quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

SELO DE APROVAÇÃO

Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de aprovação. (João 6.27)

Os inteligentes e educados podem achar as palavras de Jesus nesta passagem loucas, sem sentido e incompreensíveis. O povo judeu deve ter pensado que Cristo fosse maluco, sonso e burro.

Imagine a situação: um homem pobre e simples chega e diz a pessoas inteligentes que ele pode lhes dar uma comida que nunca acabará. Esse homem não parece um charlatão no mercado dizendo à multidão que está vendendo um remédio “cura tudo” que evitará doenças, tiros, feridas e até a morte? Todos ririam de uma afirmação como essa.

Aqui Cristo, um mendigo que não possui um metro quadrado de terra, está falando sobre dar alimento eterno.

Talvez o povo considerasse essa afirmação se ela viesse de um grande rei. Entretanto, Cristo está dizendo: “Eu posso fazer o que ninguém mais no mundo pode. Eu posso dar um novo tipo de alimento que durará para sempre”.

Até mesmo eu teria dito: “De onde vem esse louco? Você já ouviu alguém mais insensato que ele na sua vida? Um pobre que não possui um centavo nos dará mais do que todos os poderosos governantes da terra? Ele quer nos dar riquezas que não acabam, mas ele próprio nada possui”.

Essas palavras de Cristo exigem fé. Portanto, esta mensagem é direcionada apenas aos que creem. O mundo não compreende essas palavras, pois não conhecem esse tipo de alimento.

Os cristãos, aqueles que já estão acostumados à Palavra de Deus e convencidos da sua verdade, conhecem a Cristo somente por meio da fé e permanecem leais a ele. Eles creem que Jesus é aquele em quem “Deus, o Pai, colocou o seu selo de aprovação”.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz