segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

OS FRUTOS DA FÉ

Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: A nossa fé. I João 5.4

O capítulo 11 da carta aos Hebreus é como uma vitrine que nos mostra as pessoas que sofreram, batalharam, conquistaram, venceram e até foram assassinadas por causa da sua fé. Isto se chama “vencer o mundo”.

Porque vencer o mundo é vencer a seu príncipe, o diabo; é não se deixar arrastar pela corrente da maioria incrédula, pelos que burlam dos cristãos, os ameaçam ou lhes prometem uma vida melhor.

É vencer a carne, com seus maus desejos, cobiças e angústias, para não se permitir apartar-se de Cristo, nem voltar-se contra Ele. Tudo isso se vence mediante a fé.

Aquele que nasceu de novo e é um filho de Deus pela fé em Cristo, não é escravo de nada e de ninguém. Consegue renunciar a tudo e tudo sofrer por amor ao Salvador.

Isso não significa estar imunizado do pecado, que em um momento de descuido não ceda à tentação, nem tampouco que não possa ser derrubado por um ataque de surpresa.

Mas não permanecerá caído, ele não pratica o pecado voluntariamente, senão que luta por meio da fé e se livra de suas correntes da escravidão.

O escravo tem que realizar todos os dias o seu trabalho debaixo do pesado jugo de sua escravidão. Assim, o pecado submete e reina sobre os filhos deste mundo, os quais, às vezes choram de desespero.

Mas o que é nascido de Deus não é escravo de ninguém e de nenhum pecado, por mais que cada dia tenha que lutar contra as tentações e fraquezas.

O escravo do pecado não luta, nem ora pedindo ajuda contra o inimigo, senão se escusa defendendo o seu erro.

A fé e o novo nascimento espiritual não anulam a fraqueza da nossa carne, nem nos exime da luta contra os maus desejos de nossa natureza pecaminosa. Mas sim nos mantém unidos ao nosso Salvador. COM ELE E NELE TEMOS A VITÓRIA.

Pai nosso, converte aos que ainda estão a tempo de receber a tua graça, para que unidos sejamos obedientes à tua vontade e possamos suportar com paciência e de boa vontade nossa própria cruz e todas as aflições. Amém

Sóstenes Ferreira da Silva

Por Litrazini


Graça e Paz