terça-feira, 17 de outubro de 2017

POR QUE SOFREMOS COM O ESGOTAMENTO?

AS DIFICULDADES DA JORNADA
A Palavra de Deus relata a respeito do povo de Israel. “Então partiram do monte Hor, pelo caminho que vai ao Mar Vermelho, para rodearem a terra de Edom; e a alma do povo impacientou-se por causa do caminho” (Números 21.4). A vida é difícil. A jornada nem sempre é fácil. O caminho é pedregoso e cheio de surpresas nem sempre agradáveis.

É impossível viver sem dificuldades. Toda estrada é sinuosa e perigosa. Mas, mesmo que enfrentemos tempestades, como os navios, não fomos criados para viver ancorado em um porto seguro. Chegar a lugar nenhum não é uma opção para quem almeja viver uma vida vitoriosa.

A DUREZA DA TAREFA
Quando a tarefa parece grande demais, nos sentimos incapazes de realizá-la. “Então disse Judá: Desfalecem as forças dos carregadores, e há muito escombro; não poderemos edificar o muro” (Neemias 4.10). Os grandes construtores de hoje, ao invés de ficarem desanimados com os escombros, eles usam os escombros no alicerce da nova obra ou reciclam os escombros e os vendem. Um dos segredos para não sofrer de esgotamento, é olhar para a totalidade do projeto e não apenas para a rudeza da tarefa do momento. Deus nunca dá uma tarefa sem dar o poder para terminá-la.

A DEMORA DE REALIZAÇÃO DOS DESEJOS.
“O desejo que se adia abate o coração; mas o desejo cumprido é árvore de vida” (Provérbios 13.12). À medida que os nossos sonhos não se realizam, tendemos a desanimar. Já que os desejos não se concretizam, cremos que eles não vêem de Deus, ou que algo está errado conosco. O jeito é renovar a esperança.

PENSAR CONTINUAMENTE NOS PROBLEMAS (Lamentações 3.20).
Quem de forma sistemática e contínua conta repetidamente seus fracassos, acaba esgotado. “Então repeti eu: ‘já pereceu a minha glória, como também a minha esperança no Senhor. Minha alma, continuamente, recorda da minha aflição, do meu pranto e do veneno, e se abate dentro de mim’” (Lamentações 3.18-20).

Quem quer ficar livre o círculo vicioso do esgotamento, não deve viver repetindo seus fracassos. O caminho é usar a experiência adquirida para dar a volta por cima, não permanecer para sempre lembrando ou vivendo a derrota.

A ANSIEDADE
Nada controla mais o ser humano do que a ansiedade. A ansiedade rouba as forças, produzindo  esgotamento tanto físico como espiritual. “A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra” (Provérbios 12.25). Cada vez é maior o número das pessoas ansiosas. Esse não é o caminho do homem-mulher de Deus. “O justo, ainda morrendo, tem esperança” (Provérbios 14.32).

OUVIR DERROTISTAS (Números 32.9).
Não escute pessoas que só têm mensagens negativas. Existem profetas que só tem mensagens de agouro, até mesmo dentro das igrejas. Feche seus ouvidos às más notícias. “Palavras agradáveis são como favo de mel: doce para a alma e medicina para o corpo” (Provérbios 16.24). “Não te associes com o iracundo, nem Andes com o homem colérico, para que não aprendas as suas veredas e, assim, enlaces a tua alma” (Provérbios 22.24-25).

Li uma história que relatava uma corrida de sapos. O objetivo da corrida era subir em uma torre; o sapo que chegasse ao topo em primeiro lugar seria o vencedor. Todos os animais da floresta se reuniram em volta da torre para assistir a corrida. À medida que os sapos iniciaram a corrida, tentando subir na torre, alguns animais pessimistas gritavam impiedosamente: “Desistam! Sapos não sobem em torres. Vocês jamais vão conseguir!”

Como a escala era difícil, com o passar do tempo, os sapos, um após o outro, foram desistindo da corrida. Apenas um sapo pequeno e fracote, tentava, teimosamente, subir, sem se incomodar com os gritos desanimadores da bicharada. Sem desistir, o sapinho, persistiu e terminou a escalada, tornando-se o vencedor. Os bichos ficaram boquiabertos com a extraordinária façanha do sapinho. Um deles, não conformado com o feito do sapinho, perguntou a um velho e sábio “sapão”, que era um dos juizes: “Como pode? Sapos não sobem em torres! Como o sapinho conseguiu subir?” O velho sapo respondeu com cara de sabedoria e um sorriso maroto na enorme boca: “Ele conseguiu porque não ouviu os gritos negativos dos outros bichos. Ele é surdo”.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz