domingo, 8 de novembro de 2015

A GRAÇA NÃO É JUSTA

Você acha mesmo justo que Jesus tenha sido enviado, Jesus que era puro e santo, Jesus que não pecou, Jesus que dedicou sua vida à servir, acha justo que logo Ele tenha sofrido tanto e morrido por mim e por você?

Ouvimos falar tanto sobre a graça. Sobre ela nos ser oferecida, sobre ser um presente. A nossa salvação é pela graça, foi paga com o sangue do Cordeiro. 

A graça não é justa, ela não foi feita pra ser. É graça, é uma demonstração espontânea de amor. O ladrão que se arrependeu na hora de sua morte, ao lado de Cristo, ele não pode viver uma vida com Cristo, mas teve sua salvação. Essa é a graça, ela é linda, amorosa, mas não justa.

Conhece aquele versículo? “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”. 

Você acha mesmo justo que Jesus tenha sido enviado, Jesus que era puro e santo, Jesus que não pecou, Jesus que dedicou sua vida à servir, acha justo que logo Ele tenha sofrido tanto e morrido por mim e por você? Por nós que mentimos, que caímos em tentação por tão pouco, que julgamos, que pensamos coisas horríveis, que somos uma máquina inesgotável do pecado? Eu deveria ter morrido, não Ele. Mas a graça não é justa.

A graça é amor. “Deus amou o mundo de tal maneira...”, Ele nos amou de uma forma indescritível, de uma forma imensurável, de forma que O levou a permitir o sacrifício do próprio Filho para que nós pudéssemos viver. Essa mostra tão grande de amor, deve nos inspirar a perdoar, a distribuir graça por aí, não porque é justo, mas porque é certo, porque salva, porque resgata, porque regenera.

Esse amor foi doado à mim e à você; nosso único papel nessa história é aceitar esse amor, e levar quantos pudermos a conhece-lo também. Pode não ser justo, mas a graça é assim.

Mariana Mendes / Guia-me

Por Litrazini


Graça e Paz