONTINUAMENTE

“E o Senhor te guiará continuamente” (Isaías 58.11) Não um anjo, mas Jeová te guiará. Ele disse que não iria atravessar o deserto diante do seu povo, um anjo deve ir adiante deles para guiá-los no caminho; mas Moisés disse: “se tua presença não vai comigo, não nos faça subir daqui.”

Cristão, Deus não tem lhe deixado na sua peregrinação terrena, sob a orientação de um anjo; ele irá na vanguarda. Você não pode ver a nuvem e a coluna de fogo, mas o Senhor nunca te abandonará.

“O Senhor te guiará.” Quão certo é que ele faz isto! Quão certo é que Deus não nos abandonará!

Seus preciosos “eu devo” e “eu vou” são melhores do que os juramentos dos homens.

“Eu nunca te deixarei, nem te desampararei.”

Então, observe o advérbio continuamente. Nós não somos meramente guiados algumas vezes, mas temos tido um monitor perpétuo; não ocasionalmente, para ser deixados ao nosso próprio entendimento, e assim a vagar, mas estamos constantemente ouvindo a voz orientadora do Grande Pastor, e se nós seguirmos de perto em seus calcanhares, não devemos errar, mas seremos guiados por um caminho certo para uma cidade na qual habitaremos.

Se você tem que mudar a sua posição na vida, se você tem que emigrar para terras distantes; se deveria acontecer que você fosse lançado na pobreza, ou erguido de repente numa posição mais responsável do que aquela que você ocupa agora; se você é jogado no meio de estranhos, ou entre inimigos, ainda não tema, porque “o Senhor te guiará continuamente”.

Não há dilemas dos quais você não será livrado se viver perto de Deus, e seu coração se manterá aquecido com amor santo.

Não fica confuso quem anda na companhia de Deus. Como Enoque, caminhe com Deus, e você não pode confundir o seu caminho. Você tem sabedoria infalível para dirigi-lo, imutável amor para lhe confortar e eterno poder para defendê-lo. “Jeová” – marque a palavra – “Jeová te guiará continuamente”.

Texto de autoria de Charles Haddon Spurgeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Por Litrazini

Graça e Paz