sábado, 11 de outubro de 2014

O CLAMOR DOS PERDIDOS

Há um clamor no coração de todos os povos ainda não alcançados pela salvação de Deus. Esse clamor nem sempre é uma oração, na maioria das vezes é um grito por socorro.

É um clamor dos famintos, dos drogados, dos viciados, dos desesperados, dos injustiçados, dos doentes, dos depressivos, dos endemoniados, dos vazios de Deus.

O profeta Isaias apresentou o sentimento de Deus com relação a esses que chamamos de perdidos, ele disse: “Os pobres e necessitados buscam água, e não há, e a sua língua se seca de sede; mas eu o Senhor os ouvirei, eu o Deus de Israel não os desampararei. Abrirei rios nos altos desnudados, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto num lago de água, e a terra seca em mananciais”. (Isaias 41.17,18).

Quando o povo hebreu teve o seu clamor ouvido por Deus, não foi a sua oração que subiu ao céu, mas seus gritos de dor, de sofrimento e de desesperança.

Todos os dias sobem aos ouvidos de Deus gritos de desespero, de agonia e incerteza, é o clamor dos perdidos. Estão aflitos e não há quem os alivie, estão cansados e não há quem lhes dê descanso, estão perdidos e não há quem lhes aponte a direção, o caminho, estão em trevas e não há quem lhes dê a luz.

Os cristãos da atualidade estão demasiadamente ocupados com seu lazer e com suas vidas fúteis para se lembrarem dos perdidos.

Muitos deles acham que fazer missões é apenas para aqueles pobres missionários que de vez em quando eles ouvem falar que estão embrenhados em alguma comunidade pobre da África.

Mas a verdade é que cabe a cada cristão promover missões. 

Já foi dito inúmeras vezes que missões se fazem com os pés dos que vão, os joelhos dos que ficam e as mãos dos que contribuem para o sustento dos enviados.

Infelizmente a negligência é total nos ciclos evangélicos. Os recursos financeiros do Reino estão sendo usados para promover os homens e seus próprios interesses e não os interesses genuínos de Deus.

O mundo clama e o único povo que possui o conhecimento da glória de Deus o que tem feito?

Quem irá aos povos ainda não alcançados?

Quem irá alimentar os famintos de pão e de Deus?

Quem irá cuidar das feridas do corpo e da alma?

Quem será a voz que prepara o caminho para o Senhor até que Ele venha?

Deus ainda pergunta o que perguntou em Isaias 6.8: “a quem enviarei e quem há de ir por nós?” que resposta Ele terá?

Missionário Rosivaldo.

Por Litrazini

Graça e Paz