quinta-feira, 9 de julho de 2015

CRISTO E A LEI

Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir. Mateus 5.17

As pessoas ficaram muito impressionadas com a autoridade de Jesus. “O que é isso?” elas perguntavam. “Um novo ensino!” Em particular, perguntavam qual era a relação entre a sua autoridade e a autoridade da lei de Moisés.

Para essa pergunta, expressa ou não, Jesus dá agora uma resposta definitiva. Ele havia vindo não para abolir o Antigo Testamento, mas para cumpri-lo. Ou seja, veio aperfeiçoá-lo, obedecer a ele e fornecer seu verdadeiro significado, pois ele tem uma validade permanente.

Em consequência disso, a importância no reino de Deus seria medida pela obediência à lei. Jesus continuou: “Se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus” (v. 20).

Quando ouviram isso, os discípulos devem ter ficado confusos, pois os escribas e fariseus eram as pessoas mais corretas sobre a terra.

Como observamos, eles haviam calculado que o Antigo Testamento continha 248 mandamentos e 365 permissões, e eles afirmavam guardar todos.

Como poderiam os discípulos de Jesus ser mais corretos que as pessoas mais corretas do planeta?

O enigma não é difícil de resolver. A justiça cristã é maior que a justiça farisaica porque é mais profunda — é uma justiça do coração.

O restante do capítulo 5 de Mateus consiste em seis parágrafos paralelos, cada um deles contendo uma antítese, introduzida pela fórmula: “ouviram o que foi dito… mas eu lhes digo”.

Com quem Jesus está se contrastando?
Muitos comentaristas têm sustentado que Jesus está se contrapondo a Moisés. Mas, definitivamente, não é isso, por duas razões no mínimo.

Primeira, a expressão que Jesus usava quando citava a Escritura era: “Está escrito”; a expressão “foi dito” introduzia uma tradição oral, não escrita da Escritura. Segunda, Jesus acabara de afirmar, em termos inequívocos, a autoridade duradoura da Escritura (v. 17-18); é inconcebível que, imediatamente depois, ele contradissesse a Escritura e, desse modo, a si mesmo. Não!

Ele endossava a Escritura, insistia em sua autoridade, e dava a ela seu verdadeiro significado.

Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus. Mateus 5:17-20

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato

Por Litrazini

Graça e Paz