quarta-feira, 8 de março de 2017

A ORAÇÃO NO ESPÍRITO SANTO

Quando Jesus nos autorizou a orar e falar em nome dele, usava uma terminologia jurídica, semelhante à que é usada por advogados e seus cientes. É uma procuração passada para alguém falar em meu nome.

Ninguém precisa de uma procuração para falar o meu nome, mas para falar em meu nome. A procuração lhe dá o direito de me representar e defender minhas causas e não as causas dele.

No exato momento em que ele passar a usar o meu nome para defender os seus interesses, deixa de ser meu representante e passa a ser um aproveitador. Isto é considerado uma transgressão capaz de gerar banimento e até a sua prisão.

O representante de Deus só pode falar em nome dele, enquanto suas palavras forem uma expressão exata da vontade de Deus.

Jesus representava ao Pai, porque não falava de si mesmo, mas falava o que o pai lhe ordenava. "Jesus respondeu: O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. Aquele que fala por si mesmo busca a sua própria glória, mas aquele que busca a glória de quem o enviou, este é verdadeiro; não há nada de falso a seu respeito" (João 7:16,18).

Pense nisso, da próxima vez, em que no final da sua oração, disser: — Em nome de Jesus, amém!
A única garantia, que lhe foi concedida para ter certeza de que Deus deu alguma importância para a sua oração é se você realmente falou em nome de Jesus.

Deus prometeu ouvir e atender a sua oração, apenas quando ela traduzir a boa, perfeita e agradável vontade de Deus para a sua vida.

Não use o nome de Jesus para torcer o braço de Deus, achando que ele prometeu este tipo de coisa.

Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a vontade de Deus, ele nos ouvirá. E, se sabemos que ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que temos o que dele pedimos. 1 João 5:14-15

Você orou em espírito quando estava perfeitamente afinado com a vontade de Deus e pode fazer isso em qualquer língua, principalmente na sua própria.

Expressar, conscientemente, a vontade de Deus, deve ser a sua maior procura e não através de uma linguagem que você não entende.

A transformação ocorrida pela renovação da sua mente, o capacitará a descobrir a boa, perfeita e agradável vontade de Deus (Romanos 12:2).

Isto é orar em espírito

Ubirajara Crespo

Por Litrazini

Graça e Paz