sexta-feira, 8 de julho de 2016

ALEGRIA E TRISTEZA

Digo-lhes que certamente vocês chorarão e se lamentarão, mas o mundo se alegrará. Vocês se entristecerão, mas a tristeza de vocês se transformará em alegria. (João 16.20)

Devemos ver a tristeza, o choro e o lamento descritos nesta passagem de uma perspectiva cristã, não mundana. Essa tristeza acompanha todas as posições que possamos ter na vida que são ordenadas por Deus.

Deus projetou o mundo de tal maneira que coloca pessoas em certas posições na vida antes que elas entendam tudo que se relaciona com aquelas posições.

Por exemplo, os jovens são precipitados no casamento com música e dança. Eles abordam o casamento alegremente e imaginam que será tão doce quanto o açúcar.

Da mesma maneira, Deus dá grande honra e glória a príncipes e senhores. Ele pendura correntes de ouro ao redor dos seus pescoços, coloca-os em almofadas de veludo e permite que as pessoas se encurvem diante deles e lhes chamem “vossa alteza”. Ele lhes dá grandes castelos e muita fama.

Aqueles que não experimentaram esse estilo de vida pensariam que a vida dessas pessoas é repleta de nada mais do que alegria e prazer. Depois, tendo lhes capturado, é como se Deus lançasse uma corda sobre os seus chifres. Quando eles estão presos em suas posições, descobrem que a vida é muito diferente do que pensavam que seria.

A emoção se dissipa. O infortúnio e a tristeza arruínam a alegria e o prazer.

Isso não é nada comparado às grandiosas verdades a respeito das quais Cristo está falando nesta passagem.

É assim que a vida se desdobra. Ela alterna bom e ruim, alegria e tristeza, verão e inverno, sol e chuva, bons anos e anos ruins, tempos de tristeza e tempos de riso e depois tempos de problemas novamente.

É assim que acontece a todas as pessoas em suas posições na vida. É muito difícil e desagradável, mas todos nós devemos suportar pacientemente parte da punição colocada sobre Adão.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz