segunda-feira, 1 de agosto de 2016

O PERDÃO DO AMOR

“E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.” 1 João 4:16

Quem de nós de fato consegue e sabe amar? O que entendemos como amor está plantado dentro de nós e colocamos em pratica? Há amor em nossa vida capaz de suportar os erros e fraquezas alheias, e perdoar?

O amor é a essência de Deus, é a forma mais sublime de definir o Ser Supremo da criação, Ele foi o único capaz de superar toda a maldade humana e se destituir de sua gloria, tomar corpo humano para viver entre nós, e morrer por nós, sem se importar se alguns mereciam ou não tamanho sacrifício. Ele simplesmente optou por rebaixar-se a ser um de nós para que um dia fossemos um com Ele. Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Efésios 4:6

O conceito do amor que flui em nosso ser é capaz de nos fazer reduzir a tamanha pequenez, como fez Deus só para ajudar alguém que não merece os nossos préstimos? Será que se alguém nós ferir, seriamos capazes de estender as mãos para o ajudar?

Mas é assim que tem que ser com aqueles que de fato possui em si o verdadeiro amor; Liberar perdão é o maior sacrifício para alguém que foi prejudicado, porque, quando somos penalizados injustamente, tudo o que requeremos é a justiça, não importa se ela venha dos homens, ou se venham de Deus, queremos ser restituídos de alguma forma.

Perdoar é a mais completa forma de demonstrar que em nosso coração existe sombra do amor de Deus, pois, foi exatamente Ele quem perdoou aqueles que para nós, não existiria perdão, para eles.

Porque nós que dizemos ter a Deus dentro do nosso ser, não conseguimos agir como Deus? Talvez alguns me digam: Deus é Deus! Certamente é! E nós quem somos, acaso não é sua imagem e semelhança? Não há dentro de nós o ar que saiu das entranhas de Deus? Se está dentro de nós algo que saiu de dentro D’ele, porque não conseguiríamos ser como Ele é? O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; Colossenses 1:15

Penso eu: porque não queremos! A nossa natureza humana, pecaminosa, faz crescer o nosso eu de tal forma que não queremos nos rebaixar para pedir desculpa a alguém que achamos que deveria ser castigado. Ou seja, nós mesmo queremos fazer a justiça.

Se Deus fizesse assim conosco, onde estaríamos nós neste momento? Ainda bem que Deus realmente ama, porque nós, apenas dizemos que amamos, queremos que o amor seja para nos beneficiar, se for para requerer de nós, renúncia, preferimos sepultar este sentimento dentro de nós, ao deixar florescer.

Pôr as pessoas serem iguais ou até inferior a nós, achamos por certo, não recuarmos para não demonstrar pequenez, fraqueza; acredito, que isto não deveria existir no momento em que se trata de amor, porque o amor é muito mais precioso para quem libera o perdão, do que para quem recebe, É por isso que Deus é Deus!

Porque Ele não se incomodou se alguém iria fazer jus, Ele amou, e, isto é o bastante! Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. Efésios 4:32

O verdadeiro amor vem acompanhado pelo perdão, só existe amor em quem sabe perdoar, e a verdadeira prova de quem ama, está quando o perdão é liberado, e, o perdão só é liberado, se, houver esquecimento. Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniquidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. Miqueias 7:18

Deus nos perdoou por causa do seu grande amor! Nós Temos a Deus? Precisamos aprender a perdoar, assim Cristo será visto em nós!

Pra. Elza Amorim Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz