sexta-feira, 15 de abril de 2016

JESUS NÃO FOI FORÇADO A IR A CRUZ, ELE FOI PORQUE QUIS, FOI POR AMOR.

Alguém já declarou que não foram os romanos que prenderam a Jesus na Cruz, não foram os Judeus, não foi Poncio Pilatos e nem o Rei Herodes, mas os nossos pecados. “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. […]Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão.” Is 53.5,10

Nenhuma criatura dos céus ou da terra poderia segurar a Jesus naquela cruz, mas ele se ofereceu, por livre vontade, para ser a expiação por nossos pecados. I Jo 2.2

O CRISTÃO QUE COMPREENDE A CRISTO AMA A CRUZ.
Ele entende que é por causa da cruz que ele paz e perdão dos pecados. Que o sangue nos purifica de todo pecado. I Jo 1.7

“Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse,E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.” Cl 1.19-20

“E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” Cl 2.13-14

“Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.” I Pe 2.24

Pela cruz, isto é, pelo sacrifício de Cristo nos temos a paz com Deus, nós temos entrada no Santo dos Santos, nos fomos reconciliados, pela obra consumada na cruz.

A vida está na morte de Cristo, que representa a morte de todo aquele que nele crê. Assim estamos escondidos nele, para também ressuscitarmos com ele naquele glorioso dia. Se morro para mim mesmo, então vivo, se não morrer, antes desejar viver para o mundo, então só me resta a morte, a separação eterna de Deus.

A cruz diz não a nossa carnalidade, diz não ao nosso egoísmo, diz não ao nosso próprio interesse, e compreendendo e aceitando o não de Deus então é possível receber o seu sim. A cruz nos confronta e revela a nosso iniqüidade, nos leva ao local de morte, “fazei morrer”, diz o apóstolo, e quando ela está a nos matar, nos confrontando e expondo os nossos erros, então O vemos, e nele encontramos o nosso perdão, ele pagou o preço, então somos felizes.

O alívio que vem sobre nós, nenhum homem, nenhum objeto ou bem, nenhum prazer pode ser comparado a presença e a paz de Deus em nós.

Pr. Flávyo Santos

Por Litrazini

Graça e Paz