domingo, 31 de janeiro de 2016

COMO TRANSMITIR O EVANGELHO A SEUS PAIS E IRMÃOS NÃO-CRISTÃOS

Como cristãos nós todos queremos que nossas famílias sigam a Jesus como nós. Acerca disso, a coisa mais importante a lembrar é: Deus é soberano e é o único que muda o coração das pessoas, então ore! Orar expressa a sua dependência de Deus, expressa seu amor pela sua família, expressa seu desejo que eles sejam salvos, que também é o desejo de Deus.

No entanto, você também deve ser paciente. Como um Deus soberano, ele é quem escolhe se, como e quando as pessoas vêm a ele. Tudo o que podemos fazer é esperar e orar. Confie que Deus ama a sua família tanto (se não mais) do que você e que está agindo em suas circunstâncias.

SENDO UM EXEMPLO DE CRISTÃO

Após a oração, a maneira mais eficaz você pode usar para levar o evangelho a eles é através da maneira como você vive. Como cristãos, estamos sendo transformados para sermos mais e mais como Jesus todos os dias.

Em Colossenses 3, Paulo fala sobre abrir mão do seu velho ser, e revestir-se do novo ser, caracterizado pela paciência, amor, bondade e assim por diante. Tais mudanças em sua vida vão se tornar evidentes para seus amigos e familiares, e leva-los a perguntar mais informações sobre a sua fé. 

Uma vida realmente cristã pode mostrar-se de muitas formas - a maneira que você servir a sua família, a maneira como você trata os outros, a sua atitude no trabalho e lazer, e assim por diante. Mas com certeza a forma mais evidente é a forma como você lida com o conflito dentro da sua família.

Como cristãos, cremos em um Deus de justiça e verdade, bem como misericórdia e compaixão. Portanto, quando lidamos com conflitos, precisamos garantir que estamos sendo justos e misericordiosos também. Isto significa ouvir uns aos outros, conversando juntos, mostrando compaixão, misericórdia e amor quando você está injustiçado e buscar o perdão quando você sabe que tem prejudicado os outros.

ESCOLHENDO QUANDO FALAR

Quando você tem a oportunidade de falar sobre o cristianismo para a sua família, seja gentil e gracioso ao invés de confrontá-los. Peça a Deus para te dar as palavras certas. Muitas vezes, é muito mais fácil e menos ameaçador para eles que você fale sobre suas próprias experiências e compreensão do cristianismo, ao invés de desafiá-los na Palavra. Lembre-se que você não é responsável por convencê-los do Evangelho – Deus é. Sua responsabilidade é apresentar o cristianismo da maneira mais clara e útil possível.

Se você sente que é apropriado fazer alguma correção ou alerta, preste atenção em escolher os seus argumentos com cuidado. Familiares hostis podem querer te deixar irritado, dizendo algo que eles sabem que você vai discordar. Se eles estão gerando um conflito de propósito você não vai conseguir ter uma conversa honesta com eles.

Escolher momentos em que eles te perguntem algo com sinceridade e não reagir de confronto pode fazer uma enorme diferença na forma como a sua família vai responder ao evangelho.

Finalmente, lembre-se que você é um cristão imperfeito, e enquanto você pode falhar em seu amor e compromisso com a sua família, Deus não falhará. Isso significa que não importa o quanto você tente evangelizar sua família, Deus é grande o suficiente e poderoso o suficiente para usar os seus esforços para mudar seus corações. Portanto, não desista!

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE FERVR.NET

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/
                   

Graça e Paz

sábado, 30 de janeiro de 2016

COMO POSSO NÃO IR AO INFERNO?

Não ir ao inferno é mais fácil do que você pensa. Algumas pessoas acreditam que têm que obedecer os dez mandamentos pela vida inteira para não ir para o inferno. Outras pessoas acreditam que devem observar certos rituais a fim de não ir para o inferno. Algumas pessoas acreditam que não há nenhuma maneira que nós podemos saber com certeza se vamos ou não para o inferno. Nenhuma destas concepções são corretas. A Bíblia é muito clara sobre como uma pessoa pode evitar ir ao inferno depois da morte.

A Bíblia descreve o inferno como um lugar terrível e assustador. O inferno é descrito como um “fogo eterno” (Mateus 25:41), “fogo que nunca se apagará” (Mateus 3:12), “vergonha e desprezo eterno” (Daniel 12:2), um lugar onde “o fogo nunca se apaga” (Marcos 9:44-49) e “eterna perdição” (2 Tessalonicenses 1:9). Apocalipse 20:10 descreve o inferno como um “lago de fogo e enxofre”, onde os perversos são “atormentados para todo o sempre”. Por essas passagens, é bem claro que o inferno é um lugar que devemos evitar. 

POR QUE O INFERNO EXISTE E POR QUE É QUE DEUS ENVIA ALGUMAS PESSOAS PARA LÁ?
A Bíblia nos diz que Deus “preparou” o inferno para o diabo e os anjos caídos depois de terem se rebelado contra Ele (Mateus 25:41). Aqueles que rejeitam a oferta do perdão de Deus sofrerão o mesmo destino eterno que o diabo e os anjos caídos.

POR QUE O INFERNO É NECESSÁRIO?
Todo pecado é, no final das contas, contra Deus (Salmos 51:4), e uma vez que Deus é infinito e eterno, somente uma pena infinita e eterna é suficiente. O inferno é o lugar onde as demandas de um Deus santo e justo são realizadas. O inferno é onde Deus condena o pecado e todos aqueles que O rejeitam. A Bíblia deixa claro que todos nós pecamos (Eclesiastes 7:20, Romanos 3:10-23), então, como resultado, todos nós merecemos ir para o inferno.

ASSIM, COMO PODEMOS NÃO IR PARA O INFERNO?
Uma vez que apenas uma pena infinita e eterna é suficiente, um preço infinito e eterno deve ser pago. Deus tornou-se um ser humano na Pessoa de Jesus Cristo. Em Jesus Cristo, Deus habitou entre nós, nos ensinou e nos curou - mas essas coisas não foram a Sua missão principal. Deus se tornou um ser humano (João 1:1, 14) para que Ele pudesse morrer por nós. Jesus, Deus em forma humana, morreu na cruz. Como Deus, Sua morte foi de valor infinito e eterno, pagando o preço total pelo pecado (1 João 2:2).

Deus nos convida a receber Jesus Cristo como Salvador, aceitando Sua morte como o pleno e justo pagamento pelos nossos pecados. Deus promete que todo aquele que crê em Jesus (João 3:16), confiando somente nEle como o Salvador (João 14:6), será salvo, ou seja, não irá para o inferno.

Deus não quer que ninguém vá para o inferno (2 Pedro 3:9). É por isso que Deus fez o sacrifício supremo, perfeito e suficiente a nosso favor.

Se você não quiser ir para o inferno, receba Jesus como o seu Salvador. É um processo muito simples. Diga a Deus que você reconhece que é um pecador e que merece ir para o inferno. Diga a Deus que você está confiando em Jesus Cristo como o seu Salvador.

Agradeça a Deus por providenciar pela sua salvação e libertação do inferno. Através de fé simples, quer dizer, confiando em Jesus Cristo como Salvador, é como você pode evitar ir para o inferno!

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini


Graça e Paz

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

JESUS CRISTO NA CRUZ

E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito (João 19:30).

Estamos bem familiarizados com esse cenário por meio de muitas figuras e descrições: Jesus Cristo pendurado na cruz do Calvário.

Seus inimigos o arrastaram para lá, querendo tirá-Lo do caminho. Eles viram sua supremacia ameaçada. Agora podiam deleitar seus olhos em Seus sofrimentos, sem saber que, na verdade, estavam testemunhando um evento de importância extraordinária.

Jesus Cristo não foi crucificado, simplesmente pela exigência de uma multidão excitada, sedenta de uma sensação.

Tampouco Sua morte foi o resultado do trabalho sanguinário dos brutais soldados romanos.

Isso aconteceu de acordo com o conselho de Deus, com o qual Jesus Cristo concordou.

Quem ouve tal coisa pela primeira vez provavelmente reage com espanto. Ninguém, nem mesmo os verdadeiros crentes, podem compreender este tremendo fato. É, e continua a ser, um milagre do incompreensível amor de Deus.

O Senhor tinha falado muitas vezes sobre Sua morte. E, por fim, falou disso na instituição da Ceia, Ele daria a Sua vida e o Seu sangue pelos Seus.

Embora ninguém entendesse estas palavras, algumas horas mais tarde elas se tornaram realidade.

Jesus Cristo foi castigado por Deus na cruz por causa do homem culpado. Ele teve de suportar o juízo de Deus no lugar daqueles que haviam se rebelado contra Deus.

O sangue de Cristo fluiu para trazer expiação para os transgressores.

O brado "Está consumado!" é nada menos que o triunfo do Redentor, e tem amplas consequências para quem se apropria da obra de Cristo para si mesmo.

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini


Graça e Paz

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

REINO MILENAR DE CRISTO

“O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algumem todo o meu santo monte, diz o Senhor.” Is. 65.25

O livro de Isaías está cheio de profecias, algumas se cumpriram, outras estão para se cumprir. Esta passagem de Isaías é uma das muitas passagens proféticas da Bíblia que ainda não se cumpriram. Ela designa um evento futuro, que Deus está preparando para os últimos dias.

Este texto se enquadra na teologia das últimas coisas, também chamada escatologia bíblica.
A doutrina das últimas coisas está dividida classicamente em duas correntes de interpretação. O amilenismo e o milenismo.

AMILENISMO

Simplificando bem, o amilenismo não crê que esta (e outras) profecias de Isaías irão se cumprir na íntegra algum dia. Crêem ainda que a igreja passará pela tribulação que virá sobre todo mundo.

Já o milenismo, pelo contrário, acredita que esta palavra de Isaías se cumprirá em um Reino de mil anos que Cristo irá estabelecer na Terra.

NO MILENISMO HÁ DIVISÃO ENTRE PRÉ-MILENISTAS E PÓS-MILENISTAS.

PÓS-MILENISTAS
O pós-milenismo é defende que Cristo virá pela segunda vez, ao término do Milênio. Alguns crêem que a era Milenar iniciou-se quando Cristo foi assunto ao céu, e outros crêem que ela surgirá quando o Evangelho houver sido pregado em toda terra, promovendo uma Era Áurea de Justiça e Paz para a humanidade.É a crença de que o retorno de Cristo ocorrerá depois do Milênio. Defendem que a Igreja já é o Reino de Cristo e que a pregação do evangelho, gradualmente converterá o mundo, inclusive os judeus.

A primeira ressurreição é espiritual e refere-se à conversão do pecador e a segunda, uma única ressurreição física geral, de crentes e ímpios. No fim do milênio haverá um aumento da iniquidade, a grande tribulação e a soltura de satanás por um pouco de tempo

PRÉ-MILENISTAS
A visão escatológica predominante entre os cristãos no século vinte é o pré-milenismo. O pré-milenismo é a visão de que após Sua segunda vida, Jesus Cristo irá governar a terra por 1000 anos.

Assim, a segunda vinda é anterior ao milênio (pré-milenista). Os pré-milenistas ensinam que na segunda vinda de Cristo, os santos que estiverem vivos serão arrebatados ao passo que os santos mortos serão levantados dentre os mortos. Todos esses santos receberão corpos glorificados e imortais. Eles encontrarão Cristo nos ares e retornarão com Ele a fim governar a terra por 1000 anos.

Esse período de 1000 anos será de paz e justiça mundial. No final desse período, Satanás será solto de sua prisão para enganar as nações. Inúmeros exércitos se rebelarão e atacarão Cristo e os santos em Jerusalém; esses exércitos serão então destruídos por fogo do céu. Após a derrota desses exércitos rebeldes, acontecerá a ressurreição e o julgamento final; então começará o estado eterno.

Em resumo, essa é a essência do pré-milenismo; há algumas variações, não relevantes. Há os que defendem um arrebatamento pré-tribulacionista, meso-tribulacionista e pós-tribulacionista. Os pré-milenistas dispensacionalistas colocam o arrebatamento não na segunda vinda, mas no princípio da tribulação de sete anos.

A visão pré-milenista utiliza , via de regra a interpretação literal das Escrituras, apenas utilizando a interpretação simbólica onde é evidentemente necessário.

Ou seja para que Deus possa cumprir as Suas promessas a Israel e Sua aliança com Davi (2 Samuel 7:8-16; 23:5; Salmos 89:3-4), tem que existir um reino literal e físico na terra.

Para a maior parte dos evangélicos, assim como eu pré-milenistas, este versículo de Isaías se cumprirá na íntegra, e um dia nós veremos o lobo e o cordeiro pastar juntos para a glória e honra do nosso Deus!

Auto: Vitor Germano Oliveira

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

IRA - FERRAMENTA PERIGOSA

IRA - FERRAMENTA PERIGOSA

Vivemos tempos difíceis e incertos. A economia mundial é imprevisível, por vezes parecendo flertar com a calamidade global. O terrorismo – expressão de um ódio sem precedentes – produziu não apenas medo, mas também intensa ira. Até mesmo dias normais de trabalho, podem nos levar à ira, na medida em que temos de lidar com prazos fatais ou mudanças em excesso. Num filme popular, um dos personagens gritava: “Estou furioso... e não vou mais agüentar isto!” Você já se sentiu assim?

Embora sentir ira seja compreensível, as palavras e ações provenientes dela podem ser mais prejudiciais que os eventos que originaram nossas emoções. A ira pode resultar em danos físicos e emocionais para outras pessoas. Ela pode nos levar a agir irracionalmente e influenciar decisivamente a forma pela qual os outros nos vêem.

A IRA GERA A INDIFERENÇA.
Você já investiu para “se vingar” de algo que alguém fez ou disse, que o deixou furioso? A maioria de nós já agiu assim uma vez ou outra. Mas uma reação impulsiva e descuidada pode tornar uma situação ruim ainda pior. “O sábio é cauteloso e evita o mal, mas o tolo é impetuoso e irresponsável.” (Provérbios 14:16).

A IRA É UM CONVITE AO CONFLITO.
Quando alguém irado expressa seus sentimentos, as pessoas presentes não podem evitar responder de alguma maneira. Embora algumas conseguem permanecer calmas, outras são incitadas a se irarem igualmente. “O homem irado provoca brigas e o de gênio violento comete muitos pecados.” (Provérbios 29:22).

A IRA PODE SER CONTROLADA.
Após o acesso de ira, depois que o estrago já foi feito, não é incomum ouvir-se alguém dizer: “Sinto muito, mas mas deu para evitar.” A verdade é que ele poderia ter “evitado”, mas escolheu não faze-lo. Emoções, tanto positivas quanto negativas, podem ser controladas e expressas de maneira apropriada. “É uma honra dar fim a contendas, mas todos os insensatos envolvem-se nelas.” (Provérbios 20:3).

A IRA PODE SER CONTAGIOSA.
Se você tem problema com a ira, ou quer se assegurar de não desenvolver tal problema, evite passar muito tempo com pessoas iradas. A ira tem um modo especial de infectar pessoas, como uma gota de veneno num copo com água. “Não se associe com quem vive de mau humor, nem ande em companhia de quem facilmente se ira; do contrário você acabará imitando essa conduta e cairá em armadilha mortal.” (Provérbios 22:24-25).

A IRA NÃO É UMA QUALIDADE DE CARÁTER APRECIÁVEL.
O que você procura num líder que quer seguir: alguém que é controlado por suas emoções ou alguém que mantem suas emoções sob controle? A ira pode motivar as pessoas a reagirem de forma desejada, mas a longo prazo, ou cria o medo, ou destrói a confiança. “Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mas vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade.” (Provérbios 16:32).                                                                                               
Fonte: tele-fe

Por Litrazini


Graça e Paz

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

O QUE DEVO FAZER?

Quem é assim não pense que vai receber alguma coisa do Senhor, pois não tem firmeza e nunca sabe o que deve fazer. (Tg 1.7-8)

A mulher samaritana não se perguntou: “Devo abandonar o meu sexto marido e voltar para o primeiro?”.

A mulher adúltera não se perguntou: “Devo continuar a pecar já que todos os meus acusadores, tanto os jovens como os mais idosos, pecam tanto quanto eu?”.

A mulher pecadora não se perguntou: “Devo me tornar uma religiosa para o resto da vida porque Jesus perdoou os meus muitos pecados?”.

Pedro não se perguntou: “Depois de ter negado a Jesus por três vezes devo abandonar o grupo de apóstolos?”.

Zaqueu, o publicano, não se perguntou: “Devo devolver quatro vezes mais o que roubei dos outros e dar metade dos meus bens para os pobres?”.

Abraão não se perguntou: “Devo mesmo oferecer meu único filho, a quem eu amo, em sacrifício?”.

Moisés não se perguntou: “Devo mesmo desprezar os prazeres do pecado aqui da corte de Faraó e sofrer com o povo de Deus?”.

Paulo não se perguntou: “Devo seguir para Jerusalém, onde a prisão e a morte estão à minha espera?”.

No entanto, podemos imaginar o irmão do filho pródigo se perguntando: “Devo me alegrar com meu pai e meus vizinhos porque meu irmão estava morto e vive de novo, estava perdido e foi achado?”

E, também, Pilatos deve ter tido esta dúvida no seu íntimo: “Devo soltar Jesus, em quem não encontrei crime algum, ou Barrabás, que promoveu uma rebelião aqui em Jerusalém e matou uma pessoa?”.

Do mesmo modo o mestre da lei deve ter se perguntado: “Devo cuidar primeiro do funeral do meu pai, ou seguir a Jesus imediatamente?”.

As pessoas que não estão sobre a rocha, que não têm firmeza, que não têm fé, que são como ondas do mar, que o vento leva de um lado para o outro, nunca sabem o que fazer, vivem confusas, tateando no escuro, indecisas, intranquilas.

Muitas vezes, preferem fazer o que é mais cômodo, mais fácil, mais vantajoso.

Saber em que esquina se deve virar, o que fazer a cada estágio da vida, acertar em todas as escolhas – é algo extremamente necessário.

Fazer o que se deve fazer é sempre o melhor!

Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

Por Litrazini


Graça e Paz

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

GLORIFICAR A DEUS: O NOSSO MAIOR DELEITE

"Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo". (Ef 1.3)

Paulo estava preso em Roma quando escreveu sua carta aos efésios. Na introdução da carta exalta ao Triúno Deus pelo planejamento, execução e consumação da nossa salvação. No texto em epígrafe, duas verdades são ressaltadas:

Em primeiro lugar, a COMPREENSÃO DE QUEM DEUS É DEVE LEVAR-NOS À ADORAÇÃO (Ef 1.3).
Apesar da pobreza, perseguição, açoites e prisões que aqueles primeiros crentes tiveram que enfrentar, eles se distinguiram por um espírito de adoração. Eles entravam e saíam das prisões cantando. Adoravam a Deus apesar das circunstâncias.

Hoje, as pessoas vivem murmurando, reclamando, infelizes e descontentes. Mas, os salvos estão encantados com o Deus da graça, o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Estes adoram a Deus por ser quem ele é. Ele é bendito, exaltado e supremo. Diante dele os anjos se curvam e os salvos depositam suas coroas aos seus pés. Além de Deus ser adorado por quem ele é, deve também ser exaltado por aquilo que ele fez.

Paulo diz que Deus tem nos abençoado. E como ele tem nos abençoado? Ele planejou nossa salvação antes da fundação do mundo, executou-a na história e a consumará na segunda vinda de Cristo.

Em segundo lugar, A NATUREZA DAS BÊNÇÃOS QUE RECEBEMOS DEVE NOS LEVAR À ADORAÇÃO (Ef 1.3).
Em oposição à perniciosa teologia da prosperidade, tão em voga em nossos dias, Paulo fala de toda sorte de bênção espiritual. Quatro destaques devem ser feitos:

ANTES DE CONSIDERARMOS AS BÊNÇÃOS, PRECISAMOS CONSIDERAR O ABENÇOADOR.
A ordem é extremamente importante. Por causa do nosso miserável subjetivismo, sempre temos a tendência de concentrarmo-nos logo nas bênçãos; sempre queremos algo para nós mesmos. Contudo, o apóstolo insiste em que comecemos com Deus, e com o culto que lhe devemos. Por isso diz: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo…”.

A maneira pela qual nos vêm essas bênçãos. Essas bênçãos nos vêm “… em Cristo”. Sem Cristo não há bênção. Toda bênção que desfrutamos como crentes nos vêm por meio de Cristo. Há certas bênçãos comuns e gerais que são desfrutadas por todos os homens. Há o que se chama de “graça comum”, mas não é disso que Paulo está falando. Aqui ele está tratando de uma graça particular e especial. Você não pode ser crente sem estar em Cristo.

Não há bênçãos para o crente fora de Cristo. As bênçãos vêm exclusivamente por meio de Cristo. Ele não tem nenhum assistente. “Nenhum outro nome é dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12). Buscar bênção espiritual em qualquer outra pessoa, em qualquer outro caminho, em qualquer religião é negar a Cristo.

A natureza dessas bênçãos. Paulo nos diz que essas bênçãos são “… espirituais”. Estas bênçãos vêm de Cristo, mas também vêm por meio do Espírito Santo; são bênçãos concedidas a nós pelo Pai, por meio de Cristo, via Espírito Santo. É pelo Espírito que essas bênçãos passam a ser nossas. A aplicação da obra de Cristo é feita pelo Espírito. O Espírito é quem nos vivifica, nos regenera, nos santifica, nos transforma e nos capacita com poder.

O lugar onde essas bênçãos estão concentradas. Paulo diz que somos abençoados “… nas regiões celestiais”. No Antigo Testamento as bênçãos eram mais materiais e físicas. Mas quando adentramos no Novo Testamento, entramos num domínio inteiramente diverso. Aqui as bênçãos são nas regiões celestiais.

Nosso tesouro não está na terra. Nosso lar não é aqui. Nossa Pátria não é aqui. A nossa recompensa está no céu. Devemos ajuntar tesouros no céu. Somos uma colônia do céu na terra. Devemos buscar o que está além da vista. Aqui somos peregrinos e forasteiros (1Pe 2.11). Embora este mundo é de Deus, aqui não é o nosso lar. O crente não se apega a este mundo, não se amolda a ele, pois busca uma Pátria superior.

Rev Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini

Graça e Paz


domingo, 24 de janeiro de 2016

JESUS É VIDA

“…Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o que fora defunto assentou-se, e começou a falar.
E entregou-o à sua mãe. E de todos se apoderou o temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Um grande profeta se levantou entre nós, e Deus visitou o seu povo. E correu dele esta fama por toda a Judéia e por toda a terra circunvizinha. Lucas 7:11-17

Após curar o servo de um centurião sem ao menos “ir” onde este estava, o filho de Naim Senhor Jesus dirige-se a uma cidade chamada Naim, e claro né, após Ele seguir uma grande multidão, inclusive seus discípulos.

De repente, chegando na cidade duas multidões se encontram… a primeira acompanhava Jesus, a segunda era um cortejo de um filho único de uma viúva. Duas multidões totalmente diferentes: uma andava com Aquele que é a Vida, a outra por sua vez acompanhava alguém que estava morto. Vale destacar, que não bastava o defunto ser o filho único, além disso, era filho de uma “viúva”.

Agora, imagine o quanto aquela mulher estava sofrendo! Primeiro tinha perdido o marido, que lhe trazia o sustento e o amor necessário para prosseguir a vida tranquilamente; segundo, acabara de perder aquele que era sua última esperança de mãe, claro, aquele era o filho único e nesse filho ela depositava todas as suas esperanças.

Certamente que ela queria ver o filho crescer, estudar, formar família e fazer tudo aquilo que pudesse orgulhá-la como mãe. Creio que essa cena seja uma das passagens mais fortes das Escrituras, uma mãe viúva indo em direção ao sepultamento de seu único filho, sua única esperança na vida sofrida que vivia. Aquela mulher estava desesperada! Mas sua vida estava prestes a ser transformada.

Ao encontrá-la Jesus move-se de íntima compaixão, o que equivale dizer que o nosso Senhor se colocou no lugar daquela mulher, e sentiu o que ela sentia, sentiu sua dor, seu sofrimento, sua agonia… Não, Jesus não ficou com peninha dela, se fosse isso, Ele poderia tê-la ignorado. Jesus sente sua dor, comove-se profundamente e a conforta: Não chores, Ele diz! O Senhor ve aquela mulher chorando e diz: Não chores!

Imagino que naquele momento aquela viúva sentiu uma paz tomando conta de seu coração, mesmo sem entender porque… Ela olhava para aquele homem e se perguntava: Como assim, não chores? Será que ele não sabe de esse filho era tudo que eu tinha?

Sem entender nada ela abre o seu coração plenamente e permite que o Senhor se aproxime ainda mais…

Não sei se me lembro bem, mas, se não me engano naquela época não existiam caixões como hoje, era uma espécie de “maca” onde o difundo era colocado e coberto com um tecido. Creio que aquele rapaz já cheirava mal, todas as suas células já estavam em processo de apodrecimento, totalmente mortas. E para contrariar toda a medicina humana o Senhor Jesus, toca aquele *esquife, e dar uma ordem não somente ao jovem, mas, que sobe até os céus: Jovem, a ti digo: Levanta-te!

E a minha Bíblia diz que aquele que “Era”, aquele que era defundo senta-se naquela *maca e começa a falar. Dar para visualizar o espanto que isso causou em todo mundo? E mais, não é apenas esse jovem levantar e falar… Nesse pequeno intervalo onde ele estava morto até ele levantar, qualquer pessoa entende perfeitamente que primeiramente todas as células do corpo dele tiveram que reviver, todas, e o fôlego que Deus já havia recolhido Ele devolve.

Sinceramente não me atrevo a dizer o tamanho da felicidade daquela mulher, ou a reação que ela teve ao receber em seus braços, a esperança que já havia sido levada pela morte.

É exatamente isso que Jesus faz àqueles que Ele toca, dar vida, dar esperanças, dar paz, alegria e quem cruza pelo seu caminho, no mínimo, no mínimo irar chamá-lo de profeta. Ou melhor ainda, se tornará seu discípulo e aprenderá com Ele, a gerar vida e não morte.

Quem tem o prazer de se encontrar verdadeiramente com Jesus nunca mais será o mesmo… Quem tem o privilégio de caminhar com Ele *diariamente e constantemente, sempre contemplará suas maravilhas, seja nos grandes milagres da vida, seja no menor gesto de carinho e amor com o próximo.

Jesus não quer apenas se encontrar com você! Ele quer andar com você, você permite? Ele quer habitar o seu coração e bate educadamente a porta, cabe a você: abrir.

Ele te ensinará o que isso significa.

Ricardo Braz

Por Litrazini


Graça e Paz

sábado, 23 de janeiro de 2016

A VERDADEIRA LIBERDADE

E o Senhor Deus ordenou ao homem: “Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá”. [Gênesis 2.16-17]

Deus deu a Adão duas instruções simples e diretas — uma positiva e outra negativa.

A primeira foi uma permissão liberal (ele poderia comer livremente de qualquer árvore do jardim). A segunda foi uma simples proibição (ele não deveria comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, que ficava no meio do jardim).

A permissão liberal concedeu ao homem livre acesso à rica variedade de árvores do jardim. Elas eram tanto “agradáveis aos olhos” quanto “boas para alimento” (v. 9), oferecendo assim a Adão e Eva satisfação estética e física.

A generosa provisão de Deus incluía também o acesso à “árvore da vida”, símbolo da comunhão contínua com Deus, que é a vida eterna (cf. Jo 17.3), vislumbrada na declaração posterior de que o próprio Deus andava com eles pelo jardim (Gn 3.8).

A árvore do conhecimento do bem e do mal mencionada na única proibição é chamada desse modo não porque tivesse propriedades mágicas, mas porque representava a provação a que Adão e Eva seriam submetidos.

Criados à imagem de Deus, eles já tinham uma noção de discernimento moral, mas se desobedecessem a Deus teriam uma desastrosa experiência do mal, tanto quanto do bem.

Um estudante que estava concluindo seu curso na Universidade de Helsinki certa vez me disse: “Anseio pela liberdade, e estou me sentindo cada vez mais livre desde que desisti de Deus”.

A verdadeira liberdade, no entanto, não está em se libertar do jugo de Cristo, mas em submeter-se a ele, ou seja, abster-se do que ele nos proibiu. A obediência conduz à vida, e a desobediência, à morte.

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. Mateus 11.28-30

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini


Graça e Paz

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

VOCÊ SERVE A DEUS?

“E, todavia, dizem a Deus: Retira-te de nós; porque não desejamos ter conhecimento dos teus caminhos.” – Jó 21:14

Os dias estão se passando, as coisas acontecendo, e nos, vamos levando a vida, muitas das vezes extremamente preocupados que a vida venha nos levar, talvez, seja porque no profundo do nosso intimo não tenhamos certeza para onde iremos.

Tanto quanto, passa as nuvens nos ares somos nós, alguns dias são leves, outros com densas nuvens, outros ainda carregados com as tempestades, amanhece, anoitece, estudamos, trabalhamos, fazemos planos, almejamos isto, galgamos aquilo, buscamos estabilidade, projetamos riquezas, amontoamos desejos só para nos satisfazer.

Vivemos uma vida entrelaçados com o mundo, com o que ele pode nos proporcionar nos ajustes aqui na terra e ainda querendo acordar com Deus. Buscamos estabilidade financeira de tamanha forma, como se ter dinheiro fosse o maior bem que pudesse existir, esquecemo-nos dos conceitos cristãos, dos valores morais e étnicos, da verdadeira adoração, da fé intransponível, valorizamos muito a criatura, colocamos o Criador numa caixa como está Aladim na lâmpada, quando queremos alguma coisa e só bater na palma da mão e Ele têm que aparecer para satisfazer os nossos desejos.

Jesus Cristo virou um serviçal, se pedirmos algo, e se, Ele não trouxer, achamos que o erro é Dele, Ele têm que fazer o que queremos, caso contrario Ele é quem não presta. Muitos, banham-se em banheiras perfumadas pela carnificina do mundo e dizem que tem o cheiro de Cristo. Parece que Cristo virou rio poluído, porque o cheiro que sai destes mostra a podridão que esta em seu coração. Ter, poder, fazer, virou o mais desejado até por muitos que são escolhidos.

Se analisarmos minuciosamente quantos deuses nós temos? Será que não fazemos do dinheiro, da fama, do poder, do eu, do nosso bem amado “deuses”? Quantas vezes lutamos desesperadamente por essas coisas e esquecemo-nos da grandeza de Deus? Quantas vezes já nos curvamos diante das beldades do mundo? Quantas vezes trocamos as bênçãos de Deus pelos banquetes das trevas? Quantas vezes abrimos mãos de falar do evangelho por não haver aplausos?

Quantas vezes recursamos adorar a Deus por não haver holofote? Quantas vezes recusarmos o ide porque o lucro não é propicio? Quantos não estão infiltrados entre o povo de Deus no intuito de se da bem? E quantos se vestem com uma capa para não ser percebida as suas vestes manchadas do pecado? Quantos usam uma pintura sintética para que as aguas da verdade não retirem sua falsa beleza? Muitos dizem eu adoro a Deus, mais o que é Deus? Quem é ele, de fatos sabemos o significado de Deus, entendemos seus feitos, cremos realmente que ele existe, somos de verdade Dele?

Quando dizemos a palavra Deus, nossa consciência tem que raciocinar que é porque vemos neste Ser o sobrenatural, superioridade incomparável, divindade única, deidade, isto é, conjunto de forças e/ou intenções que se materializam em uma divindade. Fonte de tudo que é divino, um ser onisciente, onipresente, onipotente, alguém benevolente com bondade inigualável, criador universal, soberania inquestionável, sapiência suprema, poder inabalável, amor incondicional, Ser inatingível, inquestionável em seu querer e fazer. Então, reconhecemos que, Este, merece a nossa reverencia, pois vimos Nele algo que não existe em nenhum outro ser. Denotamos o, Como Deus, ao reconhecermos isto então, O Adoramos.

Um Ser tão esplêndido assim tem condições de morar dentro de nós?
Se, somos Dele, precisamos que Ele habite em nós, No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito. Efésios 2:22, Não há meio termo no reino de Deus, ou somos Dele ou não.

Só existe um único Deus em todo o universo Monoteísmo, só Deus/Yahvéh, criador de todas as coisas que existe, Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas; foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por causa da grandeza das suas forças, e porquanto é forte em poder, nenhuma delas faltará. Isaías 40:26 Deus é, quem chama as coisas que não são como se já fossem. Romanos 4:17.

Está escrito na sua palavra, Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Lucas 12:31.Como pois podemos dizer que conhecemos este Deus se queremos primeiro as outras coisas e o reino Dele vem depois? Não há uma inversão de valores e crença nisto?

Servir a Deus é seguir a sua palavra viver o seu reino, sem se preocupar com as coisas da terra, pois aquele que adora a Deus verdadeiramente sabe que, Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão. Salmos 37:25, Não se engane, procure conhecer a Deus, então você verá que, não existe riqueza maior!

Pra Elza Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

VIVENDO PARA SERVIR!

O ser humano é um ser psicobiosocioespiritual, recebe influência do mundo psíquico, social, biológico, emocional e espiritual. Somos seres relacionais, dependentes uns dos outros. Desde a concepção, somos influenciados por meio de nossos relacionamentos.

Fomos criados para viver em parceria e comprometidos uns com os outros. Jesus veio a este mundo nos ensinar regras para manter relacionamentos saudáveis e duradouros.

Um dos grandes segredos deixados por Ele está na regra de ouro da Bíblia, registrada em Mateus 7.12: Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas. Em outras palavras, viva a sua vida servindo aos outros assim como gostaria de ser servido. 

Se praticarmos esse estilo de vida, muita coisa mudará ao nosso redor, e em nossa geração, pois é uma forma de viver desprendida do egoísmo e do individualismo. Contudo, infelizmente, não é isso que nossa cultura pós-moderna tem ensinado e transmitido.

Nunca se viu tanto egoísmo, individualismo exagerado, tanta ganância, avareza e inveja. Homens amantes de si mesmos e sem afeto natural; perversos, de má índole e sem amor.

Jesus veio a este mundo, tomou a forma humana, desprendeu-se de toda a Sua glória e se humilhou na cruz. Contudo, deixou para nós um legado de serviço, doação, socorro e prazer em servir mais do que ser servido (João 13.1-17 e Mateus 20.28). Servir é doar, é ser uma oferta útil.

Estamos no início de um novo ano, ocasião importante para entender esse grande segredo que o nosso Mestre e Senhor, Jesus Cristo, ensinou-nos. Ele sabia que o ser humano precisaria de atenção, ajuda e apoio em sua trajetória nessa terra. Por isso, teve e tem o prazer de atender e ajudar a todos que precisaram e precisam de Sua orientação e auxílio, sempre com prazer e alegria. 

Servir não traz tristeza nem ressentimento. Na parábola do Bom Samaritano (Lucas 10.30-37), Jesus ensina que quem serve ao próximo está revestido do caráter de Deus, e revela saúde espiritual e emocional. 

Quando servimos ao próximo, antes de tudo, servimos a Deus (Colossenses 3.23). Servir nos reveste de boas obras. Leia algumas ordenanças sobre esse tema em Isaías 1.17; Tiago 4.17 e Salmo 82.3. 

O Senhor conta com nossa disposição e prazer em servir para que muitas vidas sejam alcançadas e façam parte de Seu Reino. Então, sigamos o exemplo de Jesus: estejamos disponíveis para servir ao próximo, independente de raça, religião e posição social. Simplesmente, com o coração aberto para ser canal de bênçãos da parte de Deus.

Pra Elizete Malafaia

Por Litrazini


Graça e Paz

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

VOCÊ NÃO É ESCRAVO, VOCÊ É LIVRE!

“Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra…” Êxodo 20.1-12

Depois que temos filhos, enxergamos a vida de outra maneira. Não adianta querer entender isso se você não tiver filhos.

O filho é um alvo tão importante do amor que o próprio Deus permitirá que entre nos céus, somente as pessoas que amarem Seu Filho – Jesus Cristo. Se você não amar o filho de Deus, não entrará no céu.

Pense: nós imerecedores do amor de Deus, o recebemos através do sacrifício de Cristo em nosso lugar.

A sua alegria, a sua salvação é a vontade de Deus, o Senhor deseja que todos sejam salvos. Jesus foi enviado para salvar a todos. (João 3.16.)

A Palavra de Deus diz que há mais de 2.000 anos, os hebreus estavam tristes, sofrendo, vivendo miseravelmente, não possuíam propriedades, não tinham nada de bom, eram escravos.

Escravos não sonham, não existem feriados para o escravo, o escravo não tem alegria, para ele tanto faz ser segunda-feira ou domingo e diante de toda aquela escravidão, Deus olhou para os seus filhos, para o seu povo, os viu destruídos e determinou libertá-los.

Após a saída do Egito, rumo à Canaã, o Senhor envia 10 mandamentos para que seus filhos cumprissem e fossem bem-sucedidos.

1º) NÃO TERÁS OUTROS DEUSES DIANTE DE MIM
É muito fácil ter outros deuses. No Egito havia deuses para tudo. Existem pessoas que adoram o namorado, o marido, a si mesmas, os filhos, etc… Um deus não é apenas uma imagem de escultura. Quem sabe seu filho é o seu deus, quem sabe você só pensa nele?

2º) NÃO FARÁS PARA TI IMAGENS DE ESCULTURA
Prestar culto, adoração, a qualquer pessoa, ou coisa constitui-se em ofensa para o Senhor, a prática de adorar objetos, estátuas, era e continua sendo comum para o homem. Deus abomina a idolatria sendo ela a uma pessoa, a um objeto, ou a uma estátua…

3º) NÃO TOMARÁS O NOME DO SENHOR TEU DEUS EM VÃO
Ou seja; não diga que Deus aprovou o que Ele não aprovou. Não coloque o nome de Deus onde Ele não autorizou. Não diga o que o Senhor aprovou o que é contrário a Sua Palavra.
É crime usar a carteira de motorista de alguém… é crime usar o nome de Deus no que Ele não aprovou. As leis de Deus são para preservar a família.

4º) LEMBRA-TE DO SÁBADO
A palavra sábado significa descanso, paz. Não somos ‘máquina’, precisamos descansar. Um dos maiores privilégios do homem é poder descansar. Há pessoas que comem mal, e nunca tiram um tempo para o lazer… Se você não quiser ficar louco (a), descanse!

5º) HONRA TEU PAI E TUA MÃE
Esse é um desafio. Há pais que não são fáceis. Muitas pessoas não são felizes porque não honram seus pais, são péssimos filhos. Não reconhecem seus pais como autoridade, não os honram, não os respeitam. Demonstre amor aos seus pais, honre-os, esse é o único mandamento com promessa.

6º) NÃO MATARÁS
O único ser que mata por esporte, por divertimento é o ser humano. Deus não quer isso. Há pessoas que já se levantam pensando em matar. O Senhor não queria que Seu povo fosse conhecido como assassino.

7º) NÃO ADULTERARÁS
Não precisamos ter dinheiro, precisamos ter moral. Se você adulterou, clame o sangue de Jesus.

8º) NÃO FURTARÁS
Não roube, não pegue algo que não é seu. Isso é muito feio, veja o escândalo da Petrobras, a maior empresa brasileira, uma das vinte maiores do mundo.

9º) NÃO DIRÁS FALSO TESTEMUNHO
Conte para os outros que o Jesus fez na sua vida. Não se venda, não seja propagador de coisas ruins. Se Deus for o Seu Senhor você terá muitos testemunhos para contar.

10º) NÃO COBIÇARÁS A CASA, A MULHER, O SERVO, O BOI, O JUMENTO, NEM COISA ALGUMA DO TEU PRÓXIMO.
Deus tem prosperidade para nos dar. Não precisamos daquilo que é dos outros, mas, do que o Senhor nos dá.

Pr. Jorge Linhares

Por Litrazini


Graça e Paz