quinta-feira, 2 de junho de 2016

A PAZ COM DEUS


Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo (Romanos 5:1).

Nos capítulos 3 e 4 de sua epístola aos Romanos, o apóstolo Paulo estabelece o fato de que os pecadores só podem ser justificados diante de Deus pela fé, simples fé em Cristo e em Deus, Quem O ressuscitou dentre os mortos.

Nos onze primeiros versículos do capítulo 5 Paulo mostra os resultados gloriosos que a justificação traz consigo para o crente. O primeiro a ser mencionado é a “paz com Deus”.

Colossenses 1:20 afirma que Jesus Cristo fez “a paz pelo sangue da sua cruz”. Sua obra de expiação é a base para aqueles que eram “estranhos” e “inimigos de Deus” serem de fato reconciliados com Deus (vv. 20-22).

Obtemos uma parte pessoal nesta paz através da justificação pela fé.

A paz com Deus é de modo algum dependente da disposição de ânimo do crente; ela repousa sobre o que aconteceu fora do alcance do indivíduo: por meio de Sua morte Jesus Cristo fez propiciação por todos os pecados do crente, e com base nessa obra Deus justifica o pecador. Assim a paz com Deus é algo sólido.

O cristão sabe que ele foi aceito por Deus. Sua consciência já não mais o importuna. Nenhum outro pecado lhe é imputado, porque Cristo fez expiação por ele. De modo que reina permanente paz entre Deus e o cristão.

Esta “paz com Deus”, que foi estabelecida uma vez por todas e que o cristão possui, não deve ser confundida com “a paz de Deus”, de que fala a Bíblia em outro lugar.

A paz de Deus traz alegria para o cristão e o fortalece à medida que lança todos os seus cuidados sobre Deus Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.  E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. (Filipenses 4:6-7).

Paulinho Degaspari

Por Litrazini

Graça e Paz