quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

VIVENDO A VIDA DE OUTRO, FALSIDADE IDEOLÓGICA?

Vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri.  Romanos 7.9

Eu lutava contra a cobiça, me angustiava e rogava por ajuda a fim de me ver livre dela. Mas ela crescia cada vez mais. Assustei-me e lutei ainda mais seriamente, contudo novamente pequei. Dei-me por vencido, e segui então a corrente do pecado. O pecado abundou, e cai no desespero. Desmoronei-me totalmente, cai em depressão, me entreguei, não pude lutar mais e me dei por morto.

Quando então me encontrava sangrando junto ao caminho, golpeado e ferido pelo diabo e seus asseclas, sem esperança, moribundo… Ali veio o Bom Samaritano, e vendo-me na desgraça teve misericórdia de mim. Deixou de lado a sua comodidade, baixou de sua cavalgadura, e se inclinou para me ajudar. Pôs vinho e azeite em minhas feridas e se ocupou da minha recuperação, pagando por todas as despesas.

Ou seja, ouvi o evangelho de Cristo, que disse que Ele foi entregue em sacrifício por meus pecados. Assim recebi a vida em meio à morte.

Por isso disse o apóstolo: “Irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressuscitou de entre os mortos” (v.4).

O cristão se parece com alguém que já morreu e passou para uma melhor vida. No mundo anterior, confiava em sua força moral, na capacidade de sua vontade, em seus méritos pessoais e em suas boas obras.

Agora, no novo mundo em que vive, confia apenas em Outro, nas obras e nos méritos de Outro, na força e na capacidade de Outro… Ele confia unicamente em Jesus Cristo.

Na vida anterior, Jesus era somente um mestre, uma grande personalidade, um líder puro e íntegro, capaz de morrer por seus ideais.

Mas agora, Ele é muito mais que tudo isso. Ele é o Salvador, é a vida, é a meta, é a fonte de consolo e é a vida eterna.

Na vida anterior, o mais importante era ser feliz e desfrutar deste mundo: Os bens materiais, os lugares paradisíacos, as diversões, os amigos, os prazeres, a fama, o luxo…

Em contrapartida agora, na nova vida, tudo isso é considerado como algo vão e passageiro, que inclusive pode chegar a ser contrário e prejudicial. Porque agora a boa vida, a riqueza, a felicidade e todo o bem estão unicamente em Jesus Cristo.

C.O.Rosenius (1816-1868) Vida Nueva – Trad. Sóstenes Ferreira da Silva

Por Litrazini


Graça e Paz