segunda-feira, 31 de outubro de 2016

SENTINDO-SE ESQUECIDO

Então Deus lembrou-se de Noé e de todos os animais selvagens e rebanhos domésticos que estavam com ele na arca, e enviou um vento sobre a terra, e as águas começaram a baixar. (Gênesis 8.1)

Ficar preso dentro daquela estrutura flutuante por tanto tempo não era fácil e dificilmente seria descrito como diversão.

Noé e sua família viram o aguaceiro torrencial e ficaram sendo lançados para frente e para trás com a elevação das águas.

Noé sentiu que Deus os havia esquecido. Moisés frisa isso quando escreve que finalmente Deus se lembrou de Noé e de sua família.

Por meio da fé, Noé e sua família conseguiram vencer os sentimentos de abandono. Mas eles precisaram lutar contra sua natureza humana.

Devido ao fato de Noé nunca ter passado por experiências tão sérias no passado, ele ficou imaginando se Deus mostraria compaixão e se lembraria dele e de sua família.

Ao fim, eles conquistaram o que tanto ansiavam. Mas a vitória veio com uma luta tremenda.

Da mesma maneira, as pessoas jovens que querem viver uma vida pura e virtuosa devem fazer um esforço insistente para controlar seus desejos pecaminosos.

A nossa natureza humana é fraca. Ela não consegue tolerar a ideia de que Deus pode ter se esquecido de nós ou nos abandonado.

Queremos até nos gabar e tomar a honra para nós mesmos quando Deus se lembra de nós, quando ele olha para nós com bondade e nos dá vitórias.

Seria, então, de se admirar, o fato de ficarmos desesperado quando sentimos que Deus nos abandonou e que tudo está dando errado?

Não se esqueça de que essa história nos fornece um modelo de fé, paciência e perseverança.

Ela nos ensina que devemos crer e confiar em Deus. Ela também nos deixa cônscios de como necessitamos de paciência.

Porém, a paciência se tornaria algo desnecessário se não tivéssemos que passar por lutas e dúvidas pessoais.

Até mesmo Cristo nos chama a perseverar em situações difíceis quando diz no Novo Testamento: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mt 24.13).

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 30 de outubro de 2016

O DESAFIO DE DEUS

Deus desafia todas as nações para que tragam seus deuses e provem que são poderosos, que faça o que seus adoradores dizem o que eles são. Enquanto eles não conseguem provar, e os deuses se mostram impotentes, Deus diz que vai mostrar quem é e o que faz, trazendo do Norte a Ciro, o homem que ele escolhera para governar os povos. Deus de verdade faz isso, não promete fazer, ou precise que seja carregado por aqueles que o adoram.

Deus faria com que seu povo voltasse das terras para onde foram, coisa que nenhum deus ou nação conseguiu fazer, mas o povo de Deus iria retornar dos lugares onde estava, e assim Deus provaria seu poder. Regocíjate grandemente en el Señor!

Através das metáforas dos animais e das árvores, sete tipos, Deus mostra que iria causar espanto a todas as nações ao redor. Tudo foi resolvido por Deus. Quando eles vissem o povo voltando, grande seria o espanto, pois restauração de Deus em redor.

Esse capítulo tem alguns dos versículos mais lindos, como os versículos 10, 11, e 13, onde Deus diz que vai fazer Israel vencer aos seus inimigos, e com certeza, muitos inimigos de Israel nem existem hoje, como Deus prometera, cumpriu. Entre eles estão os Filisteus, Moabitas, Edomitas, Assírios, etc.

Ele usa uma metáfora interessante no verso 15, que fala de trilho novo, na verdade uma metonímia, que usa a parte pelo todo; trilho aqui é uma máquina usada para preparar a terra para serem plantada nela as sementes. Deus iria renovar a nação, preparar o terreno para Israel de novo florescer, para que vença seus inimigos e Deus seja glorificado.Assim todos saberiam quem era o Deus dessa nação tão desprezada,humilhada.

É a renovação de Deus acontecendo, e ninguém iria impedir que seu povo fosse restaurado, nem os deuses dessas nações, que eram tidos como poderosos, mas na verdade não eram nada diante da grandeza de Deus. Eles não provaram nada, não predisseram o futuro, nem fizeram uma bondade ou maldade, para provarem que estavam vivos, como Baal, Astorete, ou Astarte, ou Vênus, e Milcon, ou Malcon, entre outros, falsos deuses que nada podem fazer.

Só o eterno IAVÉ triunfaria, como triunfou. Deus desafiou eles para a luta, para provarem quem eles eram de verdade, e Deus mesmo diz que “eles não são nada, menos que nada”, enquanto que ele prova ser o Deus grande.

Essa esperança que nós temos de Deus, aquele que faz em nós o que quer. Que Deus nos guarde de todo mal, e aqueles que lutam contra nós sejam envergonhados, para que nós possamos usufruir das promessas de Deus, a qual não falha, pois Deus é o sustentador de todas as coisas, como diz Paulo no livro de Romanos,capítulo 11, depois de explicar o plano de Deus, que inclui os gentios e Israel: “tudo é por ele e para ele; glória, pois, a ele eternamente”.

Josias Leonardo De Moura

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 29 de outubro de 2016

É HORA DE RECOMEÇAR

Embora no hall dos tipos de tempo apresentados em Eclesiastes 3 não apareça o tempo de recomeçar de forma direta e explícita, sabemos quão necessário ele se faz em momentos específicos de nossa vida.

“Tudo tem seu tempo determinado”, e, talvez, este seja o tempo de recomeçar, de começar do zero, de se levantar para voltar a caminhar com JESUS.

Esqueça, momentaneamente, o tempo de abraçar, de rir, de buscar alguma bênção da parte de DEUS; porque seja o tempo de chorar, de prantear, de ter vergonha das más atitudes e dos maus caminhos; o tempo do desprezo ao pecado; dos prazeres deleitosos, da felicidade estampada na face por ter feito algo bom para o EGO, mas tão nocivo a DEUS.

O tempo para a minha e a sua vida seja, irrevogavelmente, o tempo de chegarmos a DEUS e buscarmos a purificação de nosso coração: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Senti as vossas misérias e lamentai e chorai; e converta-se o vosso riso em pranto e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e Ele vos exaltará” (Tiago 4:8-10).

As recomendações escritas pelo apóstolo Tiago, na verdade, são do Espírito dAquele que quer nos salvar e não deseja mais nos ver perdidos.

Como temos andado? O que temos feito? DEUS tem verdadeiramente se agradado de nós? São perguntas que precisam ser respondidas na plenitude da sinceridade. É tempo de abandonarmos os pecados e buscarmos a Santa presença de DEUS.

Precisamos abandonar as horas tristes da prostituição, da bebida, da mentira, das exaltações rancorosas e das conversas torpes que tivemos nesses últimos meses ou dias.

A nossa força vem do SENHOR, mas precisamos fazer a nossa parte, que é nos arrependermos, chorarmos, cumprirmos tudo o que foi escrito acima por Tiago. A força, junto com o perdão, virá; e não haverá quem a contenha. E quando nos levantarmos de nossa humilhação, sentiremos a alma e as mãos limpas; a mente em paz e a gloriosa presença do Espírito Santo, porque ELE terá retornado à Sua verdadeira casa, que somos nós, o nosso corpo.

É hora do recomeço, irmãos; tempo de perseverarmos pela nossa santificação. É tempo de nos levantarmos das cinzas amargas que o mundanismo nos proporcionou e cairmos na sinceridade de nossa consciência, assim como fez o filho pródigo da Parábola: “E, caindo em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; e já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros” (Lucas 15:17-19).

Ou, como fez Davi, no Salmo 51, depois de ter adulterado com Bate-Seba: “Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista; para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares. (...) Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário” (Salmo 51:4, 10-12).

O caminho da volta pode ser muito difícil, mas é necessário e inadiável. Não pode ser amanhã ou depois, quando estivermos nos sentindo melhores. É hoje, agora, imediatamente, como um salto que se dá da cama e coloca-nos de joelhos na presença do SENHOR. Daqui para amanhã, satanás lançará outras mentiras, outros convites, outras prisões contra nós. O tempo é agora!

O diabo não é o nosso amigo nem quando ele aparenta ser em determinados momentos. Nosso único e verdadeiro AMIGO é JESUS, que, mesmo ofendido pelos nossos pecados, entristecido pelas obras más que cometemos; quando O procuramos, ELE ali está de braços abertos para nos perdoar e nos ajudar no recomeço. Não existe outro melhor que ELE!

Enquanto satanás nos leva às cadeias dos pecados, que nos tornam felizes e exauridos de muito prazer, DEUS nos leva à liberdade para agradá-LO, para servi-LO, à liberdade da renúncia do nosso EU. Enquanto o caminho final de satanás para nós são as trevas; o de DEUS é o Céu, a Sua morada eterna. É tudo uma questão de escolha. E enquanto satanás mente em nosso ouvido, dizendo que não há mais jeito para a nossa situação, DEUS afirma e garante exatamente o contrário:“Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como uma planta” (Jó 14:7-9).

Há esperança para todo aquele que hoje se encontra torto, perdido. JESUS endireita quem O deseja de todo o coração. Por isso, largue o pecado, fuja dele imediatamente! Coloque seus olhos em DEUS e nas coisas do Seu Reino. Fuja dos prazeres do mundo porque ele jaz no maligno. É tempo de recomeçar, de ser e fazer diferente; de promover influências santas e não sofrer influências perdidas.

Fernando César

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

VAMOS NOS ESPECIALIZAR EM DEUS

Davi só apareceu esta manhã. Ele parou de cuidar das ovelhas para entregar pão e queijo para os seus irmãos na frente de batalha. Ali é onde Davi ouve Golias desafiando Deus...

Leia as primeiras palavras que ele falou, não só na batalha, mas na Bíblia: “Davi perguntou aos soldados que estavam ao seu lado: ‘O que receberá o homem que matar esse filisteu e salvar a honra de Israel? Quem é esse filisteu incircunciso para desafiar os exércitos do Deus vivo?’” (1 Samuel 17:26).

Davi aparece discutindo sobre Deus. Os soldados não mencionaram nada sobre Ele, os irmãos nunca falaram o seu nome, mas Davi entra em cena e levanta o assunto sobre o Deus vivo...

Ninguém mais discute sobre Deus. Davi não discute sobre ninguém mais a não ser sobre Deus...

Davi vê o que os outros não veem e se recusa a ver o que os outros veem. Todos os olhos, exceto os de Davi, caem sobre o grandão bruto que respira ódio... As pessoas conhecem as suas provocações, as suas exigências, o seu tamanho e as suas escoras. Eles se especializaram em Golias.

Davi se especializa em Deus. Ele vê o gigante, como você pode imaginar; mas ele vê Deus ainda maior. Olhe atentamente para o grito de guerra de Davi: “Você vem contra mim com espada, com lança e com dardos, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel” (1 Samuel 17:45).

Senhor Deus, prepare-nos para andar no seu caminho. Ensine-nos a vê-lo nas situações que são perigosas e difíceis. Como Davi, quando nós estivermos rodeados por desafios avassaladores, que os nossos pensamentos e as nossas palavras recorram primeiro ao senhor.

Ao invés de discutirmos sobre os problemas, lembre-nos de discutir sobre o senhor. Que o nosso primeiro pensamento de manhã e o nosso último pensamento à noite estejam centrados no senhor.

Ao invés de nos preocuparmos com as impossibilidades, permita que nós nos especializemos no seu grande poder. Quando nós estivermos tentados a olhar para os gigantes nas nossas vidas, nós escolheremos olhar para o senhor, amém.

Exaltado seja o Deus da minha salvação. Salmos 18:46

Andamos por fé, e não por vista. 2 Coríntios 5:7

Max Lucado

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

O SENHORIO DE JESUS CRISTO

Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis.Não há quem faça o bem, não há nem um só. (Rm 3:12). A morte de Jesus é uma parte do evangelho, mas existe mais. Depois da queda, a natureza do homem ficou estragada, podre

Evangelho pregado hoje - aceite Jesus ... ;  Evangelho do Reino - Jesus, me aceite...
Muitas das pregações dos apóstolos falam da morte Jesus. Mas todas falam da ressurreição. Ela aponta, mostra que Jesus é o MESSIAS, o REI, que veio para ser o Senhor e Dono. Rm 14:9 At 2:38

- Arrepender (metanóia no original grego) significa mudança de rumo, mudança de atitude interior. Deixo de ser independente. Passo a ser dependente de Deus.

Mensagem de Jesus para os apóstolos: SEGUE-ME! Mc 8:34,35; Lc 14:33
Arrepender não é abandonar alguns pecados. É morrer para a minha vontade para fazer (e não para falar) a vontade do Pai.

O Evangelho do Reino não foi estabelecido para a salvar o homem, mas para agradar a Deus e colocar Jesus como Rei.

A mensagem JESUS É O SENHOR é muito pregada e cantada na igreja hoje, mas não tem muito significado, ou é apenas um desejo, um alvo a ser atingido algum dia.  Quando uma pessoa é salva, ela entra para o reino de Deus e está debaixo do governo de Jesus Cristo. Ela é salva da sua independência para ser dependente de Jesus.

O senhorio de Jesus não é uma opção para ser salvo, é uma condição. - Mt 16:24 - “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me”.

Não podemos prometer a vida eterna para alguém que não foi tocado no seu ego (no seu eu) e continua independente de Jesus.  Mc 10:17-22 - “Ora, ao sair para se pôr a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele e lhe perguntou: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? ninguém é bom, senão um que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás; não adulterarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; a ninguém defraudarás; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porém, lhe replicou: Mestre, tudo isso tenho guardado desde a minha juventude. E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Uma coisa te falta; vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitos bens”. Era dono , possuía ... O Deus dele eram suas posses. Seu coração estava nelas.

Lc 19:1-10 - “Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico. Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão… Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.

Era rico, proeminente. Subiu numa árvore para ver. Jesus manda e ele obedece sem questionar nada. Recebeu Jesus com alegria. Ele se despojou de seus bens sem que Jesus tocasse no assunto. Entendeu o que era ter Jesus como Senhor. Deixou de ser independente.

A renúncia é uma condição para se converter. (Ex.: A porta estreita - não existe a porta media) Nem Jesus nem os apóstolos usavam aquela famosa frase : “Quem quer aceitar Jesus como seu salvador ?” e sim: “Negue-se a si mesmo. Renuncie a tudo, inclusive a você”. Eles pregavam uma submissão incondicional a Jesus.. Texto fora do contexto é pretexto

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

O CONSOLO VEM DE DEUS

Por que estás abatida, Ó minha alma? E por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face e Deus meu. Salmo 43: 05.

Porque te abates oh minha alma? Está foi uma pergunta de alguém que conhecia a Deus, de alguém que trazia dentro de si a chama da adoração, cujo coração era sincero diante de Deus, mesmo com todos os percalços existentes durante a sua caminhada, ele tinha um coração segundo o coração de Deus. […] já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja chefe sobre o seu povo. I Samuel 13:14.

Em todo o tempo, Davi expressa uma confiança inabalável em Deus, uma certeza que o livramento viria independente do tempo, ou ocasião; isto fazia dele um referencial da fé, alguém que tocava no coração de Deus por trazer dentro de si um quebrantamento inigualável; através do temor a Deus, ele demonstrava quanto o amava como todas as suas forças. Eu te amarei Senhor de todo coração, ó Senhor, fortaleza minha. Salmo 18:01

Davi não se importava com sua condição de rei, mas, valorizava a verdadeira comunhão com Deus, visível é o laço de intimidade; ele tinha expressa convicção do poder do seu Deus e sabia que, Deus nunca iria falhar, havia um relacionamento de Pai e filho, entre ele e Deus. O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.Salmo 18:02

Porém, houve na vida de Davi momentos terríveis, por causa dos erros cometidos por ele, isto lhe patrocinou momentos de amarguras profundas em sua alma.

Hoje, em nossa vida não é diferente, há circunstâncias em que somos levados a ser encurralados por embaraços que nós mesmos proporcionamos; são situações que nos faz olhar para todos os lados sem saber o que fazer. Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro? Salmo 121:01

Entretanto, o pior cercado que um homem pode ficar, é o instalado dentro dele, as grandes que trancafiam a alma, cujas hastes são chamadas angústias, amarguras e aflições, provocadas por atitudes e atos próprios, devido as escolhas errôneas.

Todas as algemas impostas em nós, por outrem, temos forças para lutar até livramo-nos delas, pois, o nosso intelecto irá sempre nos informar que aquela situação, é injusta, e algo acende dentro de nós elevando o desejo em sobressair-se e vencer, e isto acontece. Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me fizeste bem. Salmo 142:07

Porém, todo aprisionamento interno, procedente de deslizes nossos, têm proporção elevada, suficiente para nos ferir subitamente, deixando arranhões terríveis; no corpo; na alma, e no espírito, demorado é, o processo da cura, pois, automaticamente, as informações que nosso cérebro recebe é que, aquilo só está acontecendo porque cedemos espaços, logo, tende a permanecer por mais tempo do que o esperando, e, em muitos causos, essas algemas passam ser de resistência infame, tornam-se, grandes muralhas invisíveis, se não tivermos equilíbrio emocional, corremos o risco em permanecer paralisados, estáticos, impedidos de realizar muitas coisas. Cordas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam.Salmo 18:5

A mente humana é uma caixinha coberta por informações coloridas, chamada de pensamentos, se a cor escura dominar, haverá trevas ao redor, e conseqüente, o viver ficará aprisionado em si mesmo.
Do que se queixa o homem, senão dos seus próprios erros? Fato isto é, se não fossem as pedras que nos mesmo ajuntamos durante a nossa caminhada muitas muralhas não se prontificaria em nossa frente. Porque a vida é como chaminé da lareira, só aparece às fumaças quando seu dono acende fogo, e a depender da cor da fumaça é deduzido o que está sendo queimado. Ou seja, se não houvéssemos cometido tantos erros, não estaríamos passando por determinada situações, e muitas situações ainda tem se tornado pior, porque não ouvimos os alertas e conselhos. De que se queixa pois o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados Lamentações 03:39.

Quando não consultamos a Deus antes de tomar as decisões em nossa vida, ficamos propensos a ser pego por laços criados por nós mesmo, solícitos a tropeçar em planos que projetamos; muitos, por não pensar antes de agir, ou então, pensar em se dá bem, em tirar vantagem da situação, se emaranham em redes perigosas, e quando descobre, já é tarde, tornou-se prisioneiro na cela da alma, passou a ser como uma aranha que virou presa das próprias teias. Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado Salmo 55:22

Atitudes erradas nos encaminham por veredas tortuosas, decisões precipitadas nos arremessam a vales profundos, conselhos sem está fundamentados em Deus pode nos levar a pagar altos preços. É necessário confiar ao Senhor, tudo que somos, temos, ou planejamos, pois, ainda que venhamos a tropeçar, nosso coração não irar oscilar, pois, traremos dentro de nós a certeza que o socorro virá, ainda que pareça a nós, demorar; saberemos assim como Davi, que as misericórdias do Senhor é a causa de não sermos consumidos. Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é minha defesa, não serei grandemente abalado Salmo 62:02

Pra. Elza Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 25 de outubro de 2016

O PODER DO PAI NOSSO

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. (Mateus 6:9-13)

Jesus após um pedido de seus discípulos, deixou uma das orações mais usadas de todos os tempos o Pai Nosso, porém muitas pessoas quando oram essa oração não entendem o poder e a profundidade que existe em meio a essas frases. Gostaria de compartilhar com os irmãos alguns aspectos dessa oração que fazem dela tão poderosa.

PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS: nessa primeira frase já temos duas realidades que podem mudar a vida de qualquer um que creia. A 1ª é que Jesus nos ensina que agora Deus não é somente o nosso criador mas com a vinda de Jesus Ele se torna nosso Pai, a 2ª é que Deus está acima de todas as coisas no mais alto lugar de onde Ele pode abençoar a vida daqueles que agora são filhos.

SANTIFICADO SEJA O TEU NOME: Jesus agora nos ensina a reconhecer a santidade que há em Deus, Ele é perfeito, Nele não há falhas Nem erro algum Ele é o modelo que devemos seguir.

VENHA O TEU REINO,SEJA FEITO A TUA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU: Jesus ensina aqui que devemos nos sujeitar a Deus e fazermos a sua vontade, da mesma forma que os anjos no céus não questionam as ordens de Deus, nós também devemos apenas aceitar que Deus sabe o que é melhor para nossas vidas.

Assim como um rei determina o futuro de seu súditos, da mesma forma devemos confiar a Deus o futuro de nossas vidas, sendo guiados pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito, devemos crer de que fato a vontade de Deus é Boa Perfeita e Agradável e nos entregarmos a ela sem medo.

O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DÁ HOJE: Aqui Jesus nos ensina que não devemos nos preocupar com as necessidades desse mundo, pois a cada dia Deus as suprirá. Da mesma forma que no deserto a cada dia Deus derramava a provisão para seu povo, Jesus quer que possamos viver dependentes de Deus, buscando primeiro o Reino de Deus e sua Justiça crendo que todas as demais coisas nos serão acrescentadas.

E PERDOA-NOS AS NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO PERDOAMOS OS NOSSOS DEVEDORES; Jesus quer nos ensinar a importância de perdoar para que possamos ser perdoados por Deus. Ele coloca como condição para sermos alcançados pelo perdão de Deus, o fato de permitirmos que aqueles que nos ofenderam alcancem o nosso perdão, pois de outra forma Deus fica impossibilitado de perdoar.

E NÃO NOS CONDUZA A TENTAÇÃO; MAIS LIVRA-NOS DO MAL: Aqui Jesus nos ensina que devemos pedir pela proteção de Deus, em todos os momentos em nossas vidas, pois todo o tempo somos tentados a fazer o que não agrada a Deus. Satanás sabe que se sucumbirmos as tentações desse mundo seremos conduzidos para o mal e dessa forma nos afastaremos de Deus, os dias são maus e se não tivermos firmados na Rocha Eterna certamente não resistiremos, porém se nos sujeitarmos embaixo da poderosa mão de Deus Satanás fugirá de nós.

PORQUE TEU É O REINO, O PODER E A GLÓRIA, PARA SEMPRE, AMÉM: E para finalizar Jesus nos ensina que Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Deus reina, é poderoso e glorioso, quando reconhecemos isso e nos entregamos a Ele, somos feitos co-herdeiros em Cristo de toda essa majestade, de todo esse poder e somos imergidos em Sua Glória, e isso não é algo temporário mas eterno.

Quando for orar o Pai Nosso da próxima vez, não o faça como se fosse uma oração qualquer mas creia que quando você a orar, estará trazendo a céus para terra, com essa que é a oração mais completa e poderosa que Jesus poderia nos ensinar.

Wellington Gomes Negreiros

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A BÍBLIA, LUZ PARA O NOSSO CAMINHO

Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho… Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Salmo 119:105, 162).

Finalmente o remoto vilarejo no alto das montanhas foi conectado à rede elétrica. O trabalho está terminado e um inspetor visita os moradores de diferentes casas para garantir que tudo está em ordem.

Uma moradora idosa responde sua pergunta sobre se ela está satisfeita: “Sim, claro! Agora eu posso ver melhor para acender a minha lâmpada de óleo”.

Podemos sorrir disso, mas em relação a luz, há muita coisa que é notável. Quantos são os que andam tateando pela escuridão moral deste mundo!

Eles possuem uma Bíblia, mas nunca a abrem. Eles podem ler um panfleto evangelístico de vez em quando ou uma página de um devocional cristão, mas isso não é suficiente.

Isso é semelhante a preferir uma lâmpada de óleo que a muito mais brilhante luz elétrica.

Tem havido muitos e longos períodos no decorrer da história quando era proibido a posse de uma Bíblia.

Quantas vezes os cristãos colocaram suas vidas em risco e viajaram muitos quilômetros para poder ler um dos poucos exemplares restantes! Para estes crentes a Palavra de Deus não era apenas a luz para o seu caminho, mas a fonte de onde tiraram conforto e alegria.

Não vamos deixar as nossas Bíblias na prateleira, como uma lâmpada que permanece apagada no escuro, mas deixemos que a Palavra de Deus ilumine nosso caminho como a luz, para a nossa salvação, a nossa preservação e nossa alegria.

Extraído do Devocional Boa Semente

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 23 de outubro de 2016

VOCÊ VAI PARTILHAR A LUZ?

Há muito tempo atrás, ou nem tanto tempo assim, vivia uma tribo numa caverna escura e fria. Os moradores da caverna viviam amontoados, e reclamavam do frio, soltavam longos lamentos em voz alta. Era tudo que sabiam fazer. Os sons na caverna eram fúnebres, mas as pessoas näo sabiam, porque näo sabiam o que era alegria. O espírito na caverna era de morte, mas as pessoas não sabiam, porque não sabiam o que era vida.

Mas então, certo dia, ouviram uma voz diferente.
- Ouvi falar de vocês - anuncia a voz. - Senti o frio de vocês, e vi o escuro que vivem. Vim ajudar.

O povo da caverna ficou quieto. Nunca tinham ouvido tal voz. A esperança soava-lhes estranha aos ouvidos.
- Como vamos saber se você realmente veio para ajudar?
- Confiem em mim - respondeu ele. - tenho o que vocês precisam.

O povo da caverna examinou, através da escuridäo, o perfil do estranho. Ele empilhava alguma coisa, parava e voltava a empilhar.
- O que você está fazendo? - alguém gritou, nervoso.
O estranho näo respondeu
- O que vocês esta fazendo? -alguém gritou mais alto ainda.
Ainda sem resposta.
- Fale para nós! - exigiu o terceiro

O visitante endireitou-se, e falou na direçäo das vozes.
- Tenho o que precisam - Dizendo isso, voltou-se para a pilha a seus pés, e ateou fogo. A madeira incendiou-se, as chamas subiram e a luz encheu a caverna.
O povo da caverna deu as costas, amedrontado.
- Apague isso! - berraram. - machuca os olhos!
- A luz sempre machuca antes de ajudar - Respondeu ele –
- Cheguem mais perto. O desconforto logo passa
- Eu näo –declarou uma voz.
- Nem eu – concordou a segunda.
- Só um bobo se arriscaría a expor os olhos a uma luz dessas.

O estranho continuou perto do fogo.
- Vocês preferem a escuridäo? vocês preferem o frio? näo se aconselhem com medo. Dêem um passo de fé.
Por um bom, tempo, ninguém falou. O povo amontoava-se em grupos, cobrindo os olhos. O autor da fogueira continuava ao lado do fogo.
- Aquí está mais quente – convidava.
- Ele está certo – falou alguém atrás dele – Está mais quente.
O estranho virou-se e viu uma pessoa chegando devagar para perto do fogo.
- Agora consigo abrir os olhos – ela proclamou. – estou conseguindo ver.
- Chegue mais perto – convidou o autor da fogueira.
Ela obedeceu. A mulher colocou-se ao alcance da luz.
- Está täo quente! – estendeu as mäos, e suspirou quando o frio começou a passar.
– Venham todos! Venham sentir o calor! – convidava ela.
- Fique quieta, mulher – gritou um dos moradores da caverna – Vai nos fazer cair em sua loucura? - - Deixe-nos. Deixe-nos e fique com a sua luz.

Ela se voltou para o estranho.
- Por que eles näo vêm?
- Eles escolheram o frio pois, apesar do desconforto, é o que eles conhecem. Preferem ficar com o frio a mudar. E viver no escuro.

A mulher, agora aquecida, ficou em silêncio. Olhou primeiro para escuridäo, depois para o homem.
- Você vai abandonar o fogo?
Ela parou, depois respondeu:
- Näo posso. näo consigo suportar o frio – depois falou novamente. – Mas também näo consigo suportar a idéia de ver meu povo na escuridäo.
- Nem precisa – respondeu ele, estendendo a mäo para a fogueira e pegando um galho. Leve isto para seu povo. Fale pare eles que a luz é para todos que quiserem.

E assim ela pegou uma pequena tocha e entrou na escuridäo.

VEIO PARA O QUE ERA SEU, E OS SEUS NÃO O RECEBERAM. João 1.11

Texto tirado do livro Ouvindo Deus na tormenta de Max Lucado

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 22 de outubro de 2016

COMO POSSO EVANGELIZAR MEUS AMIGOS E MEMBROS DA FAMÍLIA SEM OFENDÊ-LOS OU AFASTÁ-LOS?

Todo cristão tem sempre um membro da família, um amigo, um colega de trabalho ou conhecido que não é cristão. Compartilhar o Evangelho com os outros é sempre difícil. Compartilhar o Evangelho se torna ainda mais difícil quando isto envolve alguém bem próximo.

A Bíblia nos diz que algumas pessoas se sentirão ofendidas com o Evangelho (Lucas 12:51-53). Causa ainda mais problemas o risco de ofender alguém com quem você tem contato freqüente.

Entretanto, a ordem a nós dada foi para que compartilhemos o Evangelho: não há desculpas para não fazê-lo (Mateus 28:19-20; Atos 1:8; I Pedro 3:15).

ENTÃO, COMO PODEMOS EVANGELIZAR OS MEMBROS DE NOSSA FAMÍLIA, AMIGOS, COLEGAS DE TRABALHO E CONHECIDOS?
A coisa mais importante que você pode fazer é orar por eles.

Ore para que Deus mude seus corações e abra seus olhos (II Coríntios 4:4) à verdade do Evangelho.

Ore para que Deus os convença de Seu amor por eles e sua necessidade de salvação através de Jesus Cristo (João 3:16).

Ore por sabedoria em como você pode ministrar a eles (Tiago 1:5).

Além de orar, você também precisa viver uma vida cristã santa na presença deles, para que possam ver a mudança que Deus já fez em sua própria vida (I Pedro 3:1-2). 

Depois de tudo o que foi dito, você deve estar desejoso e destemido para compartilhar o Evangelho. Proclame a mensagem de salvação através de Jesus Cristo a seus amigos e família (Romanos 10: 9-10).

Esteja sempre preparado para falar de sua fé (I Pedro 3:15), fazendo-o com meiguice e respeito.

Por fim, devemos deixar a salvação de nossos amados na dependência de Deus. É o poder e graça de Deus que salva as pessoas, não nossos esforços.

A melhor e maior coisa que podemos fazer é orar por eles, a eles testemunhar e viver uma vida cristã perante cada um deles!

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O AMOR SEM LIMITES

O Deus que tem por nós um amor sem limites… os aperfeiçoará e dará firmeza, força e verdadeira segurança. (1Pe 5.10)

As convicções firmes e tranquilas de Pedro são de causar inveja! Naturalmente nem sempre foi assim. O apóstolo cresceu no conhecimento teológico e experimental de Deus. O que aconteceu com ele pode acontecer com qualquer um de nós.

Conhecer a grandeza do amor de Deus é um dos maiores desafios da igreja, tanto que Paulo se punha de joelhos diante do Pai para pedir que os irmãos de Éfeso pudessem “compreender o amor de Cristo em toda a sua largura, comprimento, altura e profundidade” (Ef 3.18).

Uma das certezas de Pedro era que, depois de um período de sofrimento generalizado, os cristãos do mundo inteiro teriam uma experiência nova e surpreendente. Como essa graça não é para já, todos os verbos estão no futuro: Deus os aperfeiçoará, Deus os consolará, Deus os fará mais fortes que nunca, Deus os firmará, Deus os fortalecerá, Deus os fundamentará, Deus os reabilitará, Deus os restabelecerá, Deus os robustecerá.

Isso significa que os crentes sobreviveram às paixões humanas, ao sofrimento, à tentação, à provação, à demora, e que não foram devorados pelo leão. Isso significa que Deus tem a última palavra, que a longa história da salvação está nas mãos dele.

Esse glorioso epílogo, essa gloriosa plenitude da salvação não tem outra explicação senão o amor de Deus, o amor sem limites de Deus (as outras versões preferem chamar de graça de Deus, o amor ilimitado do Senhor).

Pedro nos leva à prova do amor de Deus na versão de Paulo: “Deus demonstrou quanto nos ama ao oferecer seu Filho em sacrifício por nós quando ainda éramos tão ingratos e maus para com ele” (Rm 5.8, AM).

E na versão de João: “Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós: ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio dele” (1Jo 4.9).

Depois de uma pequena e passageira aflição, teremos uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento!

Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

DEUS NUNCA DESISTE

Como eu sei que Deus está comigo? E se tudo isto for uma brincadeira? Como você sabe que é Deus quem está falando?

A escuridão terrível e abafada da dúvida. A mesma escuridão que você sente quando senta em um banco polido de uma capela funerária e ouve o obituário de uma pessoa que você ama mais que a vida.

A mesma escuridão que você sente quando ouve as palavras, "O tumor é maligno. Temos que operar."

A mesma escuridão que cai sobre você quando percebe que acaba de perder o temperamento... de novo. A mesma escuridão que você sente quando percebe que o divórcio que você nunca quis chegou ao final.

A mesma escuridão na qual Jesus gritou, "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?"

Palavras apropriadas. Porque quando duvidamos, Deus parece estar muito longe. É exatamente porque Ele escolheu estar tão perto.

Através do tempo, apesar do povo de Deus esquecer seu Deus muitas vezes, Deus não se esqueceu deles. Ele manteve Sua palavra.

Deus não desistiu. Ele nunca desiste. Quando José foi jogado em um buraco por seus próprios irmãos, Deus não desistiu.

Quando Moisés disse, "Eis-me aqui, envie Arão," Deus não desistiu.

Quando os israelitas libertados preferiam ser escravos no Egito ao invés de leite e mel, Deus não desistiu.

Quando Arão estava fazendo um falso deus exatamente ao mesmo tempo em que Moisés estava com o verdadeiro Deus, Deus não desistiu.

Quando somente dois dos dez espias consideravam que o Criador era poderoso o suficiente para libertar a criatura, Deus não desistiu.

Quando Sansão contou o segredo a Dalila, quando Saul riu de Davi, quando Davi conspirou contra Urias, Deus não desistiu.

Quando a palavra de Deus foi esquecida e os ídolos humanos brilharam, Deus não desistiu.

Quando os filhos de Israel foram levados cativos, Deus não desistiu.

Ele poderia ter desistido. Ele poderia ter virado as costas. Ele poderia ter ido embora da desordem desprezível, mas Ele não o fez. Ele não desistiu.

Quando Ele se tornou carne e foi vítima de uma tentativa de assassinato antes de ter dois anos de idade, Ele não desistiu.

Quando o povo de sua própria cidade tentou O empurrar de um penhasco, Ele não desistiu.

Quando seus irmãos O ridicularizaram, Ele não desistiu.

Quando Ele foi acusado de blasfemar Deus por pessoas que não temiam a Deus, Ele não desistiu.

Quando Pedro O adorou à Ceia e O maldisse à fogueira, Ele não desistiu.

Quando as pessoas bateram em Seus rosto, Ele não bateu de volta. Quando os espectadores o insultaram, Ele não os insultou. Quando um chicoteador dilacerou Seus lados, Ele não se virou e ordenou aos anjos que estavam aguardando a empurrar aquele chicoteador goela abaixo dos soldados.

E quando as mãos humanas prenderam as mãos divinas em uma cruz com cravos, não foram os soldados que seguraram firme as mãos de Jesus. Foi Deus quem as segurou firme. Porque aquelas mãos feridas foram as mesmas mãos invisíveis que carregaram o cântaro e a tocha dois mil anos antes. Eram as mesmas mãos que trouxeram luz dentro da escuridão terrível e abafada. Elas vieram fazer isso de novo.

Então, da próxima vez que a dúvida entrar, escolte-a para fora. Fora para o monte. Fora para o Calvário. Fora para a cruz onde, com sangue santo, a mão que carregou a chama, escreveu a promessa, "Deus desistiria do Seu próprio Filho antes de desistir de você."

Max Lucado

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

VOCÊ ESTÁ ABATIDO NA SUA FÉ?

O exílio ou cativeiro babilônico é o termo utilizado para chamar o exílio dos judeus do antigo Reino de Judá para a Babilônio, no período de Nabucodonosor II, sendo descrito pelos profetas do Antigo Testamento, Jeremias, Ezequiel e Daniel.

A primeira deportação iniciou-se em 598 a.C., quando Jerusalém foi sitiada e o jovem Joaquim, Rei de Judá, rendeu-se voluntariamente. O Templo de Jerusalém foi parcialmente saqueado e boa parte da nobreza, dos oficiais militares e dos artífices, inclusive o rei, foram levados para o Exílio em Babilônia. Zedequias, tio do Rei Joaquim, foi então nomeado como rei vassalo por Nabucodonosor II.

Ocorre que, 11 anos depois, em resultado de nova revolta no Reino de Judá, temos a segunda deportação em 587 a.C. e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo.

É neste momento de total desespero que Jeremias, mergulhado nas profundezas de sua alma, escreve em Lamentações 3:21, um dos versículos bíblicos para mim mais instigantes, quando disse: Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.

Trazendo isso para os nossos dias, temos vivido tempos maus, onde uma sucessão aparentemente infindável de tragédias e acontecimentos têm deixado muitos atordoados, quando não fraquejados em sua fé, com uma tendência a cair no ceticismo ou viver um cristianismo pautado no cinismo.

Situações como o da tragédia dos refugiados, morrendo ao longo do Mar Mediterrâneo quase todos os dias, com a indiferença de boa parte do mundo. Ou o furacão Matthew que na última semana devastou boa parte do Haiti, passando despercebido pela grande mídia, sem nenhuma comoção como quando mataram os editores do Charlie Hebdo ou da boate GLBT em Orlando. Isso quando várias tragédias pessoas e familiares não se avolumam.

Aí, você começa a se perguntar, se você é daquelas pessoas que realmente se importam na forma como o mundo anda, com coisas do tipo: Qual o propósito disso tudo? Onde estava Deus nestes eventos? O que a minha fé pode dar de resposta a essas tragédias humanas?

E aí, que é essencial, como li recentemente em artigo de Priscila Viégas Duque, que o que não nos deixa sucumbir de vez é lembrar das misericórdias de Deus em nossas vidas, de sabermos quem Ele é em nossa existência.

“As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade” (v. 22). A palavra misericórdia, que em hebraico é “hesed”, pode ser traduzida por “aliança de amor” ou “amor imutável”. Diante de tanta adversidade, parece muitas vezes que não há mais esperança, mas Jeremias lembrou que a “hesed” de Deus ainda permanecia sobre seu povo.

Ademais, a confiança em Deus nos permite aceitar o que estamos vivendo em nossas vidas e o que virá, sendo que essa atitude não é o fatalismo, como vemos em algumas crenças, mas, sim fé. Ficamos em silêncio não porque não há o que dizer, mas porque sabem que Deus nos atenderá a seu tempo e a seu modo.

Somente quando abrimos esse nosso olhar para Deus é que conseguimos ver além das circunstâncias deste mundo. Se não temos essa visão, nossa tendência natural é cair no ceticismo ou não ver sentido nenhum na sucessão de fatos que vão se amontoando dia após dia.

Leandro Bueno

Por Litrazini

Graça e Paz