sexta-feira, 31 de julho de 2015

AUMENTO DA POPULAÇÃO PODE PARAR A PROPAGAÇÃO DO EVANGELHO PELO MUNDO, DIZEM PESQUISADORES

Duraram 2 mil anos para que o Evangelho se espalhasse a partir da Igreja Primitiva para quase metade da população do mundo. Em 1900, 45,7% das pessoas em todo o mundo estavam cientes do Evangelho, segundo o Centro de Estudo do Cristianismo Global (CSGC). Cem anos depois, esse número cresceu para mais de 70%.

Tendo em conta que o número de organizações missionárias cresceu de 2.200 em 1970 para 5.100 em 2015, podemos supor que o mundo todo irá ouvir, em breve, as Boa Novas – mas não tão rápido, segundo o CSGC. Em 2050, a organização prevê que apenas mais 2% da população do mundo será evangelizada, totalizando 72%.

O motivo da "desaceleração" são os bebês, as outras religiões, e o minucioso trabalho de formação de discípulos

O "boom" do evangelismo no século 20 aconteceu, principalmente, pelo trabalho realizado entre os grupos tribais africanos, que não tinham vínculo com as principais religiões do mundo. O número de cristãos no continente passou de 7 milhões em 1900 para 470 milhões em 2010, de acordo com o Pew Research Center.

Por outro lado, no mesmo período, o número de muçulmanos na África cresceu de 11 a 234 milhões, enquanto o número dos praticantes de religiões tribais diminuiu de 76% para 13% dos africanos. Em outras palavras, a maioria das pessoas hoje que não ouviram o Evangelho já pertencem a uma grande religião, explica Todd Johnson, diretor CSGC.

A LÓGICA DO CRESCIMENTO
Os muçulmanos têm o maior número de jovens comparado a outras religiões: são 34% menores de 15 anos, em comparação com 27% de cristãos e 20% de budistas. Eles também têm as taxas mais altas de fertilidade do mundo: mulheres muçulmanas têm, em média, 3 filhos, enquanto mulheres cristãs têm 2 filhos, segundo um recente estudo da Pew.

Com base nisso, o estudo prevê que o Islamismo poderá ultrapassar o Cristianismo e ser a maior religião do mundo em 2050

Pew também afirma que antes de 2050, cerca de 9,4 milhões de muçulmanos vão deixar o Islã, enquanto cerca de 12,6 milhões irão se juntar à religião. Ao mesmo tempo, o cristianismo irá ganhar 40 milhões de adeptos, mas poderá perder 106 milhões. O pequeno crescimento mundial do cristianismo acontecerá principalmente por causa dos bebês.

Naturalmente, estas estimativas podem mudar, dependendo das futuras mudanças demográficas. Ainda assim, os futuros missionários, provavelmente, precisarão se concentrar em lugares como a China e a Índia para cumprir a Grande Comissão de Cristo.

"Se você não estiver evangelizando em uma área com um alto crescimento populacional, você está perdendo terreno", explica Johnson.

Em termos de números absolutos, a maioria dos restantes 2,6 bilhões de pessoas não alcançados no mundo estão na Índia (700 milhões) e na China (440 milhões).

FAZER DISCÍPULOS
Nos últimos anos, os grupos missionários têm focado no reforço de igrejas em países que já foram introduzidos no Evangelho, de acordo com o CSGC. De 1974 a 2000, 9 em cada 10 novos missionários foram enviados para plantar mais igrejas ou discipular novos crentes.

"As denominações e as redes missionárias são 100 vezes mais eficazes na plantação de igrejas onde já existem cristãos do que onde não há", disse Johnson. "Eles investem pesadamente nas duplicações".

Essa abordagem permite que as igrejas já estabelecidas cresçam, mas nem sempre leva à evangelização de grupos de pessoas não alcançadas. Em outras palavras, ele disse, "o Evangelho é fica presos em grupos de pessoas e incapaz de se mover."

Fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 30 de julho de 2015

LASCÍVIA

“Porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus”: Rm.8.13,14.

A lascívia é a prática de atos sexuais sem a pureza e a santidade bíblicas Gn.2.24.

Original grego aselgeia = sensualidade, é a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência: 2Co.12.21
.
O relacionamento sexual não tem fins meramente reprodutivos, como querem alguns, e não deve ser mera fonte de prazer como muitos o consideram.

O relacionamento sexual tem vários objetivos que foram instituídos pelo próprio Deus. Este é um lado da moeda. O outro é a lascívia, a escravidão sexual, a degradação, o excesso, o mau uso da sexualidade.

Isto é, se por um lado temos uma total condenação e repressão da utilização de sexualidade humana, de outro, temos um excessivo e desregrado uso, que é igualmente destrutivo e fonte de angústias e sofrimentos.

Num relacionamento sexual, os pares devem se preocupar mais com o prazer que podem proporcionar do que o prazer que querem e podem obter.

A lascívia faz com que a pessoa se preocupe somente com o próprio prazer, e isto de uma forma excessiva, desregrada (sem regras, sem limites e sem medir as consequências).

Pessoas há que se relacionam com animais, com vários parceiros, com pessoas do mesmo sexo, usando objetos, assistindo filmes e vendo revistas pornográficas, tudo isto é lascívia.

A lascívia é uma água que não sacia, é uma água que dá mais sede, e cada vez que as pessoas se entregam à lascívia, mais são envolvidas por ela, mais são tragadas, são viciadas, controladas, dominadas, escravizadas. É uma escada que leva as pessoas cada vez mais para baixo.

A pessoa que é dominada pela lascívia é aquela que está sempre "em busca de novas emoções", porque o que tem logo perde o gosto e a graça. E nessa busca, deixa sua humanidade para se tornar menos e pior do que os animais.

Os filmes, as novelas, as propagandas estão cheios de elementos que acalentam a lascívia, que sempre começa com um "pequeno desvio" que descamba para longe da presença de Deus.

O mundo incentiva e alardeia o mau uso de nossa sexualidade, e, em alguns atos, dá a entender que seria uma forma de ser feliz. Mas são apenas umas flores que se colocam sobre as correntes que prendem as pessoas que se tornam escravas da lascívia.

Tem um cena de um filme do Batman (o homem morcego), que retrata e denuncia essas correntes. Nela, o Coringa grita: o riso que vês em meus lábios apenas escondem a tristeza que carrego no meu peito (ou coisa parecida), assim é o mundo.

A impureza é o começo da lascívia e o fim do caminho é a escuridão das trevas, a frustração, a angústia, a dor e o sofrimento. "Ainda que o mal lhe seja doce na boca, ainda que ele o esconda debaixo da sua língua, ainda que não o queira largar, antes o retenha na sua boca, contudo a sua comida se transforma nas suas entranhas; dentro dele se torna em fel de áspides”: Jó 20:12-14

Lidiomar Trazini Granatti

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A VONTADE DE DEUS É BEM MAIS ALTA QUE A MINHA

De agora em diante, vivam o resto da sua vida aqui na terra de acordo com a vontade de Deus. (1Pe 4.2)

Em momentos de contrição, o povo de Deus fez muitas promessas com esta cláusula: “de agora em diante”. Quantas não vingaram! Quantas foram refeitas mais de uma vez! Essa é uma experiência comum no espaço e no tempo. Apesar do êxito nem sempre esperado, em caso de sinceridade, essa providência não deve ser desprezada.

Além de ser muitas vezes uma iniciativa individual, outras vezes ela é inspirada por um líder religioso, por um parente, por um amigo. Esse é o presente caso.

O apelo vem de Pedro: “De agora em diante, vivam o resto de sua vida aqui na terra de acordo com a vontade de Deus”. Não seria o primeiro esforço nessa direção que os crentes da Ásia Menor iriam fazer.

O esforço deve começar agora e não depois, hoje e não amanhã. O esforço deve terminar não na semana que vem, no mês que vem, no ano que vem, mas no último sopro de vida.

Por não sabermos quantos anos de vida nos restam, também não sabemos durante quanto tempo teremos o prazer de viver de acordo com a vontade de Deus. Pode ser curto, pode ser longo.

O alvo é fazer a vontade do Pai de agora até a hora da nossa morte. No entanto, se alguém tropeçar, não há motivo para se desesperar ou pensar em desistir, porque “temos Jesus Cristo, que faz o que é correto; ele nos defende diante do Pai” (1Jo 2.1).

Porque a vontade de Deus é muito mais elevada que a nossa, não será fácil fazer a vontade dele dia após dia, ano após ano. Deus sabe disso, e Paulo também sabia: “Porque o que a nossa natureza quer é contra o que o Espírito quer” (Gl 5.17).

Então, fazer a vontade de Deus só é possível se crucificarmos a vontade da nossa natureza humana.

Se setenta vezes eu deixar de fazer a vontade de Deus, setenta vezes vou resolver: “De agora em diante vou viver de acordo com a vontade de Deus”!

Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 28 de julho de 2015

O BRADO DE DEUS


Atentamente ouvi a indignação da sua voz, e o sonido que sai da sua boca. Jó 37:2

Quantas vezes estamos em algum lugar quando do nada alguém nos chama, e como é chato quando estamos passando e alguém grita o nosso nome de forma que desconhecidos ouçam, quantas vezes estávamos em determinado lugar tentando manter-se disfarçadamente, e, de repente, surge alguém e diz; fulano você está ai?

Certamente o sorrisinho amarelo vem à evidência, e, tentamos nos portar de forma agradável, mas lá dentro o verdadeiro desejo é outro, no mínimo de dizer uma palavrinha de raiva. Isso acontece porque naquele momento, a nossa intenção era passar no anonimato, não ser notado, mas, para nos contrariar o inesperado acontece, fomos vistos. Mais o que isso tem haver com a palavra? Tudo!
Muitas vezes vivemos a vida da forma que queremos, vamos ali, vamos cá, e lá vamos nós.

Um errinho aqui outro ali, e achamos que esta tudo bem, que tudo é normal, sem nos darmos conta que, estamos somando os erros, e, o que se soma, cresce, logo surgirá uma montanha. Infelizmente o que diz no Salmo 1:1, e deletado das nossas mentes, Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Onde estamos, aquilo que fazemos, o que profere os nossos lábios, irão dizer a quem estamos seguindo.

Quando a palavra de Deus diz que existe uma nuvem de testemunhas sobre a nossa cabeça, isto quer nos dizer, que, nada que venhamos fazer, passa despercebido, ainda que, pensemos que foi oculto aos olhos humanos, precisamos entender que a Trindade, os anjos e as hostes do mal, todos, viram e estão nos observando.

Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Hebreus 12:1, quando fazemos algo, seja bom ou mal, por mais insignificante que para nós pareça ser, muitos olhos viram, estamos sendo visionados cada segundo do nosso viver, e, eu não me refiro às tecnologias humanas, refiro-me ao mundo espiritual e ao profundo olhar celestial, Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. Provérbios 15:3

Em muitos casos, os dias vão passando, e, estes percalçosinhos que pensamos que Deus não se importa, ficaram tão elevados que foi construída uma fortaleza para nos distanciar de Deus, os lapsos, que deixamos no meio da trajetória das nossas vidas, aquelas coisinhas que nem lembramos se, foram boas, um dia vira nosso o pago, se foram ruins, também virá a nossa recompensa.

Muitas pessoas passam anos em templos religiosos, alimentando uma fé de superfície, falando da bíblia sem conhecer o que fala, nem o Deus da Bíblia. Na igreja de Cristo, poucos são os que de fato conhecem a Deus, os templos estão inchados de pessoas e aquilo que está com inchação está doente, porque conhecer a Deus é muito mais que ir a um culto, e muito mais que dá dízimos ou ofertas, e muito mais que fazer boas obras, é muito mais que cantar louvores, conhecer a Deus é reconhecer a grandeza do que Ele é e o adora-lo em Espirito em Verdade, Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem, João 4:23.

E, quando se conhece a Deus si tem temor e tremor, isto não é heresias, Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor. Salmos 2:11, quando se conhece a Deus realmente, foge-se do pecado, porque entende, que, Deus aborrece o pecado, e se Deus aborrece, como eu posso dizer que o conheço se os meus desejos estão envolvidos no pecado?

Quando fazemos algo inconscientemente e achávamos que estávamos certos, Deus julga isto e age com misericórdias para com as nossas vidas. Porém se estamos de maneira coerente, consciente, sabendo que é errado, mesmo assim insistimos em fazer, estamos dizendo a Deus; abomine-me.

Quando erramos por prazer, gritamos a Deus que Ele não significa nada para nós. Só que, quando nos distanciamos de Deus ficamos perto do inimigo, Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Romanos 6:13

Ultimamente causa até vergonha as coisas que alguns cristãos fazem, verdadeira merchandagem da fé, troca-se o evangelho por qualquer prato de lentilhas apodrecidas, usam-se, a palavra em beneficio próprio, agora, qualquer objeto inânime virou gospel, já se vende até o cheiro de Jesus, que beleza!


Esquece-se de denunciar o pecado, de pregar o arrependimento, de propagar o reino de Deus entre os homens, de falar que Jesus estar por vir, de mostrar que existem dois caminhos, Céu e inverno, ou se vai para um ou para o outro.

O que a bíblia diz que é errado, temos a obrigação de mostrar que é errado, porque se alguém for condenado por negligencia daqueles que ensina a palavra o sangue desta pessoa cairá sobre o omisso. Doa em quem doer, goste quem gostar, está escrito na bíblia é a verdade, por isso tem que ser dita, é melhor ser morto pelos homens e ir para o Céu, do que ser cumplices deles e ir para o inferno, E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo. Mateus 10:28.

Se ainda vivemos tendo satisfação no erro, certamente não conhecemos a Deus. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.1 João 3:9.

A voz de Deus ultrapassa o recôndito do nosso Ser, e, quando lemos algo sobre o seu reino, e que, essa palavra vem de encontro as nossas vidas, isto é porque Deus está gritando o nosso nome, Psiuu! Eu estou te vendo.

Deus quer que você entenda que, nada você pode esconder Dele, e por Ele amar o pecador, está te dando à oportunidade de você rever os teus conceitos de Cristão e Converte-se verdadeiramente, por isso que muitas vezes a palavra parece ser uma espada de fogo dentro do coração, em casos, ela confirma sua comunhão com Deus, noutros, denuncia os teus erros, porque, sabendo da verdade, que as coisas que você esta fazendo desagrada a Deus, se você tem desejo de seguir a Deus, você vai procurar mudar, porque a verdade liberta. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. João 8:32.

Tudo que refere-se as nossas vidas está debaixo do olhar de Deus e escrito em seu livro, neste instante, Ele, brada com você. Filho meu dá-me o teu coração!

Pra Elza Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 27 de julho de 2015

O DEUS SEM LIMITES

E os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, a tua fidelidade também na congregação dos santos… o Senhor Deus dos Exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor? (Salmo 89:5, 8).

O Deus a quem servimos não conhece limites – ele é completamente ilimitado no tempo, no espaço e nas condições. Ele é todo-poderoso, tem toda a autoridade, e é todo criativo. Absolutamente nada é impossível para ele. Não há limite para Sua generosidade, suas habilidades, Seu amor, misericórdia, e Seu desejo de abençoar os seus filhos.

A FIDELIDADE DE DEUS E A CONFIABILIDADE DE SUA PALAVRA SÃO TEMAS CONSTANTES NA BÍBLIA.
Provamos de Sua fidelidade quando nos defrontamos com tentações. Então Deus “não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (1 Coríntios 10:13).

A FIDELIDADE DE DEUS TAMBÉM É A BASE DA NOSSA SEGURANÇA DA SALVAÇÃO.
Podemos “estar firmes”, “porque fiel é o que prometeu” (Hebreus 10:23). Ele não é como as pessoas que mentem, que fazem promessas que depois mudam de opinião, ou oferecem e não fazem o bem (Números 23:19).

A FIDELIDADE DE DEUS É DEMONSTRADA NO FATO DELE TER NOS DADO SUA PALAVRA.
De que outra forma poderíamos saber que ele está constantemente procurando redimir o homem do pecado e arrancá-lo das trevas?

Em Sua palavra vemos que ele tem a solução para nossos problemas e que, portanto, não deveríamos duvidar nem abandonar nossa esperança ao primeiro sinal de oposição e dificuldade.

Por causa de Seu ilimitado poder e fidelidade, podemos andar com confiança, mesmo quando tudo dá errado.

Se de fato confiarmos em Sua Palavra, então creremos e nunca iremos abrir nossa boca para reclamar.

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 26 de julho de 2015

O SANTO E O PROFANO

“…Assim respondeu o Senhor: “Se você se arrepender, eu o restaurarei para que possa me servir; se você disser palavras de valor, e não indignas, será o meu porta-voz. Deixe esse povo voltar-se para você, mas não se volte para eles. Eu farei de você uma muralha de bronze fortificada diante deste povo; lutarão contra você, mas não o vencerão, pois estou com você para resgatá-lo e salvá-lo”, declara o Senhor.” Jeremias 15.15-20.

Uma coisa é errar intencionalmente, outra coisa é errar por ignorância. Adão e Eva erraram conscientemente. Deus os havia advertido, eles erraram porque quiseram. Eles sabiam das consequências: morte, separação, disciplina, isolamento.

Sansão também foi alertado por seus pais, ele errou porque quis. Seus pais eram crentes, e disseram a ele: “Não se envolva com essas mulheres, são perigosas.” Mas ele errou porque quis.

Judas também errou porque quis: andou três anos com Jesus, viu os milagres que Ele realizava, ouviu Seus ensinamentos. Judas não conviveu com um ser humano comum, ele andou com Jesus, viu os milagres do Mestre, inúmeros, e mesmo assim optou por errar.

Os sacerdotes também desejaram errar: eles viram que Jesus Cristo era o Messias, mas, era mais cômodo agirem como agiam, e erraram conscientemente, crucificaram Jesus.

Os dois ladrões da cruz erraram, eram ignorantes, mas, um deles viu o erro que cometia, e resolveu consertar sua vida: deixou de ser profano.

Saulo de Tarso também errou: mas errou por ignorância, ele pensava que fazia o que era certo, ele perseguia os cristãos, até o dia que conheceu a verdade e optou por aquilo que é santo.


Todos sabemos através das advertências bíblicas o que é errado.

Há pessoas agora errando misturando o santo com o profano por ignorância. Nesse texto, Jeremias passava por uma grande luta, ele queria que Deus libertasse a nação, que abençoasse a sua família e a Palavra do Senhor para ele foi:“Vocês não conseguem separar o santo do profano!”

Quem sabe você é uma pessoa santa dentro da igreja, mas, quando sai pelas portas, deixa de ser santo, e passa a ser profano (a)?

Muitos exaltam Jesus na casa de Deus e na rua deixam que o diabo use suas bocas. Misturam o santo com o profano.

O homem tem profanado aquilo que é santo, aquilo que Deus determinou. Muitos casais têm se perdido sexualmente no que é profano.

Nas festas, as pessoas têm participado de momentos que não tem nada de Deus: brigas, contendas, bebidas…

Se separarmos o santo do profano o Senhor nos abençoará! Precisamos aprender a discernir o que é santo e o que é profano.

À queixa de Jeremias o Senhor disse: “Se você se arrepender, eu o restaurarei…” Olha a condicional: ‘SE’.

Deus espera primeiro o arrependimento, então, a obra é feita.

Muitos querem a restauração, poucos querem o arrependimento. Quando separamos o santo do profano, o Senhor nos faz como que uma muralha de bronze, as pessoas podem se levantar contra nós, mas, não prevalecem, porque o Senhor está conosco.

O que é de Deus é de Deus, o que é do diabo é do diabo. Você tem o Espírito Santo, separe o santo do profano.

O santo cada vez fica mais santo e o sujo, cada vez mais sujo. A palavra de Deus diz: “O limpo limpe-se mais e o sujo, suje-se mais ainda…”

Obedeça ao Senhor e Ele fará de você um muro de bronze, fortificado!

Pr. Jorge Linhares

Por Litrazini

Graça e Paz


sábado, 25 de julho de 2015

ALEGRE-SE! JESUS ESTÁ TE CHAMANDO PELO NOME

Quando nós meditamos na história da ressurreição de Lazaro narrado no livro de “João 11: 39-43 “ vemos que Jesus mandou tirar primeiro a Pedra que estava a porta do sepulcro.

Para muitos dos Judeus era uma verdadeira loucura fazer isso, até porque Lazaro já estava quatro dias sepultado. A própria irmã do morto “ Marta “ falou isso em “ João 11:39“ e o próprio Senhor Jesus disse a ela: Marta! ” Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus “.

É inevitável que muitas pessoas sejam como Marta, descreem no que Jesus pode fazer através de nossa Fé. A falta de Fé, é como se no meio de nosso caminho existisse uma parede que impede de vermos o outro lado da estrada, travando nossa passagem para prosseguir e impedindo que vejamos o mover de Deus.

Nesta passagem, vemos que Jesus para fazer que Lázaro voltasse a vida precisaria de algo que não dependia dele: “ remover a pedra do Sepulcro “.

Trazendo para nossos dias atuais, fica muito claro que depende de nós removermos pedras de nossas vidas, para que Jesus possa agir por nós ! Tirar a pedra significa primeiramente Crer e Acreditar que irá acontecer uma mudança radical em nossas vidas.

O Milagre só acontece a partir do momento que eu Creio que Deus pode todas as coisas, a jamais questionar o que Ele pode fazer por mim.

Marta no começo não obedeceu a palavra do Senhor Jesus, ela primeiro questionou a Ele, dizendo que já havia 4 dias que seu irmão estava morto, e Jesus disse a ela: ” Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus ”.

Para remover essa pedra que tanto tem atrapalhando e impedindo a visão de muitas pessoas, e as tem deixado cegas para que não possam enxergar o agir de Deus, é necessário ter comunhão com Jesus, não devemos ser guiados pelos nossos próprios conceitos, porque eles falham. A forma pela qual agimos e pensamos, se não for guiado por Deus, chega ao fracasso, e quando nem bem pensamos já estamos tomados pela cegueira espiritual.

Lembre-se que ao remover a pedra que tanto tem atormentado sua vida, você encontrará uma vós que estará em frente ao sepulcro ” Jesus Cristo ” falando e te chamando pelo nome, e você poderá confiar Nele, pois Ele nunca deixará que seus projetos, sua família, seu emprego, seus sonhos sejam sepultados!

Pense nisso! Toda remoção de pedras depende de vontade de fazer “força”. Depende de uma mudança de atitude.

Alegre-se! Jesus esta a te chamar pelo nome, você pertence a Ele e nada vai te destruir e nenhum mal irá sepultar teus planos.

Pr. Marcos Monte

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 24 de julho de 2015

ORANDO EM SITUAÇÕES DIFÍCEIS

Ezequias recebeu a carta das mãos dos mensageiros e a leu. Então subiu ao templo do Senhor, abriu-a diante do Senhor e orou. (Isaías 37.14-15)

Este capítulo de Isaías contém uma história interessante sobre o rei Ezequias. Os assírios estavam atacando Jerusalém com um grande exército e começando a vencer. A situação parecia desesperadora.

O rei Senaqueribe ridicularizou Ezequias sem misericórdia. Senaqueribe zombou da desgraça de Ezequias escrevendo uma carta repleta de insultos contra Deus para fazer o devoto rei perder toda a esperança.

Em vez de perder a esperança, Ezequias foi para o templo, abriu a carta diante de Deus, prostrou-se com o rosto tocando o chão e fez uma oração fervorosa.

Aprender a orar quando há uma emergência ou quando alguma coisa está nos amedrontando requer muita disciplina. Em vez de orar, temos a tendência de nos torturar com ansiedade e preocupação.

Pensamos apenas em como nos livrar do problema.

Muitas vezes o Maligno nos engana quando a tentação ou o sofrimento começam, deixando a dúvida se a questão é espiritual ou física. Imediatamente ele entra sem pedir licença e nos deixa tão perturbados com relação ao problema que nos tornamos consumidos por ele.

Neste sentido ele nos afasta da oração. Ele nos deixa tão confusos, que nem mesmo pensamos em orar. Quando, finalmente, começamos a orar, já nos torturamos quase até a morte.

O Maligno sabe o que a oração pode realizar. É por isso que ele cria muitos obstáculos e a torna tão difícil para nós que nunca conseguimos parar para orar.

Com base nesta história registrada no livro de Isaías, nós devemos adquirir o hábito de ficar de joelhos e colocar as nossas necessidades diante de Deus no momento em que tivermos uma emergência ou ficarmos amedrontados.

A oração é o melhor remédio que existe. Ela sempre funciona e nunca falha – basta fazer uso dela!

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 23 de julho de 2015

POR QUE DEVO ACREDITAR NO INFERNO?

Os horrores do inferno são tão intensos que nos fazem instintivamente recuar em descrença e dúvida. Todavia, existem razões convincentes de que devemos apagar essas dúvidas de nossa mente.

Primeiro, Cristo, o Criador do cosmos, falou com clareza sobre a realidade irrevogável do inferno. Ele passou mais tempo falando sobre o inferno do que sobre o céu. No Sermão da Montanha (Mateus 5—7), Ele alertou seus seguidores explicitamente quanto aos perigos do inferno diversas vezes. No Sermão Profético no Monte das Oliveiras (Mateus 24—25), Cristo avisou seus seguidores repetidas vezes do julgamento por vir. E, em sua famosa história do rico e Lázaro (Lucas 16.19-31), Cristo retratou vividamente a finalidade do tormento eterno no inferno.

Além disso, o conceito de escolha requer acreditarmos no inferno. Sem o inferno, não existe escolha, o céu não seria céu; o céu seria inferno. Os justos herdariam um céu falsificado, e os ímpios ficariam encarcerados no céu contra a sua vontade, o que seria uma tortura pior do que o inferno.

Imagine passar toda a vida voluntariamente distanciado de DEUS, só para se encontrar involuntariamente envolvido em sua amável presença por toda a eternidade; a alternativa para o inferno é pior do que o próprio inferno, pois as pessoas, feitas à imagem de Deus, seriam desprovidas da liberdade e forçadas a adorar a contragosto.

Cristo passou mais tempo falando sobre o inferno do que sobre o céu.

Finalmente, o senso comum também declara que sem o inferno não há necessidade de um Salvador. Não é preciso falar muito sobre o absurdo de sugerir que o Criador deveria sofrer mais do que os sofrimentos acumulados para toda a humanidade, se não houvesse inferno do qual nos salvar.

Sem o inferno, não há necessidade de salvação. Sem salvação, não há necessidade de um sacrifício. E sem um sacrifício, não há necessidade de um Salvador. Quanto mais queremos pensar que tudo será salvo, mais o senso comum impede essa possibilidade.

E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para vergonha e desprezo eterno” (Daniel 12.2).

“Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente. Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele. E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas. E aconteceu que o mendigo morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico e foi sepultado.

E, no Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão e Lázaro, no seu seio. E, clamando, disse: Abraão, meu pai, tem misericórdia de mim e manda a Lázaro que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebestes os teus bens em tua vida, e Lázaro, somente males; e, agora, este é consolado, e tu, atormentado. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá, passar para cá.

E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos. E disse ele: Não, Abraão, meu pai; mas, se algum dos mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam. Porém Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos Profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite.

HANK HANEGRAAFF

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 22 de julho de 2015

CUIDADO COM O QUE VOCÊ PEDE


Outro dia ouvi um fiel e puritano seguidor do Nazareno fazer o seguinte pedido: “Ah, eu gostaria de ter a fé de Abraão!”. Feito o pedido fechou os olhos, sorriu sinceramente e suspirou. Toda a dramaticidade das palavras e expressões comunicavam piedade e um desejo sincero por um tipo de fé invencível, heróica e inabalável. Lindo. E preocupante.

A cena que vi não é incomum, muito menos rara. Milhões de cristãos sonham com as vitórias, as conquistas e os milagres contidos nas narrativas bíblicas. Tudo normal e dentro do script para os ideais daqueles que creem. O problema é que histórias inspiradoras são exatamente isso: inspiradoras. Querer repetir o sobrenatural pode vir a ser frustrante.

Exemplos? Vamos lá. Quantas vezes o mar vermelho e o Rio Jordão se abriram? Quantas vezes um carro de fogo e um redemoinho sugaram um profeta? Quantas vezes o sol parou? Quantas vezes uma família construiu uma arca? Quantas vezes um homem de Deus foi transladado? Quantas vezes um homem andou sobre as águas?

E qual o problema em querer ter uma fé como a de Abraão? Nenhum. Ou todos! Para ser coerente com tal pedido, preciso ser coerente com toda a vida do patriarca. Portanto preciso aceitar todo o pacote, senão serei semelhante aos milhões que amam o Jesus Salvador e odeiam o Jesus Senhor, numa escolha que define que o Jesus que salva é bom, enquanto o que ordena mandamentos não é tão bom assim. Percebe a fragilidade de relações pela metade?

Então, ok, pedido atendido, aqui está a fé de Abraão. Mas não se esqueça de todo o pacote: saia da tua parentela, vá para uma terra sem qualquer preparo, apenas confie que farei de ti uma grande nação, te deixarei anos sem que sua esposa possa te dar filho, depois te darei milagrosamente um filho, depois mandarei que você mate este filho e, bem, em vida, você não verá todas as promessas que lhe foram prometidas. E aí, topa? Não sei você, mas acho firmemente que eu vacilaria.

E note, para chegar-se a conclusão que Abraão é o nosso pai na fé, primeiro ele teve que passar por cada prova. Enfim, se deixar levar pela empolgação e fazer pedidos e promessas sem qualquer ponderação, via de regra, é caminho certo para grandes micos. Vide exemplo o grande Pedro: “De forma alguma te negarei ou te abandonarei, Senhor...” Aham!

A fé precisa amadurecer e se assentar em nosso coração. Pode ser pequena, simples, limitada, sem problemas. O que se exige é que a fé, independente de seu tamanho ou força, seja pura. Pura como a minúscula semente do grão de mostarda. Aí, na perspectiva desta pureza podemos e devemos nos inspirar com os fatos bíblicos e, com fé, nos abandonarmos nas mãos de Deus para vivermos nossas particulares histórias.

Se não consigo me comparar com Abraão, tem um pai na Bíblia com o qual consigo me comparar, seu nome não nos é informado e, sem medo de ser mal interpretado, meu nome se encaixaria bem para aquele pai. Marcos 9:14 a 29 narra o drama de um pai com seu filho mudo e surdo. Conversando com este pai, Jesus diz a ele que se ele podia crer, tudo então seria possível ao que cresse.

Observe, foi o próprio Cristo que fez tal afirmação e, mesmo assim, a honestidade daquele pai até hoje me comove. Veja a resposta dele no versículo 24: “Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade.” Sinceridade total em admitir os limites pessoais da própria fé. E autenticidade sem pretensões de se querer impressionar é fundamental no relacionamento com Aquele que conhece a tudo e a todos.

Nunca vou esquecer o conselho que li num livro ainda na minha adolescência: “Cuidado com o que você pede, pois Deus pode atender sua oração!” Ou seja, uma fé temperada com juízo, confiança e temor, sempre fará questão de declarar: “Acima de tudo, Senhor, faça a Tua perfeita vontade, pois a ela me submeto”

Edmilson Ferreira Mendes 

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 21 de julho de 2015

DEUS É CONTIGO EM TODO O TEMPO

E hoje sabereis que falo, não com vossos filhos, que o não sabem, e não viram a instrução do Senhor vosso Deus, a sua grandeza, a sua mão forte, e o seu braço estendido; Deuteronômio 11:2.

Por mais contraditória que seja a situação que está a nos envolver, Deus nunca nos desamparou, mesmo que tenhamos todos os motivos para duvidar dessa palavra.

A verdade é que, Deus sempre quis agir em nossa defesa, a razão de Deus muitas vezes nos ver passando por tribulações e não fazer nada é, porque, Ele fica simplesmente esperando que o chamemos. Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam (Salmos 9:10).

Deus é uma pessoa extremamente educada de princípios nobre, realeza divinal, caráter inquestionável, apesar de, Ele ser Deus, e, possuir total domínio sobre todas as coisas, de saber que tudo submete-se as suas ordens, no entanto, Ele não é tirano, Ele não manipula o Poder só para mostrar que é superior, Ele não hostiliza ninguém para dizer que é Ele quem manda. Deus falou uma vez; duas vezes ouvi isto: que o poder pertence a Deus, (Salmos 62:11).

Quem tem autoridade, não precisa provar nada para ninguém, este, é reconhecido apenas no ouvir o soar do seu nome.

Deus sabe muito bem quem Ele é, e o poder que Ele tem, nós, é que ainda não entendemos isso. Se absorvêssemos isto e tivéssemos o convidado para fazer parte da nossa vida sem reservas, Ele já teria realizado uma forma de nos livrar dentro do problema.

Se acreditarmos nisto ou não, isso não vai alterar quem Ele é, Ele continuará sendo Deus Poderoso e reinando em majestade, no entanto nós, longe dele e descrente do seu agir, seremos como palhas secas manipuladas por ventos.

Se, Deus quiser pegar toda a humanidade de uma só vez, e, fazer um bolinho dentro das suas mãos, Ele pode nos amassar e deixa sair às fagulhas por entre os seus dedos, no entanto, se toda a humanidade arquitetar os mais excelentes planos para pegar a Deus, conseguirá? Devemos lembrar que somos carne e nada podemos contra Deus, mais Deus pode tudo contra ou ao nosso favor. Porque se lembrou de que eram de carne, vento que passa e não volta (Salmos 78:39).

Deus fez o Ser humano com livre arbítrio, então, se quando Ele visualizasse alguém em situação ruim e fosse tomar a frente sem ser chamado, Ele estaria negando a sua natureza divina. Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo, (2 Timóteo 2:13)

Se Deus resolver os nossos problemas sem pedirmos a sua ajuda, Ele estaria extrapolando aquilo que Ele próprio implantou, a livre iniciativa de escolha. Mas nada quis fazer sem o teu parecer, para que o teu benefício não fosse como por força, mas, voluntário (Filemom 1:14)

Eu decido a quem devo seguir, eu decido qual será o meu futuro, as minhas escolhas são eu quem as faço, o caminho da vida e da morte está disponível, eu, quem resolvo por onde caminhar. Mais entre eu decidir, e, Deus aprovar a minha decisão, há uma enorme distancia, porque Deus não irá aprovar uma decisão minha errada, Ele só irá fazer acontecer o meu desejo, quando aquilo que eu quero está em acordo à vontade Dele. O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos (Provérbios 16:8-9).

Agora, Se, o chamarmos para Ele assumir a liderança das nossas vidas, deixar ao seu dispor nossos planos e projetos, certamente teremos muitas vitorias. Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos (Provérbios 16:3).

Logo, entendo que, se está acontecendo em nossas vidas situações ruins e ainda não vimos o agir de Deus, é porque ainda não pedimos a sua ajudar. Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á (Mateus 7:7), E, Se pedimos e não recebemos foi porque pedimos mal, Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites (Tiago 4:3).

Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas (1 Coríntios 15:27), Sujeite a sua vida nas mãos de Deus e verás o que Ele fará por você.

Pra Elza Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz


segunda-feira, 20 de julho de 2015

COMO DISCERNIR UM PROFETA E SUA PROFECIA

E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. Mateus 24.11

- PELOS FRUTOS QUE O PROFETA APRESENTA NA SUA VIDA. OBSERVE A SUA MANEIRA DE VIVER – LEIA: S.MT.7:16-18: “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons”.

- A PROFECIA QUE SAIU DA BOCA DO PROFETA GLORIFICA A CRISTO? SE NÃO GLORIFICAR NÃO PROVEM DELE. LEIA: JO. 16.14 E AP.19.10: “Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará”. “… adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia”.

- A PROFECIA CONCORDA COM A PALAVRA DE DEUS, POIS TODA PROFECIA ESTARÁ DE ACORDO COM A PALAVRA. LEIA: JO 15.7; IJO 14: “Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito”. “E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve”.

- VEJA SE A PROFECIA SE CUMPRIU. LEIA: DT. 18.20-22: “ Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome alguma palavra que eu não tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá. E, se disseres no teu coração: Como conheceremos qual seja a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás”.

- MESMO QUE SE CUMPRA, CUIDADO. DT. 13:1-5 – NEM TUDO QUE PARECE BOM E ESPIRITUAL É REALMENTE VERDADEIRO: “Se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser: Vamos após outros deuses que nunca conhecestes, e sirvamo-los, não ouvireis as palavras daquele profeta, ou daquele sonhador; porquanto o Senhor vosso Deus vos está provando, para saber se amais o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. Após o Senhor vosso Deus andareis, e a ele temereis; os seus mandamentos guardareis, e a sua voz ouvireis; a ele servireis, e a ele vos apegareis. E aquele profeta, ou aquele sonhador, morrerá, pois falou rebeldia contra o Senhor vosso Deus, que vos tirou da terra do Egito e vos resgatou da casa da servidão, para vos desviar do caminho em que o Senhor vosso Deus vos ordenou que andásseis; assim exterminareis o mal do meio vós”.

- ESTA PROFECIA ESTARÁ PRODUZINDO LIBERDADE OU ESCRAVIDÃO? LEIA: RM 8.15; IITM.1:7: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai!” “Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação”.

- SAIBA QUE A UNÇÃO DE DEUS TE REVELARÁ SE DEUS LIBEROU A REFERIDA PROFECIA, POR ISSO É IMPORTANTE ESTAR EM COMUNHÃO COM DEUS. IJO 2.20 E 27: “ Ora, vós tendes a unção da parte do Santo, e todos tendes conhecimento”. “E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei”.

Artigo compilado  / CACP

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 19 de julho de 2015

A FÉ TRAZ LIBERDADE

Sabemos que ninguém é justificado pela prática da Lei, mas mediante a fé em Jesus Cristo. Assim, nós também cremos em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pela prática da Lei, porque pela prática da Lei ninguém será justificado. (Gálatas 2.16)

Não cometa o erro de pensar que os cristãos são pessoas que nunca pecam nem se sentem pecadores. Em vez disso, por causa da sua fé em Cristo, Deus simplesmente não lhes atribui seus pecados. Esse ensino é confortador para aqueles que têm consciências aterrorizadas.

Por uma boa razão, nós frequentemente tentamos causar a impressão nas pessoas de que os pecados são perdoados e a justiça é atribuída aos cristãos por amor a Cristo. De modo semelhante, os cristãos não devem ter relação alguma com a lei ou com o pecado.

Uma vez que somos cristãos, nós estamos acima da lei e do pecado. Cristo é o Senhor da lei. Ele está presente e “trancado” em nossos corações, assim como uma pedra preciosa está firmemente engastada em um anel.

Quando a lei nos acusa e o pecado nos aterroriza, tudo o que precisamos fazer é olhar para Cristo.

Quando nos apegamos a ele com fé, temos a vitória sobre a lei, o pecado, a morte e o Maligno.

Em razão de Cristo reinar sobre tudo isso, não seremos prejudicados.

É por esse motivo que um cristão, corretamente definido, está livre de todas as leis e sujeito a ninguém, seja interna ou externamente.

Porém observe que eu disse “uma vez que somos cristãos”, não apenas por sermos humanos ou termos consciências.

Somos livres quando temos consciências que foram transformadas e enriquecidas por meio da fé.

Essa fé é um tesouro maravilhoso e imensurável – como Paulo diz, um “dom indescritível” (2Co 9.15), um dom que não pode ser elevado o suficiente nem louvado o bastante.

Ele nos torna filhos e herdeiros de Deus.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz