segunda-feira, 9 de maio de 2016

LOUVOR E MÚSICA DE LOUVOR

O QUE SÃO O LOUVOR E O CÂNTICO DE LOUVOR? 
O louvor é a expressão, a verbalização, a exteriorização, do que pensamos e sentimos acerca do Senhor (Sl 108.1). O comportamento ou o porte — conduta e postura — do adorador revelam o que está dentro de seu coração (At 20.17-24).

O louvor não se limita ao cântico, mas abarca tudo o que há em nós (Sl 103.1,2). “Nosso louvor a Deus é o meio pelo qual expressamos nossa alegria ao Senhor pelo que Ele é e pelo que Ele tem feito” (YOUNGBLOOD, p. 490).

O QUE É O CÂNTICO DE LOUVOR?
A primeira menção a um cântico de louvor a Deus está em Êxodo 15.1: “Então, cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR”, o qual está registrado no Céu para ser entoado oportunamente (Ap 15.3).

O cântico de louvor é um meio de expressar o louvor. É o louvor com música (Sl 149.1; 69.30) e faz parte do culto a Deus, segundo o Novo Testamento (1 Co 14.26; Ef 5.18,19).

Muitos cantam, mas não louvam nem adoram ao Senhor (Am 5.23; Is 29.13). “Cânticos ungidos que envolvam toda a congregação são uma das marcas distintivas da adoração pentecostal” (BRIDGES, p. 589).

Davi foi cantor, compositor, músico, inventor de instrumentos musicais, rei, profeta e um grande promotor, incentivador e preservador do ministério do louvor através da música (1 Cr 15; Ed 3.10; 2 Cr 7.6). Ele liderou um grande coral e uma grande orquestra que tinham três regentes (1 Cr 15.16-24; 25.1-31). O número de componentes chegou a quatro mil levitas (1 Cr 23.25).

Seus regentes eram profetas de Deus: Hemã, Jedutum e Asafe (1 Cr 25.5; 2 Cr 35.15; 29.30). Este é o autor dos Salmos 50, 73 e 83. As letras dos cânticos, então, estavam em Salmos (cf. 95.2; 105.2).

O ministério do louvor com música continua nos tempos neotestamentários para a glória do Senhor (Cl 3.16,17).

Ainda que dois terços do ministério terreno de Jesus tenham sido dedicados ao ensino e à pregação (cf. Mt 4.23; 9.35), Ele também cantou (Mt 26.30). Mas observe que o culto a Deus não consiste apenas de cântico ou números musicais (1 Co 14.26).

É preciso que haja salmos (ministração do louvor), doutrina (ministração da Palavra), bem como revelação, línguas e interpretação (ministrações do Espírito).

Igrejas há em que se canta o tempo todo, ignorando-se que o período de louvor deve ser — também — a preparação para a mensagem da Palavra de Deus (2 Rs 3; 1 Sm 10.5; Sl 146.9).

O ministério do louvor com música continuará sendo exercido no Céu: “o seu louvor permanece para sempre” (Sl 111.10).

O nosso louvor, aqui, é apenas um ensaio para a vida de louvor que teremos na glória celestial (Ap 4; 5; 19).

Ciro Sanches Zibordi

Por Litrazini


Graça e Paz