domingo, 5 de março de 2017

JESUS, O IMATÁVEL

Então, pegaram em pedras para atirarem nele; mas Jesus se ocultou e saiu do templo. (João 8.59)

A palavra imatável não está em nenhum dicionário, mas ela existe, e precisa existir – mesmo que só se aplique à pessoa de Jesus.

A própria história de Jesus o confirma. Houve pelo menos três ten­tativas de tirar-lhe a vida, todas sem sucesso.

Porque os magos chamaram Jesus de “o rei dos judeus”, Herodes, o Grande, enfureceu-se grandemente “e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo” (Mt 2.16).

Quando essa carnificina aconteceu, o menino Jesus já estava muito longe e em absoluta segurança.

Porque Jesus declarou que era o cumprimento da profecia de Isaías (Is 61.1-2), o pessoal da sinagoga de Nazaré se encheu de ira e o levou até o cimo de um monte para o precipitarem abaixo. “Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se” (Lc 4.28-30).

Porque Jesus afirmou que já existia antes de Abraão nascer, os judeus encheram as mãos de pedras para apedrejá-lo ali mesmo no templo, “mas Jesus se ocultou e saiu do templo” (Jo 8.59).

– O Jesus da Bíblia me surpreende a cada passagem do Evangelho.

Retirado de Refeições Diárias com Jesus. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz