quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

ESPERANDO NO SENHOR

O chefe dos copeiros, porém, não se lembrou de José; ao contrário, esqueceu-se dele. (Gênesis 40.23)

Nenhum outro exemplo no qual possamos pensar se compara a José. Ele sofreu uma quantidade enorme de torturas, as quais eram insuportáveis, e não teve qualquer ajuda ou esperança.

Além disso, os mártires da fé geralmente sofrem durante um curto período de tempo. Mas José teve que sofrer por um longo tempo.

Não é possível encontrar muitas pessoas que, se fossem abandonadas como José, não reclamariam, não ficariam iradas nem impacientes.

Sim, José teve seus momentos de fraqueza também. De vez em quando ele se sentia deprimido e queria reclamar, chorar e desistir.

O exemplo de José ilustra a importância de esperar no Senhor. Nos Salmos, podemos ler: “Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor” (Sl 27.14).

Habacuque diz: “Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que demore, espere-a; porque ela certamente virá e não se atrasará” (Hc 2.3).

Isaías nos encoraja: “Então você saberá que eu sou o Senhor; aqueles que esperam em mim não ficarão decepcionados” (Is 49.23).

Mas a nossa fraqueza humana nos diz: “Já passou tempo demais. Tenho esperado auxílio há cinco, dez ou vinte anos e não consigo ver o fim disso”. Lembre-se de que Deus fez essa promessa a você. Ele é seu amigo e pai.

Devido à sua graça e misericórdia, Deus prometeu tomar conta de você assim como um pai cuida de seu filho pequeno. Ele é seu pai e você é seu filho querido.

A sua natureza pecaminosa ainda diz que esperar em Deus é tolice?

Não se preocupe. Continue a esperar, junto com todos os que creem. O que Cristo promete em Mateus 24.13 se cumprirá: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo”.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz