terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O ENCONTRO DA DÚVIDA COM A MISERICÓRDIA

Tenham misericórdia dos que têm dúvida. (Jd 22)

Quase sempre uma certeza inabalável terá passado, primeiro, pela dúvida. Há episódios de dúvida e dúvida arraigada.

Há dúvida na História (se Hitler de fato se matou), na ciência (se a Terra é de fato o único planeta habitado) e na religião (se Matusalém de fato viveu 969 anos).

A mais angustiante é a dúvida religiosa. Não se resolve a dúvida religiosa por meio de cálculos matemáticos.

A dúvida é um estágio de quem se encontra num momento na incerteza. Quando não desaparece no momento seguinte, em outro momento mais distante, e em nenhum outro momento, a dúvida se instala para sempre, vira uma cadeia, torna-se um vício.

As dúvidas mais importantes são aquelas que envolvem os pilares do cristianismo como, por exemplo, as duas naturezas de Jesus (a humana e a divina), o sacrifício vicário de Jesus, a ressurreição de Jesus, a unicidade de Jesus.

É por causa da gravidade desse drama que Judas escreve: “Tenham misericórdia dos que têm dúvida”. A mesma recomendação pode ser dada com outras palavras: “Há certas almas em dúvida que precisam de sua piedade”.

Judas talvez esteja se lembrando da paciência e das boas maneiras de Jesus frente à dúvida de Tomé: ele não excluiu o apóstolo do apostolado, não o repreendeu, mas disse-lhe: “Veja as minhas mãos e ponha o seu dedo nelas. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar e creia!” (Jo 20.27).


Talvez Judas tenha se lembrado daquele segundo encontro do Jesus ressuscitado com os discípulos e lidando ainda com o restante da dúvida: “Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês?” (Lc 24.38).

Ao recomendar que tratem bem aqueles que têm dúvidas, Judas deve ter se lembrado principalmente dele mesmo e do seu irmão Tiago, autor de outra carta no Novo Testamento: antes da ressurreição e dos aparecimentos de Jesus, os dois não criam nos pilares do cristianismo citados acima (Jo 7.5).

— Preciso remover as dúvidas da minha mente e ajudar os outros a fazerem o mesmo!

Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz