domingo, 31 de julho de 2016

A BÍBLIA É O MANUAL APROPRIADO PARA A VIDA HUMANA

Alguém já disse que a Bíblia e o ser humano foram feitos para andar juntos, pois ambos foram originados pelo mesmo sopro de Deus. Em meio ao Jardim do Éden, a comunicação se dava de forma audível. Depois, a comunicação se deu interiormente por intermédio do Espírito Santo falando ao espírito humano. E, finalmente, a comunicação se deu por meio da linguagem escrita, por meio da qual Deus pode dar instruções à humanidade sobre a maneira correta de viver. Alguns a têm chamado, com acerto, de "manual do fabricante". O seu autor, o próprio Deus, quer que leiamos, estudemos, meditemos e coloquemos em prática os seus ensinamentos, pois eles são o guia de instrução para a vida humana.

A BÍBLIA REVELA O PASSADO DO SER HUMANO
A Bíblia revela nosso passado, isto é, nossa origem. Nos dias de hoje, o homem tem procurado mais do que nunca conhecer sua gênese e o que faz neste planeta. Qual é o sentido da vida e de onde ela surgiu.
A Bíblia nos revela que somos criados por um ato exclusivo da bondade de Deus, pois Ele nos criou perfeitos, mas o pecado causou a perda dessa comunhão (Gn 1.31, 3.22-24; Is 59.2). Contudo, a Bíblia mostra algo muito mais importante: que desde o início (Gn 3.15) o próprio Deus planejou a reconciliação do ser humano consigo mesmo, por intermédio de Jesus Cristo, seu Filho.

A BÍBLIA REVELA O FUTURO DO SER HUMANO
A Bíblia revela nosso futuro, isto é, nosso destino eterno. Ela revela que Deus deseja viver eternamente com sua criação. Mas ela revela também que o único caminho para o céu, para essa eternidade com Deus, é uma pessoa, Jesus Cristo (Jo 14.6; 1 Tm.2.5) . O futuro do ser humano, que reconhece e aceita esse plano divino, é garantido pelas promessas de Deus. Quem aceita esse plano tem certeza de seu futuro (Rm 8.16-17).

A BÍBLIA REVELA O PRESENTE DO SER HUMANO
A Bíblia revela o presente, isto é, a peregrinação de todo ser humano. Na Bíblia temos as instruções para nossa vida cotidiana. Ela revela verdades infinitas e profundas que mostram que o homem não consegue viver satisfatoriamente enquanto se encontrar alienado de Deus. Quando o homem está longe de Deus, sua peregrinação é feita por tentativas, e ele precisa da Bíblia, pois ela é "...lâmpada que ilumina os [..] passos e luz que clareia o [..] caminho..." (Sl 119. 105).

A Bíblia está repleta de mensagens que libertam, salvam e restauram as vidas humanas, ela mostra a tendência humana por outros métodos que não satisfazem verdadeiramente aqueles que necessitam de alívio (Jr 2.13). A Bíblia mostra que, para o presente do homem, a solução é andar com Deus. Essa é a grande mensagem da Bíblia.

A BÍBLIA É FUNDAMENTAL PARA A VIDA HUMANA
A vida humana será alimentada e fortalecida desde que leiamos e estudemos a recomendação divina, acreditemos nela e a obedeçamos: "...não se enganem; não sejam apenas ouvintes dessa mensagem, mas ponham em prática o que ela manda..." (Tg 1. 22 BLH).

A BÍBLIA DEVE SER ESTUDADA
Assim como nos alimentamos freqüentemente para desenvolver nosso físico, a Bíblia deve ser estudada com freqüência, pois nosso espírito requer atenção ainda maior. A Bíblia é o nosso alimento espiritual para a vida e crescimento. Como disse Jó (23. 12), devemos entesourar as palavras da boca de Deus mais que o alimento que nos é indispensável.

A BÍBLIA DEVE SER PRATICADA
A Bíblia deve ser posta em prática, pois só assim comprovaremos o seu valor. A aplicação pode acontecer em dois aspectos: em nossa relação com o próximo e em nossa relação com Deus. É necessário colocarmos em prática aquilo que ouvimos, lemos, estudamos e acreditamos acerca da Palavra de Deus. Isso é vontade em ação.

Em nossa relação com os outros, devemos ficar atentos e perceber se temos exemplos a seguir, erros a evitar, pecados a confessar, ordens a obedecer, promessas a apropriar e orações a fazer.

Em nossa relação com Deus, nossa atenção deve estar voltada para reagirmos com fé, clamar por suficiência, reagir com obediência e submetermo-nos com reverência. Somente com essas atitudes experimentaremos que a Bíblia é o alimento que fortalece a vida humana.

A BÍBLIA DEVE SER PROCLAMADA COM EXATIDÃO
A Bíblia também deve ser proclamada a todo ser humano, pois como disse Paulo a Timóteo: "... as sagradas letras podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus..." (2Tm 3.15; ARA). É responsabilidade de todo cristão ser testemunha de Jesus Cristo a todas as nações.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 30 de julho de 2016

JUSTIFICAÇÃO PELA FE

Por isso, nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado (Romanos 3:20).

Os judeus possuíam as escrituras do Antigo Testamento com a revelação que Deus tinha dado de Si mesmo nelas e Suas justas exigências na lei. Mas isso não os torna melhores do que as outras nações. Isso quer dizer que eles nem sequer se tornaram justos.

Na verdade, não era, não é e nunca será possível ser justificado diante de Deus mediante as “obras da lei”“Qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos” (Tiago 2:10).

O objetivo da lei de Deus não era salvar o homem pecador. A intenção de Deus era antes mostrar à humanidade, através da lei, de que ela era culpada e precisava de salvação.

“Pela lei vem o conhecimento do pecado” (Romanos 3:20). Somente aqueles que conhecem as justas demandas de Deus estão cientes de que não podem satisfazê-las. Quanto mais uma pessoa se esforça em fazer o que a lei exige, mais cedo vai perceber que um poder pecaminoso o domina, levando-o a se rebelar contra os justos mandamentos de Deus e transgredi-los.

Assim a lei de Deus revela ser “a força do pecado” (1 Coríntios 15:56), embora ela seja“santa; e o mandamento, santo, justo e bom” (Romanos 7:12).

Assim, a lei de Deus não pode de maneira nenhuma conferir a humanidade a justificação que lhe dará uma posição diante de Deus, nem pode libertá-lo do poder do pecado que habita nela.

Mas, agora, se manifestou, sem a lei, a justiça de Deus… isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem (Romanos 3:21-22).

Paulo havia mostrado que a humanidade não pode reivindicar qualquer justiça que tenha algum crédito com Deus. Nem pode a lei de Moisés de alguma forma; ela serve apenas para revelar a nossa culpa, uma vez que somos incapazes de guardá-la.

“Mas, agora” – isso aponta para uma nova era, aquela em que vivemos, a qual é muitas vezes chamada de “período da graça”. Durante esse tempo, a justiça de Deus é oferecida através do evangelho. E enquanto a lei do Sinai se aplicava ao povo de Israel, a oferta gratuita da graça de Deus no evangelho está disponível a todos, sem qualquer distinção.

A todo aquele que comparecer diante de Deus com os trapos e farrapos de sua vida, a justiça de Deus lhe é oferecida. Isto é o que se entende por “para todos”.

Na verdade, como pode, então, o homem pecador atingir uma quota na justiça de Deus?
Não por “obras da lei”, mas simplesmente por meio da fé, e não apenas qualquer fé, mas “pela fé em Jesus Cristo”. O homem não pode fazer nada por ou para si mesmo; deve aceitar o que Cristo fez em Sua obra expiatória na cruz para ele pela fé.

Essa é a condição necessária, pois a justiça de Deus vem apenas “sobre todos os que crêem”. Quem não confia em si mesmo e na sua suposta justiça própria, mas admite sua culpa diante de Deus, crendo em Cristo, é salvo. Ele é justificado diante de Deus e livre de julgamento.

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 29 de julho de 2016

A BÍBLIA É UM LIVRO EXTRAORDINÁRIO

A Bíblia, por ser a Palavra de Deus, é um livro único, pois além de termos, em seu conteúdo, o registro de fatos memoráveis do relacionamento Deus homem, o fato de termos ainda hoje esse livro nas mãos de tantas pessoas, comprova que ela é um livro extraordinário.

A ORIGEM - A Bíblia é um livro extraordinário porque sua origem é especial. Deus revelou-se ao homem de maneiras diversas (Hb 1.1-3). Revelou-se audivelmente, comunicando-se com o primeiro casal, no Éden (Gn 1.27-31, 2.18-25 e 3.8-19); revelou-se por meio da criação, dando oportunidade para que todo ser humano reconhecesse sua glória (Sl.19.1-6, Rm1.19-20); revelou-se por meio dos profetas que indicavam a vinda de uma nova época em que o homem poderia de novo ter plena comunhão com Ele (Jr 31.31-33; Ml 3.1-4); revelou-se plenamente por intermédio da encarnação, quando em Jesus Cristo mostrou o único caminho de volta a Ele (Jo 1.14, 14.6); e, por fim, revelou-se ao inspirar homens separados (2 Tm 3.16-17; 2 Pe. 1.19-21) para registrar a sua vontade para nós, suas criaturas.

A UNIDADE - A Bíblia é um livro extraordinário, porque sua unidade é perceptível, embora tenha sido escrita durante um período de aproximadamente mil e quinhentos anos por um grupo de cerca de quarenta escritores. Esses escritores produziram sessenta e seis livros, em diferentes épocas e contextos, reconhecidos como inspirados, os quais formam um só volume, um só livro. Um único livro que contém uma única mensagem: a salvação que Deus oferece, por intermédio de Jesus Cristo, ao ser humano que, por causa do pecado, foi separado do Senhor. .

A TRANSMISSÃO - A Bíblia é um livro extraordinário, porque sua transmissão, por meio de milhares de cópias, foi preservada até nossos dias. Escrita em hebraico, grego e, em pequena quantidade, em aramaico, pelos escritores originais divinamente inspirados, a pureza de seu conteúdo pode ser comprovada pelo estudo de sua transmissão. Somente o supremo controle de Deus, sobre os autores e os escribas que copiaram esse material, pode explicar esse fenômeno.

A SUA SOBREVIVÊNCIA - A Bíblia é um livro extraordinário, porque sua sobrevivência através desses trinta e tantos séculos pode ser comprovada pela história. Depois de ter enfrentado a ordem do imperador Diocleciano, em 303 d.C., de ser destruída pelo fogo, ela se mantêm para todos que procuram em suas páginas a orientação divina que o homem tanto necessita. Ela ainda enfrenta ameaças e proibições de governos e de regimes totalitários. Os regimes passam e se desfazem, mas a Bíblia tem permanecido como a poderosa Palavra de Deus.

A TRANSFORMAÇÃO QUE ELA PROVOCA - A Bíblia é um livro extraordinário, porque sua aceitação e influência são atestados mundialmente. É o livro mais publicado no mundo. É o livro mais traduzido do mundo. Seu conteúdo tem produzido mudanças marcantes na vida dos mais diferentes tipos de homens: desde bandidos até religiosos sinceros; desde grandes autoridades, homens doutos, até os mais simples e iletrados; desde os mais ricos e abastados financeiramente até aqueles que carecem do favor do próximo para sobreviver. Todos têm sido alvo do poder transformador da Bíblia, um livro extraordinário.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 28 de julho de 2016

10 DICAS PARA MELHORAR SEU CASAMENTO


Se você deseja melhorar o seu casamento, diariamente precisa tomar atitudes nesse sentido.

Veja algumas atitudes que você poderia tomar a partir de hoje no seu casamento.

Se cada cônjuge fizer a sua parte, ambos experimentarão uma relação conjugal bem melhor.

1.TRATE O SEU CASAMENTO DE FORMA SINGULAR.
Não existe nenhum outro igual ao seu. É preciso, porém, determinar o que é o casamento e o que queremos do casamento.

2.JOGUE FORA, DE VEZ EM QUANDO, O RESTO DE LIXO DO SEU CASAMENTO.
Nosso problema nesse sentido consiste em juntar até não caber mais, queixas, mágoas, até se tornar insuportável. Viva o seu presente.

3.AJUSTE AS FINANÇAS COMO UM BEM COMUM.
Aprenda a manusear o dinheiro como sendo da família, e não de um em particular. Cuidado com as ambições e o secularismo. Ponha Deus em primeiro lugar nas suas finanças.

4.REVIGORE A COMUNICAÇÃO FAMILIAR.
Desenvolva o senso de humor como uma necessidade diária. Relembre o seu estilo galanteador, e renove a alegria da sua casa todas as manhãs. Cuidado com o 'nunca' e 'sempre'.

5.DESCUBRA A ALEGRIA DO LAZER FAMILIAR.
Trabalhar é importante, mas não se esqueça do lazer. Passeio com o seu cônjuge ou com sua família. Faça aquele passeio que há muito tempo estão planejando. Descubra formas criativas de lazer na sua própria casa ou na sua cidade.

6.EXERCITE O DIÁLOGO CONJUGAL ATÉ O FIM.
Evite o desabafo com vizinhos e colegas. Faça tudo que puder porque o divórcio é muito 'caro'.

7.REALIZEM NOVAS LUAS DE MEL SEM OS FILHOS
Use a sua imaginação indo a um lugar próximo ou a um hotel mais barato ou por poucos dias. Desvencilhe-se do excesso de apego aos filhos. Mantenha sempre a diferença entre a relação paterno-filial.

8.APRESENTE A SUA VOLUNTARIEDADE NOS SERVIÇOS DOMÉSTICOS
Antes de pensar que é o homem ou a mulher, lembre-se que são uma só carne. Descubra o prazer da ajuda mútua. Isto equilibra as forças de poder e mando e as relações afetivas.

9.CONTINUE INCENTIVANDO SUA RELAÇÃO AFETIVO-SEXUAL.
A relação sexual está para o casamento como a calda de ameixa está para o pudim. Em muitos lares é como se o fogo da paixão afetiva já estivesse apagado.
Lembre-se dos dias do fogão a lenha, um abano mantinha o fogo aceso e portanto a chama mais duradoura. Contudo a relação sexual depende da felicidade da relação afetiva e permanente.

10.PARTILHE COM O CÔNJUGE E SEUS FILHOS TODA EXPERIÊNCIA DO SEU CRESCIMENTO ESPIRITUAL BÍBLICO.
Relembre a decisão de Josué e o testemunho de Noé e ponha Deus em primeiro lugar na sua família. Seja um sacerdote como Jó que apresentava seus filhos em oração a Deus porque podiam ter pecado (Jó 1:5).

Relembre Deuteronômio 6 e ensine e pratique a vontade de Deus na sua palavra, sem materialismo, farisaismo, hipocrisia ou fanatismo, mas a palavra pura e simples, de Deus.

Pr. Josue Gonçalvez

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 27 de julho de 2016

TOMANDO A CRUZ

Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. (Marcos 8.34)

Parece-me extraordinário que Jesus deixasse de se referir à sua cruz para se referir à nossa cruz. De algum modo, ele já sabia que seria crucificado. Ele agora diz que, se alguém quer segui-lo, deve tomar a sua cruz. Não podemos deixar de observar o mesmo sinal de necessidade imperiosa.

O que Jesus quis dizer?

De acordo com H. B. Swete, em seu comentário sobre o Evangelho de Marcos, tomar a cruz é “colocar-se na posição de um homem condenado a caminho de sua execução”.

Se tivéssemos vivido na Palestina ocupada por Roma naqueles dias e víssemos um homem carregando uma trave transversal ou patibulum, não precisaríamos correr até ele e perguntar: “Com licença, mas o que você está fazendo?” Não, nós o teríamos reconhecido de imediato como um criminoso condenado, porque os romanos forçavam seus condenados à morte a carregar a própria cruz até o lugar da crucificação.

Essa foi a imagem que Jesus escolheu para ilustrar o significado da autonegação.

Precisamos resgatar esse vocabulário para que ele não seja adulterado. Não devemos supor que a autonegação seja abrir mão de luxos durante a Quaresma ou que “a minha cruz” seja uma provação pessoal e dolorosa.

Sempre corremos o risco de desvalorizar o discipulado cristão, como se ele nada mais fosse que acrescentar uma camada fina de piedade à vida secular. Fure a camada e lá estará, debaixo dela, o velho e mesmo pagão.

Não, tornar-se e ser um cristão envolve uma mudança tão radical que nenhuma imagem pode ilustrá-la à altura, exceto a morte e a ressurreição – morrer para a velha vida, ou para o egoísmo, e ressuscitar para uma nova vida de santidade e de amor.

Paulo estava adaptando o vocabulário de Jesus quando escreveu: “Fui crucificado com Cristo” (Gl 2.20) e: “Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos” (Gl 5.24).

Um último pensamento: Lucas acrescentou o advérbio diariamente à declaração de Jesus: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23, grifo do autor).

De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Romanos 8.12-14

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 26 de julho de 2016

LIBERTOS DA RELIGIOSIDADE

O cristão habituado a andar segundo as tradições religiosas torna-se legalista, hipócrita. Ele se apega demasiadamente às tradições religiosas, não tem nada novo, sempre faz críticas destrutivas e confusões na igreja. Assim, ele não muda para melhor, não recebe o poder de Deus e o renovo espiritual que sua vida precisa.

Talvez você esteja cansado de viver a rotina em sua igreja, em seu trabalho, em sua casa. Talvez você esteja espiritualmente esgotado. Neste momento, Deus tem o poder para prover os meios necessários que mudarão radicalmente a sua vida. Exercite a sua fé em Cristo. Medite nas promessas de vitória que o Senhor tem reservado para você. Ele quer mudar a sua vida.

Se desejamos mudar para melhor a nossa vida espiritual, física e material, devemos entender quando precisamos fazer mudanças fundamentais em nossa vida; devemos entender porque é necessário essas mudanças em nossa vida; e, por último, devemos esforçar-nos para implementar essas mudanças.

Para que as mudanças aconteçam, é preciso que elas estejam acompanhadas de atitudes certas e da ação do Espírito Santo. Não existem mudanças no plano abstrato; a mudança deve acontecer de uma forma concreta, ela deve ser real. Se você não quiser pôr em prática, as mudanças não poderão acontecer em sua vida. Não basta apenas desejar que as mudanças aconteçam. Você precisa tomar as atitudes que o levarão a obter as vitórias que almejou alcançar em cada área da sua vida.

Mas não acredito em mudanças para melhor sem a ação direta do Espírito Santo. Ao conversar com Nicodemos sobre o mistério da salvação, Jesus explicou que o vento sopra onde quer e como quer, o vento movimenta os galhos, as folhas das árvores, as roupas estendidas em um varal direcionando-as para onde está soprando.

O que eu quero dizer com essa metáfora do vento é que, para que haja mudança, é preciso a ação do Espírito Santo. Não basta apenas agirmos por conta própria. Devemos experimentar o mover do Senhor em nossa vida. Somente o Espírito Santo poderá trabalhar, agir, operar, realizar mudanças profundas e eficazes em nós, fazendo de nós novas criaturas em Cristo.

Sem a ação do Espírito Santo não conseguiremos sair do comodismo nem mudar nosso modo de pensar e agir. Sinta o vento do Espírito em sua vida! Ele o conduzirá a uma nova direção e lhe revelará a área de sua vida que precisa ser mudada para melhor. Ele lhe concederá poder, autoridade e graça para você mudar.

Conheça o poder de Deus, não desista dos projetos dele para a sua vida, busque o avivamento que você precisa e a segurança especial de Deus.

Quando você experimentar o poder de Deus e a ação do Espírito Santo em sua vida, você não será mais o mesmo. Você aprenderá a lidar com as perdas, e as circunstâncias da vida não mais o ferirão. Essa mudança não é ficção; é possível de ser operada por Deus em sua vida.

Dra Elizete Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz


segunda-feira, 25 de julho de 2016

A INTERCESSÃO MUDA A LEI DO LIVRE-ARBÍTRIO

Livre-arbítrio a expressão usada para significar a vontade livre de escolha, as decisões livres.

Na Bíblia sagrada podemos notar varias passagens nos provando que somos livres para escolher nosso caminho, mas gostaria de compartilhar o que Deus falou comigo, o poder da nossa intercessão. Em nenhum momento direi que não temos o livre-arbítrio, mas que assim como ele nos da vontade livre de escolha e decisões livre podemos errar, pois que está perfeitamente certo do que faz? Se fosse assim nunca erraríamos! Deus por nos tratar como filhos nos orienta e mesmo nas nossas escolhas nos guarda e cuida de decisões que nos levaria até mesmo a morte, assim como o exemplo dado na Bíblia que vou citar.

Gênesis capitulo 18 do versículo 23 ao 32 nós vemos Abraão interceder por Sodoma e Gomorra, no seu ultimo pedido Abraão diz ao Senhor: “Não te ires, Senhor, mas permite-me falar só mais uma vez. E se apenas dez forem encontrados? ” Ele respondeu: “Por amor aos dez não a destruirei”.

Gênesis capitulo 19 do versículo 15 ao 16 está escrito: Ao raiar do dia, os anjos insistiam com Ló, dizendo: “Depressa! Leve daqui sua mulher e suas duas filhas, ou vocês também serão mortos quando a cidade for castigada”.Tendo ele hesitado, os homens o agarraram pela mão, como também a mulher e as duas filhas, e os tiraram dali à força e os deixaram fora da cidade, porque o Senhor teve misericórdia deles

Gênesis capitulo 19 versículo 29 está escrito: Quando Deus arrasou as cidades da planície, lembrou-se de Abraão e tirou Ló do meio da catástrofe que destruiu as cidades onde Ló vivia. Abraão vai à presença de Deus (oração) e intercede por Ló, mesmo Ló hesitando em sair os anjos do Senhor tiraram ele e sua família a força porque Deus lembrou da oração de Abraão. Ló usou o livre-arbítrio e escolheu ficar, mas por causa da oração de Abraão Deus o Salvou. Imagine se Ló tivesse intimidade com Deus e orasse a favor da cidade, ele mesmo viria à necessidade de sair.

A intercessão é uma arma rara, poucos dedicam parte da vida para interceder por si mesmo ou muito menos pelos outros, creio que se não houvesse intercessores nações estariam muito piores, pois Deus ouve os intercessores e trás o livramento.

Satanás a todo tempo nos polui para que a intercessão não faça parte de nossas vidas, Deus não resiste a um coração quebrantado e a um filho pedindo justamente.Existem pessoas que não intercede pelo mundo, pelo país, pela cidade e nem por elas mesmas. Só vivem pela misericórdia de Deus.

Deus quer ver sua boca aberta pedindo a ele, intercedendo pelas causas impossíveis de sua vida, interceder pela sua vida espiritual, profissional, familiar, etc.Todas as áreas de sua vida dependem de intercessões suas primeiramente.

Satanás não quer que você interceda, assim que você inicia intercedendo por algo ele transforma aquele momento em uma guerra onde tenta fazer você desistir pelo cansaço ou por não enxergar saídas, mas Deus nos pede para viver pela fé, seria não enxergar a vitória, mas crer que ela existe.

Hoje estamos vivendo tempos onde é pregado por alguns lideres religiosos somente promessas, fazendo com que o povo não aprenda a lutar e assim que alguma situação o leva a enfrentar o inimigo facilmente é derrotado porque não tem instrução.

Por que não interceder então pelo seu marido, sua esposa, seus filhos, seus pais, seu emprego, sua empresa, seu ministério, seus sonhos, etc. Se a intercessão é poderosa assim para mudar a lei do livre-arbítrio ela é poderosa para mudar a sua vida e realizar seus pedidos conforme a vontade de Deus!

Amados a todo tempo Interceda por sua vida, lute, não “durma”, ore, busque intimidade com Deus e corra atrás de seus sonhos, não se iluda com ensinamentos que só de vocês crer e/ou obedecer as coisas vão cair do céu, Deus quer te ver em ação, Jesus creu em Deus e era obediente, mas nunca ficou parado, pregava, orava, intercedeu até o ultimo minuto e ainda o faz: 

Romanos 8: 34 Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Se você acha que é difícil o combate e não esta suportando pense nisso como uma frase de minha autoria: “Encarar as lutas é uma vitória, vence-las é um bônus” Ou seja, só de você lutar já é uma vitória, pois muitos nem lutam.

Sua intercessão faz diferença, ela tem poder!

Marcio Souza

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 24 de julho de 2016

FERIDAS QUE NÃO CICATRIZAM

Andei procurando por fósseis da nostalgia. Encontrei preservado o que deveria ter sido destruído no passado, e destruído o que poderia ter ficado preservado até agora"(Mery Medeiros).

Existem feridas, ou seja, dores que carregamos em nossos corações daquilo que vivenciamos em nossa infância, lembranças do que poderia ter sido melhor ou diferente e sentimentos de impotência pelo que foi perdido no passado.

O QUE SÃO OS TRAUMAS DE INFÂNCIA?
Segundo Alexandre Salvador, membro da Sociedade Paulista de Psicanálise, o trauma é a incapacidade do sujeito de superar determinados acontecimentos de sua vida, pois as cargas que foram impostas em certos eventos causaram impactos emocionais mais intensos do que o indivíduo poderia suportar.

Esses traumas podem impedir o crescimento da pessoa em muitos sentidos da vida, devido ao fato de inibir as energias para se viver uma vida plena.
Exemplos de traumas:
1. Morte repentina do pai, mãe ou algum parente muito próximo à criança;
2. Acidentes de trânsito intensos com pessoas feridas;
3. Separação dos pais;
4. Brigas e xingamentos constantes dos pais;
5. Afastamento dos pais, ou seja, falta de afeto de um ou de ambos os pais;
6. Surras ou gritos constantes com a criança;
7. Ofensas de colegas da escola e/ou professores;
Entre outros tipos de acontecimentos que podem ter ocorrido na infância e desencadeiam "travas" ou insegurança no indivíduo.

O enfraquecimento do EU
Os conflitos internos que podem acontecer a pessoas com traumas, muitas vezes podem passar despercebidos até mesmo pela própria pessoa que está vivenciando o trauma, dessa forma, a observação e conversa de alguém muito próximo a essa pessoa pode ajudar muito nessa percepção.

A neurose causada por essa ferida, gera um enfraquecimento do EU nas pessoas, ou seja, uma desordem de autocensura entre os desejos próprios e as ideias colocadas pelas pessoas externas (família, amigos, colegas).
Essas "travas" aparecem nos momentos mais inesperados do dia a dia, e questiona-se: Por quê? De onde vem esses medos e receios? Medo de ser feliz, medo de amar, medo de se entregar, medo de ceder, entre outros.

Alguns comportamentos presenciados na infância pela criança podem sim determinar as escolhas que ela fará no futuro, especialmente no que se refere ao seu cônjuge.

Mas podemos escolher ficar presos e amarrados ao passado, ou redescobrir um futuro muito mais iluminado, mais bonito, mais paciente, com um amor verdadeiro e puro, aquele amor sincero que nos permite crescer juntos, o amor doação.

PLANTANDO NOVAS SEMENTES
Precisamos recriar momentos, compreender as circunstâncias já passadas, esquecer alguns fatos, perdoar algumas falhas, redescobrir novas possibilidades, enfrentar os medos e anseios.

Para que tenhamos a capacidade de fazer essas coisas, não podemos lidar com os problemas de forma superficial, apenas fingindo que não estão ali, ou então mascarando nossas dores com medicações. Se os problemas são profundos nossa intervenção precisa ser tão ou mais profunda.

Uma pessoa com medo de aranhas, precisa aprender a matá-las para que esse medo desapareça. Alguém com medo de amar, precisa se entregar de corpo e alma para outra pessoa. Corre-se o risco da aranha picar, mas a vida é para ser vivida.

O AMOR TUDO CRÊ
Conforme ensina Alexandre Salvador, as sequelas mais comuns que permanecem em adultos com traumas são: achar que está sempre desamparado; medo de ser abandonado; medo de ficar sozinho; torna-se uma pessoa insegura; tímida e com medo de arriscar.

Se você ama alguém que sente algum desses tipos de traumas, ajude-o a ser mais resiliente, ou seja, a recuperar sua capacidade de vencer obstáculos, de lidar com seus problemas e encontrar soluções saudáveis. O amor, o carinho e a atenção da família e amigos é essencial para o fortalecimento do EU.

Normalmente surge-se a necessidade de terapia para que o indivíduo consiga organizar aquilo que ficou enfraquecido no decorrer da vida.

JOSUÉ GONÇALVES

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 23 de julho de 2016

DEUS SEMPRE VAI TE DAR UMA SAÍDA

Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã. Salmos 46:5.

Qual é a situação atual da tua vida? Você está satisfeito como está?

Talvez as lutas tenham sido tão grandes, que você já até pensou que este é o teu fim; que está será a sentença para tua vida. Eu tenho uma palavra de Deus para você, se desperte, este enredo ruim não é para finalizar a tua historia, este é, apenas o inicio para que coisas grandiosas venham a acontecer no decorrer da tua vida. Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. Salmo 86:24.

Quem sabe as tuas forças já esvaíram-se, e as tuas lágrimas te tem sido como bebida forte, te fazem cambalear de tantas aflições, o teu pão esteja com gosto amargo em teu paladar, nada tenha bom sabor a tua boca, já não há mais alegria para viver em teu coração, os teus dias tem sido de densas chuvas, as nuvens escuras tenha armado lona sobre ti, e, a tua voz parecer embargar na tua garganta, teus pulmões parecem estarem feridos, já não tem mais forças para levantar um clamor, e a esperança que ainda te restava parecer não mais sair da UTI da vida. Ainda assim, eu te afirmo, este não é o teu fim. Eu não morrerei, mas viverei e contarei as obras do Senhor. Salmo 118:17.

Acredite, Você não será lançado no mar do esquecimento, o Senhor Poderoso em feito e tremendo em obras, jamais te abandonará, o inimigo não celebrará a tua ruína, os que ti perseguem não comemorarão a tua derrota. Há um Deus que é justo é fiel, Ele não irá te deixará prostrado, não permitirá que os teus zombadores escarneçam o nome dele na tua vida, este cenário terrível que te envolveu, está próximo a findar-se, tudo novo se fará. Deus está cuidando de ti. O Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam; pelo que verei cumprido o meu desejo sobre os que me aborrecem. Salmo 118:08

Pode até parecer que nada mais tem jeito para você, você pode até ter chegado no limite das tuas forças, não desfaleça, não visualize como uma decisão, esta escuridão a tua volta, o que determina a tua vitória é o que vem de Deus, isto sim, é com lei para tua vida, o senhor Deus já rasgou o véu que encobria a luz, contemple pela fé, o sol da sua justiça brilhando sobre ti.

Não há fortaleza das trevas o suficiente para te deixar preso, o Senhor dos Exércitos, já se levantou em teu favor, Ele já quebrou os grilhões das trevas, já aniquilou o poder do mal, já destruiu os ferrolhos de bronze e lançou por terra as trancas de ferro. Não temas, se despida das vestes de tristezas, e se vista com as vestes da alegria de Deus, o pacto satânico para te destruir já foi quebrado, e os seus projetos foram um por um frustrados, alegre o teu coração, o senhor obrou em teu favor. E Ezequias, e todo o povo se alegraram, de que Deus tinha preparado o povo; porque apressuradamente se fez esta obra. II Crônicas 29:36

O que não entendes agora, entenderás depois, toda essa fúria das trevas sobre a tua vida, é porque o mal saber o que Deus vai fazer por ti, não temas apenas confie em Deus, Ele já se levantou do seu trono de glória, e, ordenou o inimigo calar-se em teu favor, os venenos destilados foram secados, sugado pela boca do abismo, não causará mais dano em ti.

O que você pensava ser para a morte, será para vida, a glória do Senhor já brilhou sobre ti, e tudo que estava travado já foi liberado, o que estava preso começou a desprender-se, o que estava oculto já vai se manifestar . Onde não havia paredes, Deus abriu portas, e neste labirinto fechado, Deus já colocou varias saídas. Senhor Jeová! Já começaste a mostrar ao teu servo a tua grandeza e a tua forte mão; porque, que Deus há nos Céus e na terra, que possa obrar segundo as tuas obras, e segundo a tua fortaleza?   Deuteronômio 03:24.

Mesmo que, a batalha que te envolve, seja ferrenha, Deus está contigo, no meio dela, Ele vai te fazer sair desta situação. Ninguém há que possa impedir o seu agir, Ele é grande, Poderoso, Justo e Fiel e trabalha noite e dia para te dá a vitória. Espere e Confia em Deus, você vai ver o que Ele vai fazer na tua vida e através de ti. Porque tu és grande e operas maravilhas; só tu és Deus. Salmo 86:10

Descanse o teu coração e confie no senhor!

Pra. Elza Amorim Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 22 de julho de 2016

O DEBATE SOBRE O PERDÃO

O Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados. (Marcos 2.10)

Marcos relata a tocante história do paralítico que foi curado e perdoado. Carregado por quatro amigos, ele estava impedido pela multidão de chegar até Jesus. Então seus amigos fizeram uma abertura no telhado da casa, pela qual transportaram o homem em sua maca.

Para surpresa de todos, em vez de declará-lo curado, Jesus o declarou perdoado, pois cura e perdão eram duas bênçãos geminadas do reino messiânico.

Os mestres da lei ali presentes ficaram indignados e disseram: “Por que esse homem fala assim? Está blasfemando! Quem pode perdoar pecados, a não ser somente Deus?” (v. 7).

Em resposta, Jesus traçou um paralelo entre as duas bênçãos, e acrescentou que primeiro o declarou perdoado porque queria que as pessoas soubessem que ele tinha autoridade para perdoar pecados. Só então curou o paralítico, que se levantou diante de todos, para espanto de todos.

Pouco depois, Lucas registra um incidente semelhante. Jesus permitiu que uma prostituta o ungisse com perfume, lhe molhasse os pés com lágrimas e os cobrisse de beijos. Quando ele a declarou perdoada, os convidados do jantar disseram entre si: “Quem é este que até perdoa pecados?” (Lc 7.49).

Assim, em duas ocasiões distintas Jesus perdoou o pecado das pessoas dizendo “seus pecados estão perdoados”. Em ambos os casos os espectadores reconheceram as palavras de Jesus como mais que uma declaração; eles as entenderam como uma absolvição. E nas duas situações as testemunhas ficaram escandalizadas, pois sabiam que ninguém senão Deus poderia perdoar pecados.

“… descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações? Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? ...”  Marcos 2.1-12

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz


quinta-feira, 21 de julho de 2016

CANAL DE INFLUÊNCIA

Vivemos em uma cultura na qual os valores judaicos cristãos são motivo de chacota e a imoralidade permeia todos os meios sociais e de comunicação; uma cultura em que a violência, a banalidade, a mediocridade e o comportamento pessoal em desintegração destroem a civilidade e colocam em risco nossas comunidades. Por outro lado, quando cristãos de boa fé se esforçam para evitar certas barbaridades, como temos visto nos meios de comunicação, são taxados de intolerantes e fanáticos.

Como cristãos, devemos influenciar o mundo e implantar o Reino de Cristo nesta terra, como nos recomenda o apóstolo Paulo em Romanos 12.2. Nossa missão é mostrar ao mundo que o cristianismo é um sistema de vida compreensível, que responde às perguntas mais antigas da humanidade como: De onde vim? Por que estou aqui? Para onde estou indo? A vida tem algum significado e propósito?

Somente o cristianismo oferece uma maneira para compreender a ordem física, moral, espiritual e emocional do ser humano. Ao criar-nos, Deus teve o cuidado de deixar para nós o seu manual de sobrevivência neste mundo, a Bíblia Sagrada. Que linda prova de amor! 

O escritor e teólogo C S. Lewis declarou: "Eu descobri em mim mesmo desejos os quais nada nesta Terra podem satisfazer. A única explicação lógica é que eu fui feito para outro mundo". Temos desejos e carências que somente Deus pode preencher. Porém, há quem tente preencher seus vazios com uma cultura cada vez mais perversa, que leva o ser humano à decadência. 

Deus nos criou e fez as leis morais para nos mantermos saudáveis; criou nossas mentes e a lei da lógica e da imaginação; criou-nos como seres sociais e políticos; criou um mundo de beleza e princípios de criação estética e artística. Contudo, a humanidade tem desafiado as leis morais, sociais e espirituais que Deus estabeleceu para o homem. Como consequência, o amor do homem está esfriando e a iniquidade e a violência têm se multiplicado. 

Nenhuma transgressão à lei moral e espiritual que Deus estabeleceu para o ser humano ocorre sem consequências dolorosas. Nosso chamado não é somente para ordenar nossas próprias vidas pelos princípios divinos, mas para nos comprometermos em transformar o mundo sendo sal e luz.

Enfrentamos conflitos culturais de todos os lados sem nos dar conta de que a própria guerra está ao nosso redor. Estes não dizem respeito somente à discussão sobre o aborto, o direito dos homossexuais ou o declínio da nossa educação. 

O verdadeiro embate se dá entre a cosmovisão cristã e as cosmovisões seculares e espirituais contrárias à Igreja de Cristo. Por isso, devemos nos preparar e ser efetivos para evangelizar o mundo e transformá-lo a fim de que reflita a sabedoria do Seu Criador

Dra. Elizete Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 20 de julho de 2016

POR QUE DEUS PERMITE O MAL?

A Bíblia descreve Deus como sendo santo (Isaías 6:3), justo (Salmo 7:11), reto (Deuteronômio 32:4) e soberano (Daniel 4:17-25). Esses atributos nos dizem o seguinte sobre Deus:
(1) Deus é capaz de prevenir o mal, e
(2) Deus deseja eliminar o mal do universo.

Assim, se ambos são verdadeiros, por que Deus permite o mal? Se Deus tem o poder de prevenir o mal, e deseja fazê-lo, por que não o faz? Talvez uma boa maneira de encarar esse dilema seria considerar algumas situações alternativas de como as pessoas gostariam que Deus dirigisse o mundo:

1) Deus poderia mudar a personalidade de todas as pessoas para que não pudessem pecar. Isto também significaria que não teríamos o livre arbítrio. Não seríamos capazes de escolher entre o certo e o errado porque seríamos "programados" para apenas agir corretamente. Se Deus tivesse escolhido fazer isso, não haveria relações significativas entre Ele e a Sua criação.

Em vez disso, Deus fez Adão e Eva inocentes mas com a capacidade de escolher o bem ou o mal. Sendo assim, eles poderiam responder ao Seu amor e confiar nEle ou escolher a sua própria vontade. De fato, escolheram satisfazer a sua própria vontade. Porque vivemos em um mundo real onde podemos escolher as nossas ações mas não as suas consequências, o seu pecado afetou aqueles que vieram depois deles (nós). Da mesma forma, as nossas escolhas de pecar têm um impacto sobre nós e sobre aqueles que nos rodeiam.

2) Como uma outra opção, Deus compensaria pelas ações perversas através de uma intervenção sobrenatural 100% do tempo. Por exemplo, se um motorista embriagado provocasse um acidente automobilístico, Deus teria que proteger o motorista e as pessoas no outro carro de qualquer dano, pois haveria muitas pessoas que possivelmente sofreriam pelo acidente ou pela morte/ ferimentos dos envolvidos no acidente. Deus teria que proteger o motorista bêbado de bater nos postes de alta tensão, prédios, etc., porque essas coisas fariam com que pessoas inocentes sofressem.

Um outro exemplo pode envolver uma pessoa preguiçosa fazendo o encanamento de uma casa, e ele não se preocupa em verificar se há vazamentos antes da casa ser terminada. Deus teria que fazer que o encanamento não vazasse porque senão os compradores da casa teriam que sofrer por causa do pecado da pessoa preguiçosa.

Se um pai se viciasse em drogas e gastasse todo o seu dinheiro nesse vício, Deus de alguma forma teria tanto que milagrosamente proporcionar a comida quanto cuidar das necessidades sociais das crianças para que não tivessem que ser adversamente afetadas pelo mal do pai.

Em um mundo assim, Deus seria como um mau pai que permite um comportamento destrutivo de um filho desobediente. Não haveria consequências por suas ações e, como resultado, ninguém aprenderia integridade, pureza, honra, responsabilidade ou auto-controle. Não haveria "consequências boas" pelo comportamento correto, nem "consequências más" pelo comportamento errado. O que as pessoas se tornariam além de mais rebeldes e pecadoras?

3) Uma outra opção seria que Deus julgasse e removesse aqueles que escolhem cometer atos maus. O problema com esta possibilidade é que não sobraria mais ninguém, pois Deus teria que remover todos nós. Todos pecamos e cometemos atos maus (Romanos 3:23; Eclesiastes 7:20, 1 João 1:8). Embora algumas pessoas sejam mais perversas do que outras, onde Deus traçaria a linha? Em última análise, todas as perversidades causam danos a outras pessoas.

Em vez dessas ou outras opções, Deus escolheu criar um mundo "real" no qual as escolhas reais têm consequências reais. Neste nosso mundo real, as nossas ações afetam outras pessoas. Porque Adão escolheu pecar, o mundo hoje vive sob uma maldição e todos nascemos com uma natureza pecaminosa (Romanos 5:12). Haverá um dia quando Deus julgará o pecado no mundo e renovará todas as coisas, mas Ele está propositalmente "atrasando" a fim de permitir mais tempo para que as pessoas se arrependam e não precisem mais ser julgadas por Ele (2 Pedro 3:9). Até então, Ele SE PREOCUPA com o mal. Ao criar as leis do Antigo Testamento, Ele estabeleceu leis que desencorajassem e punissem o mal. Ele julgou as nações e os reis que desprezavam a justiça e buscavam o mal.

Da mesma forma no Novo Testamento, Deus afirma que o governo tem a responsabilidade de prover a justiça a fim de proteger os inocentes do mal (Romanos 13). Ele promete também graves consequências aos que cometem atos malignos, especialmente contra os "inocentes" (Marcos 9:36-42).

Em resumo, vivemos em um mundo real onde as nossas boas e más ações têm consequências diretas e indiretas sobre nós e sobre os que nos rodeiam. Deus deseja a nossa obediência para o nosso bem, para que “bem lhes fosse a eles e a seus filhos para sempre” (Deuteronômio 5:29).

Em vez disso, o que acontece é que escolhemos o nosso próprio caminho e então culpamos a Deus por não fazer nada sobre isso. Tal é o coração do homem pecador. Entretanto, Jesus veio para mudar os corações dos homens através do poder do Espírito Santo. Assim Jesus é capaz de agir a favor dos que se voltam contra o pecado e clamam a Ele para que os salve do pecado e das suas consequências (2 Coríntios 5:17).

Deus previne e restringe alguns atos de maldade. Este mundo seria MUITO PIOR se o Senhor não estivesse restringindo o mal. Ao mesmo tempo, Deus nos deu a capacidade de escolher entre o bem e o mal, e quando escolhemos o mal, Ele permite que nós e os que nos rodeiam soframos as suas consequências.

Ao invés de culpar e questionar a Deus sobre os Seus motivos para não impedir todo o mal, deveríamos nos ocupar com a proclamação da cura ao mal e suas consequências - Jesus Cristo!

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz