terça-feira, 19 de abril de 2016

OPOSIÇÃO E ENCORAJAMENTO

Zorobabel […] e Jesua […] começaram a reconstruir o templo de Deus em Jerusalém. E os profetas de Deus estavam com eles e os ajudavam. Esdras 5.2

Sempre que a obra de Deus prospera, podemos esperar o surgimento de oposição. Em Jerusalém ela começou com os samaritanos e continuou mais tarde com outros que estavam ansiosos para interromper a reconstrução do templo.

Eles foram bem sucedidos durante algum tempo, e nesse período ocorreram dois encorajamentos.

Primeiro, uma pesquisa nos arquivos da realeza babilônica revelou que os judeus tinham recebido plena autorização para reconstruir o templo.

Assim, foi enviada a seguinte mensagem ao governador do território situado a oeste do Eufrates, em Jerusalém, e aos seus oficiais: “Não interfiram na obra que se faz nesse templo de Deus” (Ed 6.7).

Segundo, dois profetas especialmente designados por Javé, Ageu e Zacarias, encorajaram veementemente a Zorobabel para que concluísse a sua obra.

Estas foram as palavras de exortação de Ageu: “Quem de vocês viu este templo em seu primeiro esplendor? Comparado a ele, não é como nada o que vocês veem agora? Coragem! Ao trabalho. Porque eu estou com vocês, declara o Senhor dos Exércitos” (Ag 2.3-4).

A palavra do Senhor também veio a Zacarias, dizendo: “As mãos de Zorobabel colocaram os fundamentos deste templo; suas mãos também o terminarão” (Zc 4.9). Assim, “Zorobabel […] e Jesua […] começaram a reconstruir o templo de Deus em Jerusalém. E os profetas de Deus estavam com eles e os ajudavam” (Ed 5.2).

A reconstrução do templo começou em 520 antes de Cristo e foi concluída em 515 antes de Cristo, aproximadamente setenta anos depois da destruição do templo anterior, como Jeremias havia profetizado.

Tendo celebrado com alegria a dedicação do templo, os sacerdotes e o povo celebraram a Páscoa, como se tivessem sido novamente redimidos.

Na verdade, era exatamente isso que havia acontecido. Eles estavam começando a perceber o padrão tríplice de sua redenção, com Javé chamando Abraão de Ur, Israel do Egito e os exilados da Babilônia.

Esses três chamados eram prenúncios da grande redenção realizada por Deus através de Jesus Cristo.

E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra. Apocalipse 5.9-10; ler tambem Ap.14.1-6

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Litrazini:


Graça e Paz