quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

SOFRER OU VIVER

Algo acontece dentro da gente quando, de repente, aparece um acontecimento doloroso e incontrolável.

A tempestade se levanta e não há o que fazer.

O sofrimento parece rir da gente e ser completamente sem propósito.

As pessoas à nossa volta parecem insensíveis, ausentes, indiferentes; dizem chavões sem sentido, que não aliviam a dor; parecem não fazer nada para entender o que sentimos.

Nada faz sentido, nada importa.

E quanto menos importa, melhor; pelo menos assim nos deixam em paz; se podemos chamar o vazio de paz.

Podemos nos entregar ao caos, ficar azedos, culpar pessoas ou circunstâncias, adoecer, desistir e dar de mão da vida.

Mas a amargura não faz nascer a esperança; o desânimo não dá à luz a confiança; fechar-se em nós mesmo não alivia a opressão.

A fé é o escudo contra as setas inflamadas do maligno.

O amor é quem nos envolve com seu manto e nos aquece da fria dor.

O desejo de viver nos empurra a continuar, apesar da angústia.

Acreditar que Deus dará um jeito nos leva a esperar o amanhã com esperança.

A oração nos conforta e a Palavra ilumina o caminho, trazendo luz nas trevas.

Então, decidimos não desistir e seguir vivendo.

E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás. Salmos 50:15

Dr. Silmar Coelho

Por Litrazini

Graça e Paz