domingo, 30 de outubro de 2016

O DESAFIO DE DEUS

Deus desafia todas as nações para que tragam seus deuses e provem que são poderosos, que faça o que seus adoradores dizem o que eles são. Enquanto eles não conseguem provar, e os deuses se mostram impotentes, Deus diz que vai mostrar quem é e o que faz, trazendo do Norte a Ciro, o homem que ele escolhera para governar os povos. Deus de verdade faz isso, não promete fazer, ou precise que seja carregado por aqueles que o adoram.

Deus faria com que seu povo voltasse das terras para onde foram, coisa que nenhum deus ou nação conseguiu fazer, mas o povo de Deus iria retornar dos lugares onde estava, e assim Deus provaria seu poder. Regocíjate grandemente en el Señor!

Através das metáforas dos animais e das árvores, sete tipos, Deus mostra que iria causar espanto a todas as nações ao redor. Tudo foi resolvido por Deus. Quando eles vissem o povo voltando, grande seria o espanto, pois restauração de Deus em redor.

Esse capítulo tem alguns dos versículos mais lindos, como os versículos 10, 11, e 13, onde Deus diz que vai fazer Israel vencer aos seus inimigos, e com certeza, muitos inimigos de Israel nem existem hoje, como Deus prometera, cumpriu. Entre eles estão os Filisteus, Moabitas, Edomitas, Assírios, etc.

Ele usa uma metáfora interessante no verso 15, que fala de trilho novo, na verdade uma metonímia, que usa a parte pelo todo; trilho aqui é uma máquina usada para preparar a terra para serem plantada nela as sementes. Deus iria renovar a nação, preparar o terreno para Israel de novo florescer, para que vença seus inimigos e Deus seja glorificado.Assim todos saberiam quem era o Deus dessa nação tão desprezada,humilhada.

É a renovação de Deus acontecendo, e ninguém iria impedir que seu povo fosse restaurado, nem os deuses dessas nações, que eram tidos como poderosos, mas na verdade não eram nada diante da grandeza de Deus. Eles não provaram nada, não predisseram o futuro, nem fizeram uma bondade ou maldade, para provarem que estavam vivos, como Baal, Astorete, ou Astarte, ou Vênus, e Milcon, ou Malcon, entre outros, falsos deuses que nada podem fazer.

Só o eterno IAVÉ triunfaria, como triunfou. Deus desafiou eles para a luta, para provarem quem eles eram de verdade, e Deus mesmo diz que “eles não são nada, menos que nada”, enquanto que ele prova ser o Deus grande.

Essa esperança que nós temos de Deus, aquele que faz em nós o que quer. Que Deus nos guarde de todo mal, e aqueles que lutam contra nós sejam envergonhados, para que nós possamos usufruir das promessas de Deus, a qual não falha, pois Deus é o sustentador de todas as coisas, como diz Paulo no livro de Romanos,capítulo 11, depois de explicar o plano de Deus, que inclui os gentios e Israel: “tudo é por ele e para ele; glória, pois, a ele eternamente”.

Josias Leonardo De Moura

Por Litrazini

Graça e Paz