sexta-feira, 3 de abril de 2015

O DESAFIO DA FÉ

Se vocês não ficarem firmes na fé, com certeza não resistirão. [Isaías 7.9]

Em aproximadamente 734 antes de Cristo, durante o reinado de Acaz, rei de Judá (neto de Uzias), Rezim, rei de Arã (Síria), e Peca, rei de Israel, fizeram uma aliança temerária, com o objetivo de resistir contra a crescente ameaça de Tiglate-Pileser III, rei da Assíria, no extremo norte.

Para persuadir o rei Acaz a juntar-se a eles, decidiram atacar Jerusalém, mas ao se aproximarem, o coração de Acaz e de seu povo “agitou-se, como as árvores da floresta agitam-se com o vento” (7.2).

Porém, Javé enviou Isaías para encontrar Acaz e dizer a ele: “Tenha cuidado, acalme-se e não tenha medo. Que o seu coração não desanime por causa do furor destes restos de lenha fumegantes” (v. 4).

Esta foi a primeira crise de fé de Acaz. A segunda ocorreu logo depois. Embora a coalizão cantasse vitória antecipadamente, o Senhor Deus disse a eles: “Não será assim, isso não acontecerá” (v. 7), pois os reis eram líderes humanos, enquanto que Acaz (e isso está implícito) era rei da linhagem divina de Davi. Assim, “se vocês não ficarem firmes na fé, com certeza não resistirão” (v. 9).

Acaz, contudo, não tinha nenhuma intenção de confiar em Deus e já havia tomado uma decisão. Enviou mensageiros ao rei Tiglate-Pileser III da Assíria dizendo: “Sou teu servo e teu vassalo. Vem salvar-me das mãos do rei da Síria e do rei de Israel, que estão me atacando” (2Rs 16.7-8).

Ao mesmo tempo Acaz pagou à Assíria um tributo generoso de prata e ouro. Como consequência, a Síria foi derrotada em 732 antes de Cristo e Israel em 722.

O cerne da mensagem de Isaías era o desafio à fé. Ele implorou aos líderes da nação que não se voltassem para os poderosos impérios do Egito e da Assíria, mas que confiassem no Deus vivo.

O mesmo desafio é endereçado a nós hoje, e devemos tomar para nós as promessas de Isaías: “Aquele que confia, jamais será abalado” (Is 28.16), e mais adiante: “No arrependimento e no descanso está a salvação de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor” (30.15).

Sucedeu, pois, nos dias de Acaz, filho de Jotão, filho de Uzias, rei de Judá, que Rezim, rei da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, subiram a Jerusalém, para pelejarem contra ela, mas nada puderam contra ela. E deram aviso à casa de Davi, dizendo: A Síria fez aliança com Efraim. Então se moveu o seu coração, e o coração do seu povo, como se movem as árvores do bosque com o vento. Então disse o Senhor a Isaías: Agora, tu e teu filho Sear-Jasube, saí ao encontro de Acaz, ao fim do canal do tanque superior, no caminho do campo do lavandeiro. E dize-lhe: Acautela-te, e aquieta-te; não temas, nem se desanime o teu coração por causa destes dois pedaços de tições fumegantes; por causa do ardor da ira de Rezim, e da Síria, e do filho de Remalias. Porquanto a Síria teve contra ti maligno conselho, com Efraim, e com o filho de Remalias, dizendo: Vamos subir contra Judá, e molestemo-lo e repartamo-lo entre nós, e façamos reinar no meio dele o filho de Tabeal.

Assim diz o Senhor DEUS: Isto não subsistirá, nem tampouco acontecerá. Porém a cabeça da Síria será Damasco, e a cabeça de Damasco Rezim; e dentro de sessenta e cinco anos Efraim será destruído, e deixará de ser povo. Entretanto a cabeça de Efraim será Samaria, e a cabeça de Samaria o filho de Remalias; se não o crerdes, certamente não haveis de permanecer. Isaías 7:1-9

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.


Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz