quinta-feira, 6 de outubro de 2016

A VIDA E O MINISTÉRIO DE JESUS

Israelitas, ouçam estas palavras: Jesus de Nazaré foi aprovado por Deus diante de vocês por meio de milagres. (Atos 2.22)

Pedro aplicou a profecia de Joel ao Pentecostes. Porém, a melhor maneira de entender o Pentecostes não é através da profecia do Antigo Testamento, mas pelo seu cumprimento no Novo Testamento; não através de Joel, e sim através de Jesus.

Depois de citar a profecia de Joel, Pedro exortou o povo de Israel para que o escutasse, e suas primeiras palavras foram: “Jesus de Nazaré”. Todo evangelismo deveria começar assim.

Nossa responsabilidade principal é levar as pessoas para Jesus. O evangelista sábio é aquele que procura conduzir a conversa para a pessoa e obra de Jesus Cristo.

O apóstolo Paulo afirmou, na introdução de sua Carta aos Romanos, que o evangelho de Deus é o evangelho de seu Filho. Como T. R. Glover escreveu em The Jesus of History [O Jesus da História]: “Jesus continua sendo o coração e a alma do movimento cristão; ele ainda tem o poder de atrair as pessoas”.

Após mencionar o nome (de Jesus), Pedro continuou a contar a história de Jesus, passando agora para a sua vida e ministério, afirmando que ele “foi aprovado por Deus”. Essa expressão é surpreendente.

Não podemos afirmar que Pedro já estivesse declarando que Jesus era uma pessoa divina e humana ao mesmo tempo. Porém, ele podia perceber em Jesus uma natureza humana e outra divina.

Além disso, Pedro enfatizou a aprovação de Deus com relação a Jesus ao juntar três palavras do Novo Testamento — milagres, maravilhas e sinais — para designar os milagres que Deus realizou publicamente através dele.

A primeira palavra, “milagres” (dunameis), indica a sua natureza; eles eram demonstrações do poder de Deus (dunamis).

A segunda palavra, “maravilhas” (terata), indica a sua consequência; todos que testemunharam as “maravilhas” ficaram espantados.

A terceira palavra, “sinais” (semaia), indica o seu propósito; os sinais pretendiam dar significado ou sentido às declarações do Messias.

Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele. E nós somos testemunhas de todas as coisas que fez, tanto na terra da Judéia como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num madeiro. Atos 10.38-39

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz